Revista de Medicina Desportiva Informa Janeiro 2020 - Page 12

Rev. Medicina Desportiva informa, 2020; 11(1):10-11. https://doi.org/10.23911/confer_AMA_2020_01 A 5.ª Conferência Mundial sobre Dopagem no Desporto Dr. Basil Ribeiro Medicina Desportiva – V N Gaia Foi realizada no dia 5 de novem- bro, em Katowice, na Polónia, cinco dias antes da celebração do 20º aniversário da Agência Mundial de Antidopagem (AMA / WADA). Estiveram presentes cerca de 1500 participantes. O discurso de abertura do Presi- dente Sir Craig Reedie foi de entusiasmo e de satisfação, mas também de alguma conster- nação, pois referiu que desde 1999 ainda não surgiu uma resposta simples de combate à dopagem no desporto. A diferença nas regras entre os desportos e nos vários países é também responsável pela impossibilidade de uma luta efi- caz. Recordou que a AMA foi criada durante a 1ª Conferência e começou ainda nesse ano a trabalhar em par- ceria com os governos numa relação de 50-50. Do trabalho desenvolvido, referiu no seu discurso, resultou a publicação da 1ª edição do Código em 2004, que teve como objetivo a harmonização das políticas, regras e regulamentos nas instituições des- portivas e nas autoridades públicas. cada ano a Lista de substâncias e de métodos proibidos é publicada em Diário da República. Neste momento, 188 países já ratificaram a Conven- ção, o que representa cerca e 99% da população desportiva, referiu. Com alguma mágoa referiu que a maior falência do sistema ocor- reu sob a sua Presidência, “se não em toda a história do movimento e antidopagem”, referindo á situação ocorrida na Rússia. Outra preocu- pação foi com os laboratórios com acreditação da AMA, pois “os atletas precisam saber que as amostras serão tratadas profissionalmente e com consistência”. Também a cooperação com a polícia local e transfronteiriça, como a Interpol foi referida. A educação! A instrução é uma aposta forte que “muito provavel- mente fará a diferença para um desporto limpo”, daí a criação da Standard para a Educação, também para evitar que “atletas inadvertida- mente quebrem as regras de anti- dopagem simplesmente porque não as conheciam”. A educação será um motor da prevenção. E a terminar referiu que “a chave do sucesso para a AMA é continuar a ouvir, aprender e implementar sempre mais estraté- gias e processos de colaboração com os parceiros ... com a energia de todos ... de todos com interesse na integri- dade do desporto e a AMA continuará a estar na linha da frente para prote- ção do desporto limpo nos próximos 20 anos e muito mais além”. O Presidente polaco Andrzej Duda na abertura da Conferência https://www.insidethegames.biz/articles/1086710/wada-conference-opened-in-katowice O novo Presidente da AMA, o polaco Witold Banka https://www.dw.com/en/witold-banka-appoin- ted-as-new-wada-president/a-51156159 10 janeiro 2020 www.revdesportiva.pt O Código já foi revisto três vezes e a última versão foi publicada no final de 2019 após dois anos de intensas consultas, e entrará em vigor a partir de 1 de janeiro de 2021. A participação da UNESCO (Con- venção Contra a Dopagem no Desporto) atribui às autoridades o suporte legal. Através desta Con- venção os governos “formalizam o seu compromisso de luta contra a dopagem e permite-lhes alinhar as políticas internas com o Código”. Agora, os governos devem adotar na lei os conteúdos do Código e, por esta razão e por exemplo, em janeiro de Quem era o Presidente da AMA (WADA)? O Senhor (Sir) Craig Reedie é escocês, tem 78 anos de idade e frequentou a universidade de Glasgow. É o 3º presidente AMA, desde 1 janeiro 2014, sucedeu a John Fahey e foi substituído em 1 de janeiro de 2020 pelo polaco Witold Banka, Ministro polaco do Desporto e do Turismo, ex-atleta dos 400 metros. Sir Craig Reedie tem um passado desportivo, enquanto praticante,