Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2020 - Page 28

Dossier Rev. Medicina Desportiva informa, 2020; 11(3):26-33. https://doi.org/10.23911/pandemia_2020_05 Pandemia COVID-19 e Impacto no Desporto Dr. Diogo Lino Moura 1 , Dr a . Ana Dias 2 , Dr a . Joana Pinheiro Torres 3 , Pedro Farinha 4 , Dr. Basil Ribeiro 5 , Prof. Dr. Carlos Robalo Cordeiro 6 1 Docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), Pós-graduação em Medicina Desportiva, Assistente Hospitalar de Ortopedia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC); 2 Assistente Hospitalar de Pneumologia do Centro Hospitalar Lisboa Norte; 3 Assistente de Medicina Geral e Familiar, Hospital Misericórdia da Mealhada, CHUC; 4 Aluno de Medicina da FMUC ; 5 Especialista de Medicina Desportiva. Al Nassr Football Club, Riade, KSA; 6 Docente e Diretor da FMUC, Diretor do Serviço de Pneumologia do CHUC. Coimbra. RESUMO / ABSTRACT A epidemia de Coronavirus Disease 2019 disseminou-se globalmente em poucos meses, conduzindo a pandemia. Múltiplas medidas de saúde pública foram implementadas nos países afetados para conter e mitigar a disseminação da doença. A necessidade de distanciamento social leva a que esta pandemia tenha um impacto importante na sociedade e particularmente no desporto, provocando cancelamento e adiamento de treinos, competições e eventos. Neste artigo revemos as atualidades sobre a pandemia COVID-19, descrevemos brevemente o circuito dos atletas que forem suspeitos da infeção, resumimos o impacto da pandemia ao nível do desporto mundial, abordamos a saúde mental e terminamos com recomendações de exercício físico para durante a fase de isolamento. Coronavirus Disease 2019 epidemy has disseminated worldwide in few months, turning into a pandemic. Multiple public health measures were implemented in affected countries in order to contain and mitigate disease dissemination. Social distance need makes this pandemic to have an impact at society and particularly in sports, causing cancellation and postponement of training sessions, competitions and sports events. In this paper we review the COVID-19 pandemic, briefly describe the circuit performed by athletes with infection suspicion, resume pandemic impact at sports worldwide, discuss the mental health and finally end with physical exercise recommendations during isolation time. PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS Coronavírus, COVID-19, epidemia, pandemia, desporto, distanciamento social, isolamento Coronavirus, COVID-19, epidemy, pandemic, sports, social distance, isolation Pandemia COVID-19 A epidemia de Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) teve início em dezembro de 2019, quando uma série de casos de pneumonia de causa desconhecida surgiu na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, na China. No início do surto, a maioria dos doentes tinha ligação a um mercado de peixe, mariscos vivos e aves que acabou por ser encerrado. 1 O agente etiológico foi rapidamente identificado como um novo coronavírus, atualmente designado Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2 (SARS-CoV-2) e que é capaz de transmissão pessoa a pessoa. 2,3 A síndrome respiratória aguda causada por este vírus foi denominada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como COVID-19. 4 Disseminou- -se globalmente em poucos meses e em Portugal os primeiros casos confirmados surgiram no início do mês de março. 5 A 11 de março de 2020 a OMS classificou a COVID- 19 como pandemia, definida como uma epidemia com disseminação rápida a larga escala, neste caso com abrangência global. 6 Os coronavírus circulam maioritariamente entre outros animais. No entanto, ao longo dos tempos, alguns vírus desta família adquiriram a capacidade de se transmitir e causar doença em humanos. Na maioria dos casos, os coronavírus humanos são responsáveis por quadros respiratórios ligeiros. Contrariamente, nas últimas duas décadas, dois coronavírus, o Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus – SARS-CoV-1 – em 2002 e o Middle East Respiratory Syndrome Coronavirus – MERS-CoV – em 2012 originaram epidemias de doença respiratória aguda grave, tal como o atual SARS-CoV-2. 7 A transmissão do SARS-CoV-2 ocorre através de gotículas libertadas pela pessoa infetada quando esta tosse, espirra ou apenas fala e que atingem as mucosas da outra pessoa. O contacto com uma superfície infetada através das mãos, e seguidamente com os olhos, mucosa oral ou nasal, é também uma das formas de transmissão. 1,8 A transmissão por via aérea pode ocorrer a nível hospitalar aquando da realização de procedimentos geradores de aerossóis e foi recentemente demonstrado que o SARS-CoV-2 permanece viável em aerossóis em suspensão até três horas. 8,9 Os indivíduos sintomáticos são as principais fontes de contágio, mas está descrita a transmissão por assintomáticos. 10,11 O período de incubação da doença pode durar até 14 dias, sendo que na maioria dos casos os sintomas surgem ao fim de 4-5 dias. 3,12 Os principais sintomas da COVID-19 são febre, tosse e dispneia. A média da idade dos indivíduos infetados varia entre os 49 e 56 anos. 7,13 Numa das séries de doentes admitidos num hospital de Wuhan, 49% dos casos ocorreu em doentes com idades compreendidas entre 25-49 anos. 7 De acordo com o que se observou em relação à população chinesa, cerca de 80% dos casos de COVID-19 correspondem a uma doença respiratória ligeira, sem ocorrência de pneumonia ou com pneumonia sem critérios de gravidade. Em 15% dos casos observou-se um quadro mais grave, com pneumonia e insuficiência respiratória, enquanto 5% evoluíram para falência respiratória, choque e/ou disfunção multiorgânica. 14 Este último grupo de pacientes requer admissão em Cuidados Intensivos, sendo que 2.3% necessitam de ventilação mecânica invasiva. 2 De acordo com o relatório do Center for Disease Control and Prevention chinês, que avaliou 72314 doentes com COVID-19, a mortalidade foi de 2.3%, atingindo cerca de 15% nos idosos a partir dos 80 anos e 49% nos doentes críticos. 14 No entanto, o espectro de gravidade 26 maio 2020 www.revdesportiva.pt