My WAY my_way - Page 13

Foto: Hudson Rennan Cuidar do corpo não é tarefa fácil, especialmente quando os serviços de streaming estão à disposição para serem desfruta- dos junto a um bom balde de pipocas. Mas é bom deixar a preguiça de lado e entender que os exercícios proporcionam muito mais que um corpo sarado e são essenciais para manutenção da saúde. A corrida costuma ser a primeira atividade física que as pessoas procuram quando cansam de levar uma vida sedentária. A possibilidade de realizar a atividade a qualquer hora e em qualquer lugar faz com que a falta de tempo e recursos deixe de funcionar como desculpa para fugir dos exercícios. O modelo Lucas Garcez encontrou na prática um jeito diferente de explorar as cidades pelas quais ele passa enquanto viaja a trabalho. Além de melhorar o condiciona- mento físico, o exercício diminuiu os momentos de estresse e o terrível jetlag. Para não desanimar, ele adverte os que querem entrar no ritmo: “não exija muito de você logo de cara, em algum momento isso vai se tornar uma rotina”. Com uma infância tipicamente ativa, a também modelo Ana Bela Santos, procurou manter uma rotina regrada de exercícios mesmo depois da adolescência. As invejadas medidas são frutos das Running Classes que a moça pratica cinco dias por semana. “São vários métodos: corrida continua ou intervalada, em que o professor teoricamente auxilia na mecânica da corrida e na passada”, ela conta. O personal trainer José Borges explica que é essencial contatar um preparador físico antes de correr por aí. “É necessário procurar um profissional de educação física que monte uma planilha de treinamento de acordo com o condicionamento físico da pessoa e que veja se ela está apta para a atividade em questão”. Borges faz ainda uma ponte entre a função de modelar e a prática da corrida: “A atividade torna os ossos mais fortes e trabalha a consciência corporal, além de prolongar a saúde”. Nada melhor para um modelo que entender perfeitamente o funcionamento da sua ferramenta de trabalho, o corpo, para não ir além das próprias limitações. AI, MEU JOELHO! Síndrome da banda iliotibial e tendinite patelar podem soar estranhas aos ouvidos mais leigos, mas são problemas comuns em pessoas que praticam corrida. O esforço contínuo acarreta em algumas lesões que podem ser um alerta para procurar um fisioterapeuta. A fisioterapeuta Ana Paula Teixeira deu algumas dicas para quem não quer sofrer com dores no joelho: • É imprescindível manter um fortalecimento dos músculos por meio da musculação; • Todo futuro corredor deve fazer uma avaliação da sua postura estática, tipo de pé, pisada, flexibilidade, equilíbrio e resistência; • Realizar treinos funcionais ajuda na mecânica da corrida e impede a sobrecarga das articulações; • E por último, mas não menos importante, frequente um fisioterapeuta de confiança que atue na prevenção, reabilitação e promoção de qualidade de vida. | 09 13