A Voz dos Reformados - Edição n.º 167 Edição n.º 167 - Page 8

Últimas
O aumento da esperança de vida é uma conquista civilizacional que impõe novas políticas que garantam a qualidade de vida dos reformados e idosos
Curiosidades
8 A Voz dos Reformados | Setembro / Outubro 2020

Últimas

Palavras de Paz

Defender a paz é construir o futuro

A 21 de Setembro assinala-se anualmente o Dia Internacional da Paz , proclamado em 2002 pelas Nações Unidas . Este ano , o CPPC voltou a realçar os princípios inscritos na Constituição da República Portuguesa e na Carta das Nações Unidas , decisivos para salvaguardar a paz e os direitos dos povos . São eles : a soberania e os direitos dos povos ; a igualdade soberana dos estados ; a solução pacífica e negociada dos conflitos internacionais ; o não recurso à força ou à ameaça do recurso à força nas relações internacionais ; o desarmamento geral , simultâneo e controlado . Evocar estes princípios não é um mero exercício de memória . Defender a Paz torna-se ainda mais importante quando os EUA e os seus aliados promovem o aumento drástico das despesas militares , lançam uma nova e perigosa corrida aos armamentos incluindo nucleares , disseminam bases e instalações militares por todo o mundo , promovem a militarização do espaço sideral , desestabilizam e agridem militar e economicamente diversos países e povos , não se coibindo de inclusive utilizar as condições criadas pela crise pandémica da COVID-19 como uma arma contra os povos – visando assegurar o controlo de recursos e mercados e impor a sua supremacia económica , tecnológica , militar , informacional e ideológica e , desta forma , a sua hegemonia mundial . A mobilização e ação organizada dos povos assume assim uma importância crescente para que a paz seja implementada e defendida . No caso português , importa garantir : a não participação em operações de agressão contra outros povos ; a defesa , nas organizações internacionais , do direito dos povos a decidir soberanamente o seu caminho , rejeitando agressões , ameaças , chantagens e bloqueios económicos e financeiros ; a assinatura e ratificação do Tratado de Proibição de Armas Nucleares , que visa a eliminação deste armamento de destruição em massa ; a não participação no reforço e expansão da NATO e a defesa da dissolução deste bloco político-militar ; o não envolvimento no processo de militarização da União Europeia e a defesa da sua reversão . Estas são algumas das medidas que Portugal pode e deve implementar e que muito contribuirão para o avanço do desanuviamento das relações internacionais , da construção da confiança mútua , da salvaguarda da paz e da segurança , da relação de amizade e cooperação entre os povos .
O aumento da esperança de vida é uma conquista civilizacional que impõe novas políticas que garantam a qualidade de vida dos reformados e idosos

No Dia Internacional do Idoso exige-se envelhecimento com direitos

Comemorado anualmente a 1 de Outubro , o Dia Internacional do Idoso foi instituído em 1991 pela Organização das Nações Unidas , com o objetivo de sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e a necessidade de proteger e cuidar da população mais idosa .
Sob o lema « Com toda a proteção sanitária . Viver e lutar por um envelhecimento com bem-estar e qualidade de vida », o MURPI assinala a data expressando « solidariedade para com as pessoas idosas » e apelando « ao usufruto dos seus direitos de viver , conviver e lutar por um envelhecimento com direitos ». Anuncia ainda que vai continuar a « assumir o compromisso de dar voz e expressão aos profundos anseios , inquietações e à vontade de viver a vida com tranquilidade e harmonia ». « Torna-se necessário e urgente travar os efeitos devastadores trazidos por esta pandemia que afetou particularmente este grupo vulnerável , combatendo e mitigando todas as formas de isolamento familiar e social que agravam a solidão e a tristeza com repercussões na saúde física e mental das pessoas idosas », refere a Confederação Nacional de Reformados , Pensionistas e Idosos . No texto , defende-se que as pessoas idosas , por constituírem « um grupo particularmente vulnerável , merecem que sejam tomadas medidas que garantam o direito à saúde nas suas múltiplas dimensões , tanto na comunidade como nas estruturas residenciais para idosos , bem como

Soluções necessárias

« Um País em franco e acelerado envelhecimento merecia que os recursos humanos e materiais estivessem equitativamente e igualmente distribuídos em todo o território », destaca o MURPI , que , desde o início desta epidemia , tem pugnado « por soluções que ponham em funcionamento os centros de convívio e de dia , em condições de segurança sanitária , que garantam a retoma da vida social e associativa de milhares de reformados e de idosos que se encontram privados de convívio e isolados dos contactos com as demais pessoas ». Neste sentido , a Confederação realça a « importância de virem a ser contempladas na aprovação do Orçamento do Estado para 2021 medidas de valorização dos rendimentos dos reformados , pensionistas e idosos que assegurem a melhoria do poder de compra e combatam a pobreza que se acentuou com a epidemia ». a retoma do atendimento , vigilância e tratamento das doenças que foram interrompidas com a eclosão da epidemia ». « A realidade demonstrou o elevado nível de carência e de insuficiência de meios das estruturas dos lares para idosos , desprovidos de um plano de contingência coerente e adaptado , com graves carências de meios humanos e com elevada lotação de camas », uma « situação injusta e deplorável » que é , também , « consequência de políticas de desinvestimento dos sucessivos governos das últimas décadas que desinvestiram financeiramente na área da proteção social e se desresponsabilizaram em assumir globalmente a criação de uma Rede Pública de Equipamentos Sociais gerida pelo Estado », critica o MURPI .

Curiosidades

• Existem 600 milhões de pessoas com mais de 60 anos no mundo . Em 2025 este número será o dobro ;
• Segundo dados do Eurostat , Portugal será um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos e menor percentagem de população activa em 2050 ;
• O Instituto Nacional de Estatística prevê igualmente que no ano de 2050 , um terço da população portuguesa seja idosa e quase um milhão de pessoas tenha mais de 80 anos .