Visionários da Velocidade - Edição 2 2 - Page 9

Em cima a foto da da Norton-1935-M18-BG-1

Foi, quando de soslaio, olhou para a esquerda e viu uma brochura. Era uma bela brochura, antiga, desgastada pelo tempo, que lhe chamou muita a atenção. Sobranceiro tomou para si o livro sentiu o tato, e gelou. Aqui começa realmente a Lenda, reza a mesma, que ele nunca mais gelaria, seria sempre hot daí por diante, adrenalina pura, gasolina na veia. O título do livro era, A Psicologia de Jack O Estripador, de Corvelho Couto, escritor madeirense, onde Jorge Luiz Borges, pensava haver somente um exemplar, fato que cita no livro Memórias de Minhas Putas Tristes, e que se encontra na biblioteca de Mungello. Mas o garoto tinha o seu exemplar, e Brad, leu com atenção, muitas páginas, observou de como o assassino triturava suas vítimas sem o menor pudor, iniciando pela traquéia, sempre, por causa do silêncio necessário. Aqui este humilde escriba abre uns parênteses para explicar às feministas de plantão que não me crucifiquem, estou apenas narrando fatos. Assim Brad voltou a sorrir, um sorriso irônico. Resolveu que correria com a faca de Jack o Estripador nos dentes. Já era um avanço, mas ainda era pouco. Só que não sabia ainda.