Unidas do Luan e do Luan Jr - ULLJR Novembro - 2016 - Page 6

Como o sonho das meninas comoveu todos da cidade e uma rede de solidariedade se formou, para que o sonho fosse realizado. A primeira voluntária foi a Araci Teresinha Ricci; a mãe da professora, que é costureira, que fez os vestidos para as meninas.

No dia de provar os vestidos, as meninas se emocinaram. A Ariele teve a ajuda das amigas e da costureira para entender os detalhes do seu vestido, pois, ela perdeu a visão devido um câncer no cérebro. “Coloca a mãozinha aqui pra tu sentir o bordado”, dizia dona Araci. “Aqui ele é cheio de pedrinhas”, seguia Ariele, ao passar a mão sobre seu vestido. “Ficou muito lindo. Na minha cabeça, deve tá muito lindo”, comentou a adolescente. “Quando eu fiquei doente, eu achava que o meu problema era o mais grave. Não foi fácil. Mas a gente tem que sempre tentar, erguer a cabeça e olhar pra frente. A gente que passa por isso, a gente é guerreira mesmo! Tô muito feliz! Muito feliz mesmo…”, completa.

Já com os vestidos prontos, estava na hora de cuidas dos outros preparativos da festa. A rede de voluntários começou a aumentar: uma doceira, decoradora, cabelereira... e tudo foi organizado para o grande dia.

Em seus vestidos, as meninas entraram no são felizes e emocionadas -– assim como os convidados. Mas, o mais importante ainda estava por vir: a valsa. A surpresa a qual nenhuma delas poderia imaginar. Um ‘príncipe’ a caminho para dançar com elas. Luan foi convidado para a festa e aceitou.

A música começou a tocar e ele entrou no salão, as meninas vibraram. Entre as presenteadas, as que eram mais fãs do Luan, são a Ariele e a Keila, que não conseguiram segurar as lágrimas. O cantor, carionhoso e atencioso,