Trazendo-nos à glória - Page 23

1 de janeiro CONDUZINDO MUITOS FILHOS À GLÓRIA

Leitura : Hebreus 2.5-18
Porque convinha que aquele , por cuja causa e por quem todas as coisas existem , conduzindo muitos filhos à glória , aperfeiçoasse , por meio de sofrimentos , o Autor da salvação deles . ( Hebreus 2.10 )
Conduzir muitos filhos à glória é uma tarefa que Deus deve executar , caso venha de algum modo a fazê-lo , de forma que condiga com sua santidade , dignidade e amor . Simplesmente fazer um pecador adentrar à glória celestial por um ato repentino do poder divino não mudaria seu coração rebelde , egoísta , e o transformaria em um santo , tanto quanto de repente trazer um tigre para dentro da sua casa não o transformaria em um convidado cortês , cordial e bem comportado . Em primeiro lugar , é preciso que o pecador seja trazido ao arrependimento e perdão ; o rebelde seja reconciliado com Deus ; a mera criatura humana nasça de novo e se torne filho de Deus . Se a pessoa em questão pretende ter uma entrada amplamente suprida no reino eterno ( leia 2 Pedro 1.11 ), e lá portar um ‘ eterno peso de glória ’ ( 2 Coríntios 4.17 ), é absolutamente indispensável um processo , longo ou curto , de preparação , treinamento e depuração . E o sofrimento será parte inevitável do processo .
Então , a fim de conduzir seus muitos filhos à glória , Deus tinha de primeiro lhes fornecer uma origem e líder , um pioneiro e desbravador , da sua salvação . Depois , Deus devia possibilitar que ele se qualificasse como líder deles sofrendo ele mesmo em primeiro lugar . Como Filho de Deus pré-encarnado , ele desfrutava de infinito poder em igualdade com seu Pai . Mas , nesse tempo , quanto ele conhecia sobre o sofrimento por experiência pessoal ? Como , sem essa experiência pessoal de sofrimento , ele poderia sequer compreender e se compadecer do seu povo em seus sofrimentos ? É claro que ao dizer isso , o escritor de Hebreus não está impondo condições como exigências para Deus cumprir . Inspirado pelo Espírito Santo , ele está nos repassando como o próprio Deus se sentia quanto a tudo isso . Que gloriosa percepção do caráter de Deus isso nos concede ! Possuindo poder infinito , como Criador , ele tinha o direito de nos tratar da forma que lhe agradasse . Mas por ter decidido nos trazer à glória por meio de um caminho de sofrimento , sua infinita compaixão insistia que isso não fosse feito de qualquer jeito , mas de uma forma que fosse adequada , ainda que isso significasse o sofrimento do seu Filho .
3