Sofrimento - Page 6

JOSÉ - Sofrendo pelo bem Ryan Coleman Este artigo é o primeiro de uma série: "Santos que Sofreram". Nosso objetivo é incentivar os crentes em aflição, e parece adequado começar com um homem que Deus elevou desde os grilhões da prisão até o auge do poder. É digna a nota de que grande parte do Livro de Deus acerca das Origens, Gênesis, está ocupado com esse homem. José, desde que sua história foi registrada, é conhecido como aquele que sofreu por causa da justiça. Ele era um ramo bom e frutífero junto à fonte, cujos galhos correm sobre o muro (Gênesis 49:22 ARA). Sua vida inspira a muitos. Relembrando a Cena Nossa introdução a José deixa claro que ele era único, marcado pela honestidade e obediência à autoridade terrena e ao Deus celestial. Não há qualquer indício de ego na resposta característica a seu pai: "Eis-me aqui!" (Gênesis 37:13). Deus o destinou para o serviço ainda jovem, e seu relato honesto e sonhos fantásticos despertaram um ciúme sombrio e ameaçador entre seus irmãos. Eles rejeitaram a José e seus sonhos e o venderam como escravo, buscando um fim conveniente para a luz que ele derramava em seus corações manchados e egoístas. A escravidão o levou à casa de Potifar e, apesar do cenário ter mudado, o mesmo não pode ser dito a respeito do espírito de José e da sua longa provação. Em pouco tempo, José foi elevado em razão do seu caráter divino, e atendeu obedientemente a todas as necessidades de Potifar. Seu sucesso e boa aparência chamaram a atenção da esposa de Potifar, cujas mentiras e enganos aumentaram a rejeição e o sofrimento de José. Ele não se submeteria à sua maldade e pecado contra Deus (Gênesis 39:9). Como resultado, ele foi lançado na prisão e esquecido. No entanto, mesmo no cárcere, a integridade de José brilhava. O desonrado copeiro-mor de Faraó se viu em dívida com um homem piedoso que revelou sonhos pelo poder de Deus. Ironicamente, foram sonhos que levaram José, acorrentado, ao Egito, e sonhos o colocariam ao lado do trono de Faraó. Finalmente lembrado, José mostrou a sabedoria de Deus ao jovem e confuso Faraó. Sua sabedoria foi reconhecida e, após anos de sofrimento, José deixou a cisterna, a escravidão e a cela para governar a terra do Egito! A Realidade do Sofrimento Costumamos nos perguntar por que pessoas como José sofrem. De alguma forma, esperamos que a pecaminosidade do pecado os deixe em paz. Mas o sofrimento recai sobre toda a humanidade; é um produto do pecado. Cada um de nós está sujeito ao pecado neste mundo, com o sofrimento que o acompanha. Pode vir fisicamente, emocionalmente ou espiritualmente, e dói. Cristãos e pecadores gemem e labutam arduamente com a dor do pecado. O apóstolo Paulo escreveu que até nós, frutos do Espírito de Deus, gememos interiormente por causa do pecado (Romanos 8:22). José sofreu por fazer o que era correto em um mundo pecaminoso. Nós não lemos sobre suas próprias ações trazendo-lhe vergonha, mas as más atitudes dos outros o entristeceram (Gênesis 49:23). Como tal, ele é uma imagem do sofrimento pelo bem, para o que é certo e que honra a Cristo. Porém, isso não significa que a dor foi menor do que a 6