Sofrimento - Page 3

O PROBLEMA DA DOR A. J. Higgins A pergunta permanece: "E por que Deus não faz alguma coisa? Por que Ele não intervém e muda o que acontece no nosso mundo?" As evidências são amplas e mostram que Ele já fez isso uma vez e que Ele fará de novo. Mostram também que, de vez em quando, - nem sempre, é verdade - Ele continua a intervir. Está escrito que, no dia que está por vir, o "cetro de equidade é o cetro do teu reino". Esse cetro colocará tudo em ordem (Hebreus 1:8). Que esperança grandiosa! Deus permitiu que nosso mundo continuasse a existir. Ele não se alegra de forma alguma com o sofrimento humano. O Filho de Deus foi crucificado, há quase 2.000 anos, justamente para lidar com a raiz da tristeza e do sofrimento dos seres humanos. A Bíblia afirma: "Também Cristo padeceu uma vez pelos pecados" (1 Pedro 3:18). Ele sofreu, sentiu dor e derramou lágrimas. Ele sofreu pelos meus pecados, para que eu pudesse ser perdoado e entrar no céu. Só que Ele também sofreu pelo pecado para que Deus pudesse um dia fazer um mundo inteiramente novo, sem sofrimento e pecado. Esse mundo será povoado por aqueles que escolheram estar do lado Dele na grande batalha cósmica travada entre o pecado e a santidade, entre o "eu" e o Cristo. Um alerta aqui, pois a precaução é essencial. Apontar para um desastre natural ou para uma doença e dizer que este é o julgamento de Deus a respeito de um país ou do seu povo é um ato imprudente. É verdade, sim, que Deus julga as nações agora e os indivíduos na eternidade, mas nem sempre podemos dizer com certeza que uma tragédia ou um desastre natural se deve (ou não) ao julgamento de Deus. Aqueles que zombam dessa ideia dirão: "Caso vocês estejam certos, então isso prova que Deus fez muitos inocentes sofrerem junto com os culpados!" É bem possível que o livro de Jó seja o mais antigo da Bíblia. Se for o caso, então isso levanta uma questão importante. Nós vemos um homem que teve sua vida marcada pelo sofrimento e que, em seu sofrimento, não recebeu compaixão, pena, conforto ou compreensão de terceiros. Pelo contrário, ele foi falsamente acusado e então amaldiçoado. Ele foi acusado de um pecado secreto e de ser hipócrita. O mais antigo livro da Bíblia nos fornece uma prévia do Calvário. Ele também nos dá uma compreensão do sofrimento permitido por Deus. Tiago nos lembra a respeito do fim do sofrimento, que o Senhor é "muito misericordioso e piedoso" (Tiago 5:11). Deus não aflige ninguém por capricho ou só por querer. Todo pensamento de Deus tem como fim a bênção de Suas criaturas. Ele não é capaz de fazer qualquer coisa que não seja o bem. Este certamente não é o mundo perfeito que Deus quer para nós, mas é o melhor mundo possível no caminho para aquele que será o melhor que alguém é capaz de imaginar. Deus ainda não colocou um ponto final nesta história, mas nós já sabemos qual será o desfecho dela. 3