Sofrimento - Page 18

PAULO - Sofrendo pela verdade Ryan Coleman A dedicação do apóstolo Paulo à obra de Deus encerra o livro dos Atos dos Apóstolos, e suas cartas fervorosas compõem grande parte do nosso Novo Testamento. Sua obediência ao Espírito de Deus deixou um tremendo impacto na igreja primitiva, embora tenha resultado de um grande sacrifício pessoal. Os capítulos finais de 2 Coríntios revelam quão profundamente o apóstolo sofreu pelas igrejas, e por aquela em Corinto em particular. Relembrando a Cena Paulo visitou Corinto pela primeira vez em sua segunda jornada missionária. Ele passou um ano e meio pregando o evangelho e estabelecendo a igreja local antes de navegar para Éfeso. Infelizmente, os cristãos de Corinto se tornaram orgulhosos e egoístas após sua partida. Eles se dividiram em panelinhas, seguindo pregadores e doutrinas, em vez de se unirem em nome de Cristo (1 Coríntios 1:12). Por não ser o favorito deles, alguns até questionaram a indicação de Paulo como um servo de Deus com autoridade (1 Coríntios 4:1-4). Mas o coração de Paulo nunca abandonaria os salvos dali nesta difícil situação, e ele enviou mensageiros e cartas para fortalecê-los antes de voltar a visitá-los em sua última viagem missionária. Ele escreveu uma epístola repreendendo a desobediência deles e os encorajou a voltar a Cristo. Sob sua direção, a igreja local recebeu visitas de Apolo, Timóteo e Tito (Atos 18:27; 1 Coríntios 16:10; 2 Coríntios 7:13). Com paciência, o apóstolo os advertiu pelo Espírito de Deus. Ele contristou-se pelo bemestar espiritual deles, e derramou lágrimas pela sua dor (2 Coríntios 2:1-4). Felizmente, muitos dos cristãos em Corinto o ouviram e responderam à primeira carta de Paulo. Ele expressou calorosamente seu cuidado e contentamento por sua reconciliação com Deus nos nove primeiros capítulos da sua segunda carta. Mas, apesar de todos os seus esforços, permaneceram ali, ainda, alguns falsos mestres e incrédulos em Corinto que desafiaram a obra de Deus (2 Coríntios 11:13). Paulo admoestou os agitadores com plena autoridade apostólica. Ele revelou a profundidade de seu amor e sofrimento pela igreja em Corinto. As palavras são firmes e poderosas, e expressam seu desejo sincero de vê-los edificados em Cristo, e não destruídos. A Realidade do Sofrimento Paulo sofreu nas mãos dos pecadores. Os judeus orgulhosos e religiosos açoitaram o pregador do evangelho, o apedrejaram e o deixaram como morto. Enquanto viajava, salteadores pagãos o colocaram em perigo, e os oficiais gentios tentaram silenciá-lo na prisão. Falsos irmãos tentaram arrancar cada estaca doutrinária que ele estabelecera em Corinto (2 Coríntios 11:26, 32). O Senhor Jesus disse: “Não há profeta sem honra, a não ser na sua pátria e na sua casa” (Mateus 13:57). Em conformidade com tais palavras, o apóstolo sofreu nas mãos dos crentes. Muitos recusaram seus ensinamentos e desconsideraram a seriedade de suas reivindicações. Os crentes zombaram de sua pregação, sua aparência e seu caráter (2 Coríntios 10:10). Eles o acusaram falsamente de usar seu apostolado para ganho pessoal (1 Coríntios 9:1-14). 18