Revista Ice Brasil - Fevereiro Fevereiro 2017 - Page 6

Foto : Divulgação

UMA

TEMPORADA DE CRESCIMENTO

Com bons resultados , Bobsled do Brasil aproxima-se da vaga olímpica e ganha respeito internacional

A ntes visto como “ intruso ” nas

principais competições , o bobsled brasileiro mudou de status neste ciclo olímpico . Elogiado pelo profissionalismo e bons resultados dentro e fora das pistas , o país transformou-se no exemplo a ser seguido - e espera conquistar muito mais nos próximos anos . Após os Jogos Olímpicos de Sochi , a equipe do Brasil , formada pela mesma base , deu um salto de qualidade nos principais torneios da IBSF ( Federação Internacional de Bobsled e Skeleton ). Cada vez mais rápidos , os brasileiros já estão no Top 20 do ranking internacional do 4-man e melhoram prova a prova ( veja mais ao lado ).
Por trás dessa evolução está o trabalho desenvolvido por duas técnicas britânicas : Jo Manning e Nicola Minichiello ( esta última campeã mundial de bobsled em 2009 e com três participações olímpicas ). Contratadas após parceria com a IBSF , elas trouxeram um novo ritmo de treinos e experiência internacional para os brasileiros .
Assim , diferentemente das edições anteriores , o bobsled do Brasil caminha para obter a vaga olímpica em PyeongChang de forma tranquila . Atualmente o país está no grupo de nações com direito a levar um trenó 4-man e outro 2-man para a Coreia do Sul . O período pré-olímpico termina em 14 de janeiro de 2018 . Caso confirme a vaga , será a quarta participação olímpica do trenó nacional - também esteve presente nas edições de 2002 , 2006 e 2014 .