Revista de Medicina Desportiva Setembro 2020 Setembro 2020 - Page 34

Association of Normal-Weight Central Obesity With All-Cause and Cause-Specific Mortality Among Postmenopausal Women
Rev . Medicina Desportiva informa , 2020 ; 11 ( 5 ): 32 . https :// doi . org / 10.23911 / Res _ obesidade _ central _ 2020 _ set

Resumo

Association of Normal-Weight Central Obesity With All-Cause and Cause-Specific Mortality Among Postmenopausal Women

Yangbo Sun et al . JAMA Netw Open . Julho 2019 ; 2 ( 7 ): e197337 .
Dr . Basil Ribeiro Medicina Desportiva . Al Nassr FC Riade , KSA
Tradicionalmente , e em termos clínicos , utiliza-se o Índice de Massa Corporal ( kg / m 2 ) para definir o nível de obesidade das pessoas . Esta relação entre o peso , expresso em kgs , e a estatura , expressa em metros , é interessante e prática . Contudo , não fornece informação global , pois o peso não distingue o músculo e o osso da gordura ( afinal , é o que se pretende averiguar ), assim como não identifica a localização corporal da gordura . A obesidade central , isto é , a distribuição relativamente elevada de gordura no abdómen , e que se mede em torno do abdómen ou da cintura , é considerada fator de risco de doença cardiovascular , mas aquela “ barriga de cerveja ” continua a ser o orgulho de muitos homens e de poucas , mas algumas , mulheres . E qual a relação com a mortalidade ? Os autores deste estudo realizado em mulheres pós-menopáusicas , publicado em julho de 2019 , quiseram fizeram a pergunta : “ De que modo a obesidade central com peso normal está associado a risco de mortalidade em comparação com outros fenotipos antropométricos ?”
Este estudo de coorte , prospetivo , realizado a nível nacional nos EUA , envolveu 156 624 mulheres pós- -menopausa ( 63,2 ± 7,2 anos de idade ), recrutadas de 40 centros clínicos entre 1993 e 1998 e observadas em fevereiro de 2017 . Em relação ao IMC , foi definido peso normal entre 18,5-24,9 kg / m 2 , excesso de peso de 25,0 a 29,9 e de obesidade > 30 , e o perímetro da cintura normal inferior a 88cm e elevado quando superior a 88cm . Os Resultados revelaram que no período em análise houve 43 838 mortes , das quais 12 965 foram por doença cardiovascular ( 29,6 %) e 11 828 ( 27 %) por cancro . Após o controlo de vários fatores , os autores constataram que em relação às mulheres com peso normal e sem obesidade central , a taxa de risco ( hazard ratio ) para mortalidade por todas causas foi :
• 1,31 ( 95 % CI , 1.20-1.42 ) para as mulheres com peso normal e com obesidade central
• 1.30 ( 95 % CI , 1.27-1.34 ) para as mulheres com obesidade e com obesidade central
• 1.16 ( 95 % CI , 1.13-1.20 ) para as mulheres com excesso de peso e com obesidade central
• 0.93 ( 95 % CI , 0.89-0.94 ) para as mulheres com obesidade e sem obesidade central
• 0.91 ( 95 % CI , 0.89-0.94 ) para as mulheres com excesso de peso e sem obesidade central . Os resultados revelam que a taxa de risco é sempre superior nas mulheres com obesidade central , o que foi constatado quando a análise foi realizada em mulheres com e sem obesidade central e com peso normal . Agora , a taxa de risco de mortalidade por doença cardiovascular foi igual a 1.25 ( 95 % CI , 1.05-1.46 ) e por cancro foi de 1.20 ( 95 % CI , 1.01-1.43 ).
Os resultados deste estudo estão de acordo com os publicados no estudo que envolveu 7249 mulheres ( National Health and Nutrition Examination Survey – NHANES – III ), publicado em 2015 , e que verificou que as mulheres com peso normal , mas com obesidade central , têm risco elevado de morte por todas as causas , de risco semelhante em relação às mulheres obesas e com gordura central . O estudo publicado em 2017 e realizado no Reino Unido revelou padrão semelhante , mas não encontrou relação com a mortalidade por cancro , a exemplo do estudo anterior . Estes estudos chamam a atenção para o problema da gordura visceral ( acumulação de gordura dentro do abdómen ), avaliada através do perímetro da cintura , sendo uma referência superior ao IMC na determinação de risco de morte . Esta gordura visceral tem sido associada à resistência à insulina , hiperinsulinemia , dislipidemia e inflamação , conhecidos fatores de risco para várias doenças , ao contrário da massa muscular , a qual se associa a melhor perfil metabólico .
Os autores referem que estes resultados são importantes , já que as pessoas com peso normal , determinado através do IMC , independentemente da gordura central , têm sido consideradas como pessoas clinicamente normais , que não necessitam de intervenção terapêutica de acordo com as diretrizes clínicas , perdendo-se assim a oportunidade para a sua correção . Aliás , as guidelines publicadas em 2013 pela American Heart Association , American College of Cardiology e pela Obesity Society recomendavam a medição do perímetro da cintura apenas nas pessoas com excesso de peso / obesidade , mas não naquelas com peso normal ( definido pelo IMC ). Este conteúdo poderá induzir em erro as pessoas com obesidade central , mas com peso normal , que estão de facto em risco , referem os autores do estudo . Estes sujeitos poderão beneficiar de programas de redução do risco , como seja modificações no estilo de vida . Os autores concluem que “ as mulheres com peso normal , mas com obesidade central , têm risco aumentado de mortalidade , semelhante às mulheres com obesidade definida pelo IMC e com obesidade central ”.
https :// www . blissnatura . pt / os-tipos-de- -obesidade
32 setembro 2020 www . revdesportiva . pt