Revista de Medicina Desportiva Setembro 2020 Setembro 2020 - Page 29

Tema 2

Rev . Medicina Desportiva informa , 2020 ; 11 ( 5 ): 27-29 . https :// doi . org / 10.23911 / Exercicio _ dialise _ 2020 _ set

O Exercício Físico na Sessão de Hemodiálise

Dr . Gonçalo Engenheiro 1 , 3 , Dra . Inês Táboas 1 , 4 , Dra . Ana Castro 2 , 4
1
Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga ; Serviço de Nefrologia do Centro Hospitalar e Universitário do Porto ; 3 Interno de Formação Específica ; 4 Assistente Hospitalar . Santa Maria da Feira .
RESUMO / ABSTRACT
A hemodiálise é das principais terapêuticas na Doença Renal Crónica Terminal . Nesta população , a maioria das intervenções de exercício consiste em 2-3 sessões intradialíticas semanais , de 30-90 minutos , privilegiando exercício aeróbio de intensidade moderada . O treino de endurance de intensidade baixa e o treino muscular também são benéficos . As complicações potenciais são raras : hipotensão , fadiga , cãibras e hemorragia do acesso vascular . Os programas de exercício intradialítico mostraram benefícios físicos inclusive nos idosos , pelo que a sua implementação deve ser encorajada . complicações associadas ao exercício ( hipotensão e cãibras musculares ), particularmente quando as sessões foram efetuadas para além das duas primeiras horas de diálise 11 , 12 ( 33 % das sessões não completadas 12 ), e ao acesso vascular no membro superior ( deslocação da agulha de diálise , com risco de hemorragia ) 9 , embora sem registo de intercorrências graves . O problema do acesso vascular pode ser contornado privilegiando exercícios de membro inferior durante a diálise , deixando o treino de membros superiores para períodos pré- -sessões dialíticas . 3 , 9
Não encontramos estudos que abordassem o efeito direto dos programas na mortalidade .
Hemodialysis is a main therapeutic for End-Stage Chronic Kidney Disease . In this population , the majority of exercise interventions consist of 2-3 weekly intradialytic sessions , 30-90 minutes long , focusing on moderate intensity aerobic exercise . Low intensity endurance and muscular trainings are also beneficial . Possible complications are rare : hypotension , fatigue , muscle cramps and vascular access hemorrhage . Intradialytic exercise programs have proven to be physical beneficial even in elderly patients and therefore should be widespread .
PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS
Doença renal crónica , hemodiálise , exercício Chronic kidney disease , hemodialysis , exercise
Introdução
A prevalência da Doença Renal Crónica Terminal ( DRCT ) tem aumentado globalmente . Portugal segue esta tendência e regista inclusive das mais elevadas taxas de incidência e prevalência da Europa . 1 60.8 % dos portugueses com DRCT fazem hemodiálise ( HD ) 1 , a modalidade mais popular de terapia de substituição da função renal . 2 A maioria tem idade superior a 50 anos 1-3 , com uma taxa de mortalidade elevada 2 , 4 , sendo o risco ainda superior nos sedentários . 4 , 5 Apesar disto , esta população apresenta baixos níveis de atividade física 6 , 7 , com os programas de exercício a ser raramente implementados . 8 A tentativa de aproveitar as sessões de diálise ( cerca de 2-3 sessões semanais de 3-5 horas diárias ) para promover programas de exercício remonta já aos anos 1980s 9 , mas só neste século é que a investigação tem vindo a aumentar , com os primeiros programas portugueses a iniciarem em 2014 .
Assim , os objetivos deste trabalho são identificar : 1 ) benefícios e malefícios , 2 ) motivações e barreiras e 3 ) modalidades de exercício intradialítico mais adequadas .
Métodos
Uma pesquisa na PubMed ( MeSH “ hemodialysis ” and “ intradialytic exercise ”) até 31 de Dezembro 2018 identificou 13 artigos relevantes . Apenas foram incluídos artigos completos ou informação neles contida acerca de intervenções de exercício intradialítico , excluindo trabalhos que apenas abordaram intervenções antes e / ou após sessões de HD .
Resultados
1 . Benefícios e Malefícios A nível físico os protocolos de exercício registam benefícios na capacidade de endurance e da força muscular . 8-10 A eficácia do processo dialítico também parece sair beneficiada com aumento da remoção do dialisado . 9 Por outro lado , os efeitos na componente mental 10 e na qualidade de vida 11 revelam-se contraditórios .
No que concerne aos malefícios 3 , 8 , 9 , 11 , 12 , reportam-se sobretudo
2 . Motivações e barreiras Questionários 7 , 13 e entrevistas telefónicas 14 a pacientes e profissionais de saúde identificaram as barreiras mais reportadas para o exercício em geral : fadiga associada à diálise , comorbilidades e falta de motivação ( principal entrave 7 ). As preocupações com a segurança e tipologia do exercício , o impacto na carga de trabalho dos profissionais de saúde e a resistência à mudança das rotinas das unidades de diálise foram barreiras identificadas especificamente para o exercício intradialítico . 14 Por outro lado , a existência de apoio por parte de amigos , família e profissionais de saúde é a principal motivação para o doente . O envolvimento de profissionais do exercício ( fisiologistas , fisioterapeutas etc .) é tido como determinante para aumentar a eficácia , segurança e adesão aos programas . 15
A idade do doente é por vezes vista com um entrave para o exercício . 3 , 13 No entanto , um estudo germânico 9 verificou que a idade não deve constituir barreira formal ao exercício , uma vez que pacientes idosos podem inclusive responder melhor aos programas de exercício , o que se demonstra pelos maiores níveis de adesão registados ( 85 % de participação na totalidade das sessões de treino vs 72 % nos mais jovens e com maior nível de funcionalidade ). Ao fim de 6 meses de programa , deste grupo de 17 indivíduos com média de idades de 72 anos , 8 passaram a completar com sucesso uma prova física de 10 minutos em
Revista de Medicina Desportiva informa setembro2020 27