Revista de Medicina Desportiva Janeiro 2021 - Page 7

do treino funcional , de equilíbrio e de fortalecimento muscular , três ou mais dias por semana , com importante impacto na funcionalidade , na prevenção do risco de queda e na osteoporose , mais prevalente neste grupo etário .
Como novidade em relação às Guidelines de 2010 , e com o intuito de preencher falhas importantes nas recomendações internacionais , surgem orientações para a prática de atividade físico nas mulheres grávidas e puérperas . A evidência afirma que a prática regular de atividade física durante a gravidez e período pós-parto confere benefícios maternos e fetais , tais como a redução do risco de pré-eclampsia , hipertensão gestacional , diabetes gestacional , ganho ponderal excessivo durante a gravidez , complicações durante o parto e depressão pós-parto , não revelando aumento do risco de parto pré-termo , complicações do recém-nascido ou efeitos adversos do peso à nascença . Desta forma , a WHO recomenda que todas as grávidas e puérperas , sem contraindicações , realizem atividade física regular durante este período , de pelo menos 150 minutos por semana , de moderada intensidade , devendo esta incluir uma variedade de exercícios aeróbios combinados com exercícios de fortalecimento muscular . A realização de exercícios de fortalecimento do pavimento pélvico neste grupo populacional poderá ter benefício na prevenção da incontinência urinária . Após o primeiro trimestre de gravidez devem ser evitados exercícios realizados na posição supina e os desportos de impacto , com alto risco de queda e que envolvam a limitação da oxigenação ( altas altitudes ). As mulheres grávidas a realizar desporto de alta competição devem ser acompanhadas pelo médico assistente .
Também os indivíduos com patologias crónicas foram incluídos nas novas orientações , considerando-se que a prática de exercício físico acarreta benefícios cardiovasculares evidentes , sendo estes superiores aos riscos nos doentes com neoplasias , hipertensão arterial ou diabetes mellitus tipo 2 sem outras contraindicações . De igual modo se destaca que a realização de atividade física é considerada segura e benéfica para pessoas com incapacidades , nomeadamente em doenças como a esclerose múltipla , a lesão medular , défices cognitivos , doença de Parkinson , acidente vascular cerebral , depressão major , esquizofrenia e perturbação de hiperatividade e défice de atenção sem contraindicações identificadas , não havendo riscos major quando esta prática é ajustada à capacidade individual , estado de saúde e nível funcional , se necessário com ajuda especializada na identificação do tipo e quantidade de exercício adequado .
Ainda , e no âmbito destas novas recomendações , a WHO tentou estabelecer limites de tempo para comportamentos sedentários , algo que poderia ser uma mais-valia na quantificação dos períodos máximos recomendados para estes comportamentos , o que à luz da evidência atual infelizmente não foi possível concretizar . Intensificam as recomendações gerais sobre a quebra de períodos longos de sedentarismo
com momentos de atividade , mesmo que leve , com vista à potencialização dos benefícios adquiridos com a atividade física regular .
Por último , a WHO apela a todas as instituições governamentais e não-governamentais do setor social e privado para a criação de estratégias adequadas à realidade de cada país e de cada setor , no sentido de promover as condições para uma vida diária mais ativa e saudável , reiterando que qualquer atividade física , mesmo que aquém do recomendado , apresenta mais benefícios para a saúde do que nenhuma atividade .
a )
Bull FC , Al-Ansari SS , Biddle S , et al . World Health Organization 2020 guidelines on physical activity and sedentary behaviour . British Journal of Sports Medicine 2020 ; 54:1451-1462 .
Bibliografia
1 . World Health Organization . Global action plan on physical activity 2018-2030 : more active people for a healthier world . Geneva : World Health Organization , 2018 .
2 . World Health Organization . Global recommendations on physical activity for health . Geneva : World Health Organization , 2010 .
3 . World Health Organization . Guidelines on physical activity and sedentary behaviour . Geneva : World Health Organization , 2020 .
4 . Guthold R , Stevens GA , Riley LM , et al . Worldwide trends in insufficient physical activity from 2001 to 2016 : a pooled analysis of 358 population-based surveys with 1 · 9 million participants . Lancet Glob Health 2018 ; 6 : e1077 – 86 .
Revista de Medicina Desportiva informa janeiro 2021 · 5