Revista de Medicina Desportiva Janeiro 2021 - Page 6

irritabilidade , tristeza , agressividade , confusão , aborrecimento e dificuldade de concentração . A equipa médica deve estar atenta a estes sinais e sintomas e pode implementar algumas medidas , como por exemplo , educar os atletas em técnicas de gestão de stress para minimizar os seus efeitos , realizar avaliações periódicas do stress ou abordar a disfunção do sono .
O artigo realça nas recomendações o esforço na educação dos atletas , a implementação de técnicas de manutenção do stress , a elaboração de planos de redução da carga / volume do treino e das competições , a análise dos padrões de sono e do estado psicológico de cada atleta . É importante a medição e monitorização da carga , sobrecarga e recuperação , existindo uma grande variedade de ferramentas e tecnologias desenvolvidas para o realizar . Propõem análises de rotina , questionários psicológicos ( POMS , REST-Q Sport , Pittsburgh Sleep Quality Index ), questionários que avaliem a sensação de esforço e o cansaço , avaliações do estado nutricional , uso de RMN e outros exames de imagem , testes isocinéticos , dispositivos que possam ser usados pelos atletas para o fornecimento de dados biológicos tradutores do esforço individual no exercício , as massagens , a hidroterapia e outros .
A problemática abordada neste artigo atinge todos os atletas , em todas as modalidades e de forma recorrente , onde as desvantagens fisiológicas e psicológicas limitarão a capacidade do atleta no atingimento do potencial máximo em contexto competitivo e impossibilitando a prática do exercício perante a lesão grave . A otimização individual dos treinos , as avaliações psicológicas e nutricionais mais rigorosas e a imposição de períodos de descanso , a limitação de número de competições , quando possível e se necessário , deve ser implementado pelas equipas , de forma a ajudar a combater a problemática discutida neste texto .
1 . Alunos do Curso de Pós-Graduação em Medicina Desportiva da Faculdade de Medicina do Porto ( 2019-2020 )
2 . Stanley A . Herring , M . D ., Chair . Load , Overload , and Recovery in the Athlete : Select Issues for the Team Physician – A Consensus Statement . Med Sci Sports Exerc . 2019 Apr ; 51 ( 4 ): 821-828 . doi : 10.1249 / MSS . 0000000000001910 .
World Health Organization 2020 Guidelines on Physical Activity and Sedentary
Behaviour a )
Dr . Filipe Ermida , Dra . Xénia Verraest Médicos Internos de Formação Específica em Medicina Física e de Reabilitação . CMRRC – Rovisco Pais , Tocha Alunos do Curso de Pós-Graduação em Medicina Desportiva da Faculdade de Medicina do Porto ( 2020-2021 )
Resumo / comentário
Na sequência da aprovação pela World Health Assembly do Global Action Plan on Physical Activity para a década 2018-2030 , a World Health Organization ( WHO ) publicou , no início de Dezembro de 2020 , as novas recomendações sobre atividade física e comportamentos sedentários .
Estudos recentes da WHO estimam que cerca de 27,5 % dos adultos e 81 % dos adolescentes não cumprem as recomendações para o exercício aeróbio , definidas nas orientações de 2010 da WHO , no âmbito da atividade física para a saúde , situação que se tem agravado nos últimos anos . Assim , as novas recomendações , agora publicadas , visam atualizar as recomendações de 2010 , proporcionando maior abrangência da população alvo , quer ao nível das diferentes faixas etárias , quer ao nível de grupos específicos , como mulheres grávidas e no pós-parto ou indivíduos portadores de deficiências psicomotoras . Por conseguinte , e à luz das mais recentes evidências científicas , surgem estas guidelines num objetivo bem definido : reduzir a inatividade física em 15 %, nos adolescentes e nos adultos , até 2030 .
Na análise às recomendações , agora apresentadas , surge uma mensagem clara e reforçada : alguma atividade é melhor do que nenhuma atividade . Esta mensagem é endossada a todos os grupos populacionais , sendo que os eventuais riscos de saúde podem ser diminuídos com
o início gradual de atividade física , incrementada ao longo do tempo na sua frequência , intensidade e duração , traduzida em manifestos ganhos de saúde .
Não obstante , a WHO , procurando uma maior universalidade e prossecução da sua mensagem dos benefícios da atividade física regular , definiu que de uma forma geral os indivíduos sem contraindicações para a prática de atividade física , mesmo previamente sedentários ou a realizar atividades de intensidade moderada , não necessitam de uma avaliação médica prévia .
A WHO , com esta recomendação , pretende reforçar a ideia de que atividade física deve ser acessível a toda a população , não limitada por questões económicas ou de acessibilidade , principalmente em países em vias de desenvolvimento . Tem em vista atingir não só as entidades governamentais nos demais países , como também grupos particulares , como profissionais de educação e de saúde .
Nas novas orientações , a WHO recomenda como desejável , no adulto dos 18 aos 65 anos de idade , a prática de exercício físico regular , ao longo da semana , de 150 a 300 minutos de atividade aeróbia moderada ou 75 a 150 minutos de atividade aeróbia vigorosa . Retifica , com evidência científica , as guidelines de 2010 , designadamente na adição de um limite superior de tempo recomendado por falta de evidência de grandes benefícios adicionais para a saúde ao ir além do tempo necessário , em particular no risco cardiovascular . De igual modo , atividades abaixo do limite temporal inferior são vistas como positivas , considerando que qualquer atividade física é mais benéfica que nenhuma . Especial enfâse é tida para com as crianças e adolescentes , com elevados níveis de sedentarismo , sobretudo à frente de écrans , potenciadores de problemas a nível musculosquelético , psicológico e cardiovascular , sendo recomendado atividade física moderada a vigorosa , em média 60 minutos diários , com evidentes benefícios físicos , mentais e cognitivos . Também para a população idosa (> 65 anos ), aplicam-se as recomendações e objetivos para o adulto , acrescentando a necessidade
4 janeiro 2021 www . revdesportiva . pt