Revista de Medicina Desportiva Janeiro 2021 - Page 32

Figura 6 – Edema medular ósseo púbico , bilateral , ligeiramente assimétrico , mais extenso no osso púbico direito
Figura 5 – Avaliação por RM de diagnósticos diferenciais num contexto de dor púbica em atletas ; A : rotura completa por avulsão da inserção púbica do tendão do músculo adutor longo ; destacamento teno-aponevrótico completo da inserção púbica do tendão do músculo adutor longo enxertado em alterações entesopáticas ; C : bursite / paratendinite do tendão do iliopasoas ; D : lesão da parede anterior do canal inguinal por rotura da aponevrose do músculo oblíquo externo ; E : reação de stress do colo femoral ; F : conflito femoro-acetabular tipo CAM com lesão labral acetabular .
Figura 7 – Edema medular ósseo púbico , unilateral , a envolver a região para-sinfisial do osso púbico esquerdo .
Figura8 – Edema ósseo subcortical ântero- -medial dos ossos púbicos , associado a ténue edema muscular adutor esquerdo e rotura cápsulo-enteseal bilateral – sinal da fenda secundária bilateral .
Figura 9 – Persistência de achados imagiológicos na entese púbica dos músculos adutores e na sínfise púbica ao longo de mais de 12 meses .
O segundo padrão é o mais comum na RM de dor púbica de longa evolução , particularmente em jogadores de futebol de elite , e é muito mais localizado em comparação com o padrão referido antes . Nesse padrão , o edema da medular ósseo púbico é assimétrico , com um lado mais afetado do que o outro , e tende a ser muito mais focal , com localização na medular óssea subcortical no púbis ântero-medial ( Figura 7 ).
Coexiste edema da cápsula anterior adjacente , dos ligamentos capsulares e da entese das aponevroses dos músculos adutor longo e reto abdominal . 5-7 Estas alterações edematosas podem estender-se caudalmente para os músculos adutores . As alterações edematosas são mais bem visualizadas nas imagens oblíquas axiais e nas imagens coronais , onde a alteração capsular e enteseal também foi descrita como o sinal de fenda secundária quando há rotura parcial dessas estruturas capsulo- -enteseais ( Figura 8 ).
Apesar do aprimoramento dos aparelhos de RM e as respetivas antenas tornarem o recurso a injeção endovenosa de contraste paramagnético cada vez mais raro , ocasionalmente usa-se a injeção endovenosa de contraste com gadolíneo para tornar estas alterações mais conspícuas através do realce nas sequências pós-gadolínio . Este facto pode ser explicado pelo processo lesional ser predominantemente constituído por tecido de granulação que , embora não edematoso , é mais vascular do que o tecido capsular e enteseal normal .
Semelhante a outras modalidades imagiológicas , a irregularidade
30 janeiro 2021 www . revdesportiva . pt