Revista de Medicina Desportiva Informa Novembro 2019 - Page 4

Rev. Medicina Desportiva informa, 2019; 10(5):2. https://doi.org/10.23911/Entrevista_2019_11 Que ações concretas têm sido já desenvolvidas? Ft. Nuno Pombeiro Linha Única, Lda É fisioterapeuta e empresário. O que o encanta mais? Sou fisioterapeuta há 35 anos porque me encanta e amo a profissão! Penso que ninguém conseguiria aqui andar sem interrupções durante este tempo e com uma grande carga horária sem encanto e paixão! Numa primeira fase (10 anos) investi somente na formação e na aprendizagem da profissão. Depois, comecei a pensar que poderia juntar o empreende- dorismo à minha profissão e que só teria a ganhar! Assim, posso dizer que gosto das duas situações e que me sinto bem em “qualquer pele”. É agora um dos novos parceiros desta Revista. O que o motiva? O que nos motiva é este projeto bri- lhante e único, que há muito admiro, e pensar que se, no nosso País, as pessoas se unissem e ajudassem mais poderíamos fazer coisas ainda melhores! Não há hábitos de parce- rias em Portugal, quer de pessoas, quer de empresas. Aqui a motivação é engrandecer este magnífico traba- lho, melhorar e internacionalizar. Acredita mesmo que esta Revista vai crescer bastante a partir de agora? Tenho quase uma certeza absoluta! Não só pela própria Revista, como pelas pessoas envolvidas. Os 10 anos da Revista são uma responsabili- dade séria e desafiadora. Estabelece- mos esta parceria para continuar a fomentar o conhecimento e a criar valor para toda a comunidade da medicina desportiva. O objetivo é potenciar o crescimento da Revista, otimizando o que já foi desenvolvido e criando novos conteúdos e projetos, sempre associados à marca “Revista de Medicina Desportiva Informa”. 2 novembro 2019 www.revdesportiva.pt Nesta primeira fase estamos a organizar processos administrati- vos e comerciais, a contribuir para que a componente editorial – ligada ao conhecimento – se robusteça, a desenvolver meios de comunicação e marketing e a estabelecer novas par- cerias a nível de conteúdos. Numa segunda fase (muito próxima), con- centraremos o nosso foco na inde- xação da Revista e no reforço da sua credibilidade científica. Estas ações aliadas a todo o passado e presente da Revista permitirão um cresci- mento sustentado e uma visibilidade reforçada. Gostaria de salientar a importância estratégica do alinha- mento de todas estas vertentes para que possamos, de forma contínua e inovadora, ser um projeto de refe- rência nacional e internacional. 5. O site da Revista estava um pouco “gasto”. Vai ser renovado e ter um novo layout? Estamos a trabalhar com uma agên- cia de comunicação e brevemente teremos novidades. As principais caraterísticas do novo site residem na legibilidade, navegabilidade, rapidez, atualização dinâmica, interatividade e funcionalidade. A sinergia off-line / on-line da Revista deve, à semelhança de muitas áreas e negócios, revelar-se na existência de um conceito de omnicanalidade – revista física, site, presença em redes sociais selecionadas e parce- rias com diferentes parceiros nos canais digitais e/ou tradicionais. Todos os desenvolvimentos que temos previsto assentam num con- ceito transversal e potencialmente benéfico de parcerias com diferentes stakeholders. Mas há projetos a desenvolver que esta Revista não contemplava. Pode desvendar alguns? Temos várias possibilidades, com diferentes graus de prioridade, mas não é segredo que queremos voltar a realizar os “Jogos Médicos” em 2021. Queremos atrair mais profissio- nais ligados à Medicina Desportiva para fazerem crescer a comuni- dade à volta da Revista. A nível de formação, iremos apresentar um projeto diferenciador e inovador, complementando a promoção e divulgação de artigos e estudos e contando sempre com parceiros relevantes e credíveis. A Revista tem de ser um veículo privilegiado na difusão de tudo o que se faz a nível de Medicina Desportiva no nosso País e ser um pilar integrador de todos os players que atuam e querem atuar nesta temática. … e haverá parcerias com outras entidades, desportivas, científicas ou associativas? Isso é fundamental para a Revista, que já o vem fazendo desde a sua fundação. A Revista é muito apre- ciada e referenciada. Conforme já referi, esta colaboração que surge agora com a Revista assenta num conceito de sinergias mutuamente benéficas, numa junção de compe- tências diferenciadoras e comple- mentares e numa identificação de um relevante potencial de cresci- mento. Não poupamos palavras quando queremos relevar a possibi- lidade de potenciar resultados atra- vés de parcerias, entendem parceria como um processo de associação/ colaboração entre pessoas que visa uma sustentabilidade empresarial, um reforço da confiança e prefe- rência dos vários stakeholders, um fortalecimento das operações e uma melhoria dos resultados. No caso concreto da Revista, iremos desen- volver ações específicas conducen- tes a uma natural atratividade por parte de organizações – científicas, clínicas ou empresarias – em querer pertencer a este projeto inigualável no panorama nacional. Que mensagem quer deixar aos atuais leitores? A primeira e mais importante palavra é de agradecimento a todos (em particular, ao seu mentor e líder Dr. Basil Ribeiro) que contribuí- ram para que a Revista, após estes 10 anos, possa estar neste patamar de credibilidade e referência. A segunda mensagem é de confiança, crescimento e inovação para que a Revista seja ainda mais apetecível e abrangente. Estamos neste pro- jeto para aplicarmos a competência que nos permitiu estabelecer esta colaboração: atuar em parceria para que todos os envolvidos na temática da Medicina Desportiva, em geral, e na Revista, em particular, se possam orgulhar de participarem, direta ou indiretamente, no seu sucesso.