Revista de Medicina Desportiva Informa Novembro 2019 - Page 21

caracterizados por género e faixa etária. Os acidentes foram caracte- rizados relativamente ao horário e perímetro de ocorrência após corre- ção dos dados disponíveis, com base no entendimento de que as U/E/O são definidas pelos seus perímetros de jurisdição e não somente pelas áreas edificadas, e correção das situações relatadas indevidamente pela U/E/O de origem do aciden- tado. Decorrente desta validação, os acidentados foram caracterizados quanto ao vínculo à U/E/O onde ocorreu o acidente. Os acidentes foram caracterizados quanto à modalidade praticada e periodicidade da sua prática, tipo, local e contexto. As lesões decorren- tes do acidente foram classificadas quanto à natureza e localização anatómica. As consequências dos acidentes foram tipificadas por diferentes graus de incapacidade. Ao longo de todo este processo de caracterização de dados, foram, sempre que necessário e possível, colmatadas falhas na codificação. Resultados Nos cinco anos considerados houve 266 RA enviados com menção a acidentes ocorridos durante a prá- tica de exercício físico ou desporto, representando 34,2% do total de RA enviados à IGM no mesmo período. Na análise sumária dos RA verifi- cou-se a existência de 10 acidentes relatados em duplicado e 1 acidente relatado em triplicado, restando, portanto, 254 acidentes distintos. Além disso, constatou-se que 10 indivíduos tiveram dois acidentes e 1 indivíduo teve três acidentes distin- tos no período em apreço. No dia do acidente, os acidentados apresentavam maioritariamente idade inferior a 35 anos (76%) e 92,9% eram do género masculino. Os acidentes na prática de exercí- cio físico ou desporto ocorreram principalmente no horário de expe- diente (79,1%) e no interior da U/E/O (88,2%); 52,2% dos acidentados cujos acidentes ocorreram no interior da U/E/O pertenciam à mesma. O gráfico 1 traduz as modalidades praticadas aquando do acidente, Tabela I – Natureza da(s) lesão(ões) decorrente(s) do acidente (n=288). Natureza da lesão Número de casos Entorse articular 102 Lesão muscular 42 Fratura 32 Comoção / Concussão ou lesão traumática interna 23 Lesão traumática superficial (escoriação/hematoma) 23 Lesão tendinosa 21 Luxação / Subluxação articular 19 Lesão traumática superficial (ferida aberta/laceração) 15 Síncope / Perda de consciência 5 Lesão ocular 2 Problema médico [ansiedade, crise de asma] 2 Paragem cardiorrespiratória 1 Outro tipo de lesão (especifique) [traumatismo traqueia] 1 Futsal sendo o futsal a mais prevalente, seguida pelo Futebol de 11 e Atle- tismo. Na opção “Outra (especifique)” foram nomeadas as seguintes moda- lidades: futebol de 7 (n=9), trans- posição de obstáculos (n=6), Muay Thai (n=1), boxe (n=1), remo (n=1), fast-rope (n=1), rapel (n=1) e prova de botes (n=1). Em 59,4% e 35% dos casos a modalidade era habitual e ocasionalmente praticada, respeti- vamente. Os acidentes resultaram de traumatismo com contacto (55,9%), traumatismo sem contacto (33,9%) e de sobreuso (8,7%). Dos 151 aciden- tes decorrentes do futebol de 7 ou 11 e futsal, apenas 27,2% dos aciden- tados fazia uso de equipamento de proteção individual (por exemplo, caneleiras). O gráfico 2 revela o local onde ocorreram os acidentes, tendo o piso sido classificado como irregular (19,3%), molhado (7,9%) e/ou duro (85%) em vários casos, aspetos que podem estar na génese do acidente ou ter impacto negativo nas suas consequências. A maioria dos acidentes ocorreu em contexto de treino (57,1%). Dos 103 acidentes que ocorreram durante a competição propriamente dita, 81,6% foram pre- cedidos por um período de aqueci- mento estruturado pré-competitivo. A natureza da lesão decorrente dos acidentes foi diversa (Tabela I), em 5 casos foi tripla e em 24 casos foi dupla. O gráfico 3 apresenta a distribuição anatómica das lesões subsequentes aos acidentes ocorri- dos: em 3 e 14 casos houve, respeti- vamente, 3 e 2 segmentos corporais lesados. Na sequência do acidente, apenas 35 (13,8%) acidentados ficaram aptos (acidente sem consequências), sendo que as consequências do acidente Piscina Pista de Cinza Ringue Pavilhão Ginásio Judo Tapete de Judo Outro (especifique) Marcha Natação Orientação Campo Pelado Rugby Voleibol Futebol de 11 Futebol de 7 Ciclismo / BTT Basquetebol Mata Outra (especifique) Campo Relvado Andebol Atletismo Gráfico 1 – Modalidade desportiva praticada aquando do acidente (n=254). Ginásio Estrada Gráfico 2 – Local de ocorrência do acidente (n=254). Revista de Medicina Desportiva informa novembro 2019 · 19