Revista de Medicina Desportiva Informa Novembro 2019 - Page 20

Rev. Medicina Desportiva informa, 2019; 10(6):18-21. https://doi.org/10.23911/Acid_desp_marinha_2019_11 Acidentes Durante a Prática de Exercício Físico ou Desporto na Marinha Portuguesa Primeiro-tenente Médico Naval Moisés Henriques Especialista em Medicina Física e de Reabilitação; Pós-graduado em Medicina Desportiva. Centro de Investigação Naval. Almada. RESUMO / ABSTRACT Os acidentes de trabalho têm prejuízos associados e os acidentes ocorridos durante a prática de exercício físico ou desporto são vulneráveis às medidas preventivas. Na Marinha Portuguesa a prática regular de exercício físico ou desporto é amplamente fomentada. O estudo quantifica e caracteriza os acidentes ocorridos durante a prática de exercício físico ou desporto na Marinha Portuguesa anos 2012-2016 e constitui um contributo inédito para a contextualização deste tipo de acidentes. Labor accidents have associated losses and accidents occurring during the practice of physical exercise or sport are vulnerable to preventive measures. In the Portuguese Navy the regular practice of physical exercise or sport is widely promoted. The study quantifies and characterizes the accidents occurred during the practice of physical exercise or sport in the Portuguese Navy in the years 2012-2016 and constitutes an unprecedented contribution to the contextualization of this type of accidents. PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS Acidente de trabalho, exercício físico, desporto, marinha. Work accident, physical exercise, sport, navy. Introdução Segundo o Relatório Anual da Ati- vidade do Serviço de Segurança e Saúde no Trabalho de 2016, neste ano ocorreram 108.080 acidentes de trabalho não mortais e 105 aciden- tes de trabalho mortais em Portu- gal continental. 1 No que concerne somente aos sinistrados vinculados houve perda de 2.119.360 dias de tra- balho. 1 Naturalmente, a problemá- tica dos acidentes de trabalho tem consequências negativas importan- tes para a produtividade das empre- sas, bem como para a saúde e bem- -estar dos trabalhadores. Ninguém nega que a solução deste problema passa inevitavelmente pela preven- ção, plasmada num ciclo contínuo de melhoria, onde o conhecimento da realidade atual permite diligen- ciar ações para mitigar a ocorrência futura de novos acidentes. Na Marinha Portuguesa, o Relato de Acidente (RA) tem como objetivo a recolha de dados, no âmbito res- trito da Segurança, Higiene e Saúde 18 novembro 2019 www.revdesportiva.pt no Trabalho, relativos a Acidentes, Incidentes, e Acontecimentos Peri- gosos ocorridos nas instalações das Unidades/Estabelecimentos/Órgãos (U/E/O) da Marinha, independente- mente do acidentado pertencer ou não à U/E/O, ou que, tendo ocorrido no exterior das U/E/O, envolvam o seu pessoal. A prática de exercício físico ou desporto não está isenta de riscos, nomeadamente da ocorrência de acidentes. Esta premissa justifica a necessidade de se concretizarem seguros desportivos em inúmeras situações. O seguro desportivo é obrigatório para os agentes despor- tivos, para os praticantes de ativida- des desportivas em infraestruturas abertas ao público (públicas ou privadas), para os participantes em provas ou manifestações desporti- vas, para os praticantes desportivos no regime de alto rendimento e para os praticantes profissionais. Na Marinha Portuguesa, a manu- tenção de níveis ótimos de aptidão física é uma exigência transversal que apela à prática regular de exercício físico e esta exigência é particularmente elevada em deter- minados grupos, como é o caso dos fuzileiros e dos mergulhadores. A par disso, anualmente são realizadas inúmeras competições desportivas que envolvem um número significa- tivo e crescente de participantes. Em 2016, a taxa de incidência do total dos acidentes e dos acidentes mortais segundo a secção de ativi- dade económica para as atividades artísticas, de espetáculo, desportivas e recreativas foi, respetivamente, de 30.9% e 0%. 1 Em 1992, um estudo baseado no sistema de informação “Médicos Sentinela” calculou a incidência de acidentes ocorridos em recintos desportivos em 3,86/10000 (94% dos acidentados era do género masculino). 2 Ainda que as taxas de incidência de acidentes durante a prática de exercício físico ou desporto possam ser baixas, a verdade é que este tipo de acidentes é vulnerável às ações de prevenção, logo os ganhos são potencialmente relevantes. 2 Este estudo tem por objetivo quantificar e caracterizar os acidentes ocorridos durante a prática de exer- cício físico ou desporto na Marinha Portuguesa no período de 2012 a 2016. Material e métodos Estudo observacional, transversal e descritivo, baseado na informação vigente nos RA válidos recebidos e arquivados pela Inspeção-Geral da Marinha (IGM) referentes a acidentes ocorridos no período de 01 de janeiro de 2012 a 31 de dezembro de 2016. Para a análise dos acidentes ocor- ridos na prática de exercício físico ou desporto, os ficheiros anuais foram consolidados num ficheiro único de Microsoft Office Excel. Os RA que não tinham o campo 8.3. (O Acidente decorreu da prática de Exercício Físico ou Desporto?) preenchido foram analisados e atua- lizados em conformidade. Posterior- mente foi verificada a existência de acidentes relatados em duplicado e, nesses casos, foi considerado o RA originário da U/E/O onde ocorreu o acidente ou, nos RA oriundos da mesma U/E/O, o primeiro da lista. Os acidentados foram