Revista de Medicina Desportiva Informa Novembro 2012 - Page 17

Conclusões Continuação da página 7
A resposta hemodinâmica em meio aquático está dependente da temperatura da água , do nível de imersão , da posição corporal e da intensidade do exercício realizado . O exercício em meio aquático constitui uma alternativa útil para melhoria do desempenho cardiovascular em doentes com patologia cardíaca após avaliação e orientação médica adequadas com exclusão de contraindicações e prescrição individualizada do exercício . Permanece a escassez de dados relativos às diferentes modalidades de exercício aquático e seus efeitos em doentes com patologia cardíaca , sendo necessária mais investigação .
Bibliografia
1 . Cider A , Svealv BG et al . Immersion in warm induces improvement in cardiac function in patients with chronic heart failure . The European Journal of Heart Failure 2006 ; 8:308-313 .
2 . Cider A , Schaufelberger M et al . Hydrotherapy – a new approach to improve function in the order patient with chronic heart failure . The European Journal of Heart Failure 2003 ; 5:527-535 .
3 . Piepoli MF , Conraads V , et al . Exercise training in heart failure : from theory to practice . A consensus document of the Heart Failure Association and the European Association for Cardiovascular Prevention and Rehabilitation . Eur J Heart Fail 2011 ; 13 ( 4 ): 347-357 .
4 . Schmid JP , Noveanu M et al . Influence of water immersion , water gymnastics and swimming on cardiac output in patients with heart failure . Heart 2007 ; 93:722-727
5 . Schmid JP , Morger C et al . Haemodinamic and arrhythmic effects of moderately cold ( 22 º C ) water immersion and swimming in patients with stable coronary artery disease and heart failure . The European Journal of Heart Failure 2009 ; 11:903-909 .
6 . Meyer K and Leblanc MC . Aquatic therapies in patients with compromised left ventricular function and heart failure . Clin Invest Med 2008 31 ( 2 ): E90-E97 .
7 . Borg , G . Perceived exertion as an indicator of somatic stress . Scandinavian journal of rehabilitation medicine 1970 ; 2 ( 2 ): 92 – 98
8 . Tei C , Horikiri Y et al . Acute hemodynamic improvement by thermal vasodilation in congestive heart failure . Circulation 1995 ; 91 ( 10 ): 2582-90 .
9 . Weerdenburg C , Jasinskas C . Aquatic Cardiac Rehabilitation – Part 2 . CALA Wavelink newsletter Fall 1998 .
Conclusão
As fraturas de stress da diáfise do 5 .º metatarsiano apresentam um alto risco de atraso de consolidação ou pseudartrose e desta forma devem ser diagnosticadas o mais precocemente possível e tratadas de uma forma mais agressiva .
Perante o aparecimento de pseudartrose o tratamento é definitivamente cirúrgico , com descorticação do local de fractura , desobstrução do canal medular , preenchimento com enxerto ósseo autólogo e fixação com banda de tensão .
Bibliografia
1 . Lawrence SJ , Botte MJ : Jones ’ fractures and related fractures of the proximal fifth metatarsal . Foot Ankle 1993 ; 14:358-365 .
2 . Dameron TB Jr : Fractures of the proximal fifth metatarsal : Selecting the best treatment option . J Am Acad Orthop Surg 1995 ; 3:110-114 .
3 . Hartog BD : Fractures of the proximal fifth metatarsal . Journal of the American Academy of Orthopedic Surgery , 2009 ; Vol 17 , No 7 , July , 458-464 .
4 . Rosenberg GA , Sferra JJ : Treatment strategies for acute fractures and nonunions of the proximal fifth metatarsal . J Am Acad Orthop Surg , 2000 ; 8 : 332 .
5 . Popovic N , Jalali A , Georis P , et al : Proximal fifth metatarsal diaphyseal stress fracture in football players . Foot Ankle Surg , 2005 ; 11 : 135 .
6 . DeLee JC , Evans JP , Julian J : Stress fracture of the fifth metatarsal . Am J Sports Med 1983 ; 11:349-353 .
7 . Torg JS , Balduini FC , Zelko RR , Pavlov H , Peff TC , Das M : Fractures of the base of the fifth metatarsal distal to the tuberosity : Classification and guidelines for non-surgical and surgical management . J Bone Joint Surg Am 1984 ; 66:209-214 .
8 . Sarimo J , Rantanen J , Orava S et al , Tension- -Band Wiring for Fractures of the Fifth Metatarsal Located in the Junction of the Proximal Metaphysis and Diaphysis . The American Journal of Sports Medicine 2006 , 34 ( 3 ): 476-480 .
9 . Reese K , Litsky A , Kaeding C , et al : Cannulated screw fixation of Jones fractures : a clinical and biomechanical study . Am J Sports Med , 2004 ; 32 : 1736 .
Paracelsus ( 1493 – 1541 ) conhecido como hormesis :
“ Tudo é veneno e nada é desprovido de veneno . Apenas a dose permite que alguma coisa não seja venenosa .”

MAIS MIMOS QUE NUNCA

MAIS VILA GALÉ
Uma das caraterísticas dos hotéis Vila Galé é receber os seus hóspedes sempre com mais . Mais simpatia à chegada , mais familiaridade no trato , mais atenção aos pedidos , mais diversão para as crianças , mais sossego para os pais , mais atividades para os mais velhos e mais mimos para si . Mais mimos que se vêm somar a um serviço com mais disponibilidade , mais cuidado e mais animado na programação . E quanto mais mimos se recebem , mais vontade se fica para regressar de novo para férias grandes em família .
HOTEL VILA GALÉ MARÉS Bahia
24 HOTÉIS PORTUGAL E BRASIL LAZER E NEGÓCIOS CIDADE , PRAIA E CAMPO
sempre perto de si
www . vilagale . pt 707 214 214
Revista de Medicina Desportiva informa Novembro 2012 · 15
Conclusões A resposta hemodinâmica em meio aquático está dependente da temperatura da água, do nível de imersão, da posição corporal e da intensidade do exercício realizado. O exercício em meio aquático constitui uma alternativa útil para melhoria do desempenho cardiovascular em doentes com patologia cardíaca após avaliação e orientação médica adequadas com exclusão de contraindicações e prescrição individualizada do exercício. Permanece a escassez de dados relativos às diferentes modalidades de exercício aquático e seus efeitos em doentes com patologia cardíaca, sendo necessária mais investigação. Continuação da página 7 Conclusão As fraturas de stress da diáfise do 5.º metatarsiano apresentam um alto risco de atraso de consolidação ou pseudartrose e desta forma devem ser diagnosticadas o mais precocemente possível e tratadas de uma forma mais agressiva. Perante o aparecimento de pseudartrose o tratamento é definitivamente cirúrgico, com descorticação do local de fractura, desobstrução do canal medular, preenchimento com enxerto ósseo autólogo e fixação com banda de tensão. Bibliografia Bibliografia 1. Cider A, Svealv BG et al. Immersion in warm induces improvement in cardiac function in patients with chronic heart failure. The European Journal of Heart Failure 2006; 8:308-313. 2. Cider A, Schaufelberger M et al. Hydrotherapy – a new approach to improve function in the order patient with chronic heart failure. The European Journal of Heart Failure 2003; 5:527-535. 3. Piepoli MF, Conraads V, et al. Exercise training in heart failure: from theory to practice. A consensus document of the Heart Failure Association and the European Association for Cardiovascular Prevention and Rehabilitation. Eur J Heart Fail 2011; 13 (4): 347-357. 4. Schmid JP, Noveanu M et al. Influence of water immersion, water gymnastics and swimming on cardiac output in patients with heart failure. Heart 2007; 93:722-727 5. Schmid JP, Morger C et al. Haemodinamic and arrhythmic effects of moderately cold (22ºC) water immersion and swimming in patients with stable coronary artery disease and heart failure. The European Journal of Heart Failure 2009; 11:903-909. 6. Meyer K and Leblanc MC. Aquatic therapies in patients with compromised left ventricular function and heart failure. Clin Invest Med 2008 31 (2):E90-E97. 7. Borg, G. Perceived exertion as an indicator of somatic stress. Scandinavian journal of rehabilitation medicine 1970; 2 (2): 92–98 8. Tei C, Horikiri Y et al. Acute hemodynamic improvement by thermal vasodilation in congestive heart failure. Circulation 1995; 91 (10):2582-90. 9. Weerdenburg C, Jasinskas C. Aquatic Cardiac Rehabilitation – Part 2. CALA Wavelink newsletter Fall 1998. 1. Lawrence SJ, Botte MJ: Jones’ fractures and related fractures of the proximal fifth metatarsal. Foot Ankle 1993;14:358-365. 2. Dameron TB Jr: Fractures of the proximal fifth metatarsal: Selecting the best treatment option. J Am Acad Orthop Surg 1995;3:110-114. 3. Hartog BD: Fractures of the proximal fifth metatarsal. Journal of the American Academy of Orthopedic Surgery, 2009; Vol 17, No 7, July, 458-464. 4. Rosenberg GA, Sferra JJ: Treatment strategies for acute fractures and nonunions of the proximal fifth metatarsal. J Am Acad Orthop Surg, 2000; 8: 332. 5. Popovic N, Jalali A, Georis P, et al: Proximal fifth metatarsal diaphyseal stress fracture in football players. Foot Ankle Surg, 2005; 11: 135. 6. DeLee JC, Evans JP, Julian J: Stress fracture of the fifth metatarsal. Am J Sports Med 1983;11:349-353. 7. Torg JS, Balduini FC, Zelko RR, Pavlov H, Peff TC, Das M: Fractures of the base of the fifth metatarsal distal to the tuberosity: Classification and guidelines for non-surgical and surgical management. J Bone Joint Surg Am 1984;66:209-214. 8. Sarimo J, Rantanen J, Orava S et al, Tension-Band Wiring for Fractures of the Fifth Metatarsal Located in the Junction of the Proximal Metaphysis and Diaphysis. The American Journal of Sports Medicine 2006, 34(3): 476-480. 9. Reese K, Litsky A, Kaeding C, et al: Cannulated screw fixation of Jones fractures: a clinical and biomechanical study. Am J Sports Med, 2004; 32: 1736. Paracelsus (1493–1541) conhecido como hormesis: “Tudo é veneno e nada é desprovido de veneno. Apenas a dose permite que alguma coisa não seja venenosa.” MAIS MIMOS QUE NUNCA MAIS VILA GALÉ Uma das caraterísticas dos hotéis Vila Galé é receber os seus hóspedes sempre com mais. Mais simpatia à chegada, mais familiaridade no trato, mais atenção aos pedidos, mais diversão para as crianças, mais sossego para os pais, mais atividades para os mais velhos e mais mimos para si. Mais mimos que se vêm somar a um serviço com mais disponibilidade, mais cuidado e mais animado na programação. E quanto mais mimos se recebem, mais vontade se fica para regressar de novo para férias grandes em família. HOTEL VILA GALÉ MARÉS Bahia 24 HOTÉIS PORTUGAL E BRASIL LAZER E NEGÓCIOS CIDADE, PRAIA E CAMPO se \H\HB˝[Y[K M M]\HHYYX[H\ܝ]H[ܛXHݙ[X L0 MBQQPSHTԕUK[ BL M̌ L NLB