Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2020 - Page 5

Notícias O “Dr. Leandro” (José Leandro Massada) é das figuras mais importantes da Medicina Desportiva (e também da ortopedia) em Portugal. Com um discurso e abordagem clínica muito peculiares, o Dr. Leandro sempre ouviu e tratou atletas de modo muito próprio, onde o conhecimento estudado serviu de suporte para a sua extraordinária perspicácia e competência quotidiana. Foi sempre muito objetivo na abordagem e na terapêutica. Esteve sempre disponível para explicar e ensinar. Dr. Leandro licenciou-se em Medicina em 1976 e especializou- -se em Ortopedia e Traumatologia e em Medicina Desportiva. Mas antes fora um exímio jogador de andebol, sendo considerado como uma das Lendas do F C Porto. Iniciou a arte de lecionar em 1979 e, durante 41 anos, muito e bem ensinou no ISEF, depois no FCDEF e, finalmente, na FADEUP. Doutorou-se em Ciências do Desporto, em 2001, pela FADEUP. No dia 9 de março, 15h00, no Auditório Alberto Amaral, na FADEUP, dará a Última lição, momento em que será jubilado. Será um momento bonito. Estamos todos muito agradecidos, caro Prof. Doutor Leandro Massada, pelo conhecimento que nos deu, pela experiência que mostrou e pelo caminho que nos referenciou. A União Europeia de Médicos Especialistas (UEMS) é uma organização não-governamental que representa associações nacionais de especialistas médicos. Em 18 de outubro de 2019 foram aprovados os requisitos europeus de formação para a Medicina Desportiva (MD) e no dia seguinte pelas associações Médicas Nacionais da União Europeia, apenas com a abstenção do Reino Unido. A MD é definida como uma especialidade médica (subespecialidade em alguns países) clínica e académica multidisciplinar, referindo-se de seguida os seus objetivos. No documento refere- -se que o médico interno, durante pelo menos 4 anos, deve passar 9 a 12 meses na medicina interna, com especial realce na cardiologia, medicina de emergência e nutrição clínica; 6 a 12m em ortopedia e traumatologia e 12 a 24m em centros de medicina reconhecidos, incluindo prática teórica e clínica e experiência como médico de equipa. Os temas das drogas, psicologia e psiquiatria e atividade física para grupos especiais também são considerados para esta formação específica. É um documento longo, muito pormenorizado, que pode ser consultado no site da Revista (www.revdesportiva.pt). Foi publicado em dezembro de 2019 a 1ª edição deste livro que apresenta o futebol como um agente de promoção de saúde individual e coletiva. Esta obra, com 266 páginas (com 25 ilustrações a preto e branco), tem como autores os Drs. Peter Krustrup, da Dinamarca, e Daniel Parnell, do Reino Unido. Pretende examinar os efeitos do treino de futebol em três componentes de aptidão física: cardiovascular, metabólico e musculosquelético. É também dirigido a vários tipos de populações, a saber: crianças e jovens, e também idosos; socialmente excluídos e sem abrigo; doentes com doença cardiovascular, diabetes tipo 2 e síndrome metabólico, com cancro e com problemas mentais. Um dos capítulos é dedicado ao futebol no local de trabalho, assim como se apresenta o futebol como agente promotor da saúde óssea ao longo da vida. Alguns autores portugueses colaboraram em alguns capítulos, com sejam os Profs. João Brito e André Seabra e a dra. Susana Póvoas. Em formato de papel custa cerca e 140€, ao passo que a apresentação digital apenas custa 22€. Revista de Medicina Desportiva informa março 2020· 3