Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2020 - Page 30

Rev. Medicina Desportiva informa, 2020; 11(2):28-30. https://doi.org/10.23911/clinica_dragao_2020_3 Considerações nutricionais O Atleta Vegetariano: Considerações Nutricionais Dra. Ana Goios 1 , Dr. Rogério Pereira 2 , Dra. Ana Isabel Monteiro 3 , Dra. Márcia Gonçalves 1 , Prof. Doutor João Espregueira-Mendes 2 1 Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto; 2 Clínica do Dragão, Espregueira- Mendes Sports Centre – FIFA Medical Centre of Excellence, Porto; 3 Departamento da Juventude da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão; RESUMO / ABSTRACT Dado o aumento do interesse e da adesão de atletas a um padrão alimentar vegetariano, há que refletir e investigar sobre a adequação nutricional e potencial efeito na saúde e na performance desportiva. Uma dieta vegetariana, bem planeada, que inclua uma elevada variedade de alimentos de origem vegetal, permite atingir as necessidades energéticas e nutricionais de qualquer atleta. Especial atenção deverá ser dada à ingestão de proteína, ácidos gordos ómega 3, cálcio, ferro, iodo, zinco e vitaminas B12 e D, sendo a suplementação eventualmente necessária. Não há evidência a favor dum impacto positivo ou negativo deste padrão alimentar na performance desportiva. Given the increased interest and adherence to a vegetarian diet by athletes, it is relevant to reflect and research about their nutritional adequacy and potential effect on health and athletic performance. Appropriately planned vegetarian diet, including a wide variety of plant-based foods, can provide sufficient energy and nutrients to meet athletes’ needs. Special attention should be paid to the intake of protein, omega 3 fatty acids, calcium, iron, iodine, zinc and vitamins B12 and D, being the supplementation eventually needed. Convincing evidence in support of beneficial or adverse effects on performance of vegetarian diets is not available. PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS Dieta vegetariana, dieta vegan, atletas, saúde, performance Vegetarian diet, vegan diet, athletes, health, performance Contextualização A evidência científica a favor da maior presença de alimentos de origem vegetal tem aumentado, nomeadamente ao nível da redução de risco de doenças crónicas, como a doença cardiovascular, certos tipos de cancro, diabetes tipo II e obesidade. 1 As redes sociais têm contribuído para aumentar a visibilidade e a disseminação do padrão alimentar vegetariano. Para além dos alegados efeitos benéficos relacionados com a saúde, várias são as razões que podem levar a adotar este tipo de padrão alimentar, desde questões ambientais, éticas, religiosas e culturais, a questões relacionadas com o bem-estar dos animais. 2 No desporto, o testemunho de atletas de sucesso a nível mundial, tais como Novak Djokovic, Lewis Hamilton e Venus Williams, tem vindo a fomentar o interesse e a potenciar a adoção deste padrão alimentar como forma de otimizar a performance desportiva. Mas serão os atletas vegetarianos capazes de atingir as suas necessidades energéticas e nutricionais? Atualmente, é sabido que uma dieta vegetariana, desde que bem planeada, é capaz de satisfazer as necessidades energéticas e nutricionais de qualquer ser humano, podendo ser adaptada a todas as fases do ciclo de vida e condições (incluindo grávidas, lactentes, crianças, adolescentes e idosos) e a atletas. 3 No entanto, “dieta vegetariana” é um termo genérico atribuído a um conjunto de padrões alimentares, em que predominam os produtos de origem vegetal, mas com diferenças consideráveis a nível nutricional, em função do(s) grupo(s) alimentar(es) excluído(s) [Tabela 1]. 2 Tabela 1 – Dieta vegetariana: classificação Padrão alimentar Características Garantir um aporte energético e nutricional adequado ao nível de atividade física deve ser uma prioridade para todos os atletas, sejam vegetarianos ou omnívoros. 4 Uma dieta de base vegetal equilibrada destaca-se pela sua riqueza em micronutrientes (potássio, magnésio, folato, vitaminas A, C, E e K), antioxidantes, polifenóis e pela elevada presença de alimentos fornecedores de hidratos de carbono, nomeadamente cereais, leguminosas e fruta, características que a tornam interessante a nível de rendimento desportivo e de recuperação. 5,6 Não obstante, uma dieta de base vegetal mal construída poderá comprometer a ingestão de alguns nutrientes críticos para a saúde e performance desportiva. Em função do padrão alimentar, das preferências/escolhas alimentares e da intensidade do exercício físico, alguns atletas vegetarianos poderão ter dificuldade em atingir as necessidades energéticas e a sua dieta poderá apresentar quantidades subótimas de proteína, ácidos gordos ómega-3, algumas vitaminas (D e B12) e minerais (ferro, cálcio, iodo e zinco), o que se deve à menor quantidade e/ou menor biodisponibilidade desses nutrientes nos alimentos de origem vegetal. 5-7 Energia As necessidades energéticas variam muito entre atletas. Para além de fatores inerentes ao próprio atleta, tais como sexo, idade e composição corporal, outras variáveis do exercício praticado, como a duração, intensidade e a periodização do treino (que pode variar de dia para dia e com a fase da época desportiva), são determinantes. Atingir as necessidades energéticas poderá - Ovo-lacto-vegetariano Exclusão de carne e pescado; inclusão de ovos e lacticínios - Ovo-vegetariano Exclusão de carne, pescado e lacticínios; inclusão de ovos - Lacto-vegetariano Exclusão de carne, pescado e ovos; inclusão de lacticínios Vegan (estritamente vegetariano) Exclusão de todos os produtos de origem animal - Risco baixo - Risco moderado - Risco alto Risco nutricional associado 28 março 2020 www.revdesportiva.pt