Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2020 - Page 28

Rev. Medicina Desportiva informa, 2020; 11(2):26-27. Consensus Statement on Sports-Related Concussions in Youth Sports Using a Modified Delphi Approach Frederick P. Rivara et al. JAMA Pediatr. 2019: E1-E7. doi:10.1001/jamapediatrics.2019.4006 Resumo Dr. Basil Ribeiro Medicina Desportiva, Riade (KSA) Esta declaração de consenso foi publicada recentemente online (novembro de 2019) e resultou do trabalho de um painel de onze especialistas, o qual incluiu várias subespecialidades da pediatria, assim como de outras. A prática de desporto de contacto e de colisão entre os jovens, a grande importância que tem sido dada à concussão cerebral no desporto (CCD) e a muita e rápida investigação neste tópico médico motivou a realização deste trabalho, destinado a orientar, não só o atleta e a família, mas também os profissionais médicos e desportivos. O processo de Delphi modificado foi utilizado pelo painel para a obtenção dos consensos e recomendações, pois, de acordo com os autores, é um método validado e amplamente usado em outros estudos. Foram elaboradas sete questões, cujas respostas foram discutidas em três momentos entre os experts, por telefone e por e-mail. Para apoio às respostas e aos experts foi feita revisão da literatura entre 01 janeiro 2017 e 30 março 2018. Assim, para cada questão estiveram disponíveis vários artigos científicos relevantes, o que permitiu elaborar um esboço das conclusões, o qual foi depois enviado aos restantes experts, que as classificaram de 1 a 9, sendo o 9 atribuído ao estudo de maior qualidade. Posteriormente, numa reunião de um dia, os experts discutiram e aprovaram as conclusões e as recomendações que obtiveram pontuação igual ou superior a 7, num máximo de 9. A votação foi feita por voto eletrónico de modo confidencial. De seguida apresentam-se, de modo resumido, o conteúdo das questões, das conclusões e das recomendações. Questão 1: Qual o risco de concussão no jovem desportista por desporto, sexo, idade, nível de atividade...? Este risco é modificável...? As conclusões referem que tem havido cada vez maior taxa de CCD nos últimos anos, mais nos desportos de contacto e de colisão, mais nos rapazes, mais nas raparigas adolescentes que os colegas rapazes nos desportos praticados pelos dois sexos com as mesmas regras (ex. futebol, basquetebol) se praticados com as mesmas regras e condições. A idade, por si só, em que o risco é modificável não está definida, assim como não está claro se condições médicas pré-existentes (ex. ansiedade, depressão) possam influenciar o risco. Contudo, há forte associação entre CCD prévia com a ocorrência de novo episódio de CCD. Recomendações: os pais, os jovens participantes, os treinadores e outros devem ser informados que os desportos de contacto e de colisão estão associados a maior risco de CCD e que a existência prévia de um episódio de CCD aumento o risco para outro episódio. Questão 2: Existe alguma idade ou momento do crescimento a partir do qual o risco é menor e é mais seguro iniciar os desportos de contacto ou de colisão? Existe algum momento em que o jovem esteja pronto para aprender e utilizar técnicas adequadas de segurança? Os experts não encontraram na literatura respostas concretas que pudessem responder a estas questões, nomeadamente na associação entre idade e risco de CCD, que o crescimento e maturação interfiram na ocorrência de CCD, o sexo também não é diferenciador, não se sabe a que idade cronológica a criança ou jovem estejam mais aptos para aprenderem técnicas de proteção, as quais variam de desporto para desporto, assim como não é possível indicar a idade a partir da qual o contacto total no desporto possa ser introduzido com segurança, o mesmo acontecendo em relação ao de colisão. Recomendações: Os peritos referem que não existe uma idade ideal, nos dois sexos, para a introdução com segurança dos desportos de contacto ou de colisão, aconselham a aprendizagem de técnicas de contacto específicas do desporto antes da sua iniciação e indicam ainda que é necessária investigação para averiguar o momento ideal para aprenderem e adotarem técnicas específicas destes desportos, assim como averiguar os melhores métodos de ensino. Questão 3: Se forem implementadas alterações nas regras desportivas (ex. tamanho do campo, equipamento, regras de jogo, tamanho das bolas, tamanho da equipa, métodos de treino) haverá campeonatos mais seguros para os jovens e adolescentes? E se forem ensinadas técnicas de contacto e de colisão em idades precoces tal melhorará a eficácia e diminuirá o risco? Algumas alterações no hóquei no gelo reduziram o risco de CCD em jogadores com menos de 13 anos de idade, ao passo que no futebol americano algumas alterações limitam o contacto da cabeça, mas não se sabe se reduzem a taxa de CCD. Já no nosso futebol, não há evidência que limitar o cabecear da bola nos escalões mais jovens possa reduzir a CCD. De forma global, não existe evidência que leis do jogo justas, o ensino de técnicas de treino mais seguras ou que o treino possam reduzir o risco no jovem atleta. Recomendações: Os autores fazem duas recomendações para o hóquei no gelo e futebol americano, relacionadas com a diminuição do contacto 26 março 2020 www.revdesportiva.pt