Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2020 - Page 18

ligamento. 13,31 Um único estudo publicado por Erickson et al 32 lançou a dúvida relativa ao potencial da cirurgia na melhoria do desempenho desportivo em relação ao pré-lesão, tendo revelado aumento da performance em lançadores submetidos a cirurgia de reconstrução de LCU quando comparados com atletas sem antecedentes de lesão ou cirurgia. No entanto, os resultados apenas revelaram superior desempenho relativamente a parâmetros específicos de jogo, tais como o menor número de derrotas, entre outros, sendo difícil extrapolar estes benefícios para a especificidade da integridade do ligamento, resistência articular ao movimento em valgo ou aumento da força, velocidade e precisão do lançamento. 32 A edificação de um mito Ahmad et al 13 , num estudo que procurou avaliar a perceção pública relativa a esta cirurgia, aplicaram um questionário a 189 jogadores, 15 treinadores e 31 pais de atletas, com questões relativas às indicações para cirurgia, técnicas, riscos, tempo de recuperação e benefícios inerentes à cirurgia. Os resultados foram alarmantes: 30% dos treinadores, 37% dos pais, 51% de jogadores de equipas do ensino secundário e 26% dos atletas de equipas universitárias defenderam que a cirurgia de reconstrução do LCU deveria ser realizada em atletas sem lesão prévia do cotovelo no sentido de melhorar o desempenho desportivo. 13 Participantes de todos os grupos revelaram também acreditar que o controlo biomecânico do lançamento, a velocidade e a performance global do atleta são parâmetros igualmente melhorados com a intervenção cirúrgica. 13 As incorretas perceções do público relativamente ao potencial da cirurgia de reconstrução do LCU são impulsionadas pelo impacto dos media e pelo fenómeno de popularidade que advém também do poder financeiro do beisebol. As perceções subjetivas relatadas por jogadores submetidos a reconstrução do LCU contradizem os resultados objetivos dos estudos científicos atuais. 13,31,33 Fleisig et al 33 , num estudo biomecânico recente com 80 lançadores profissionais da MLB, 40 submetidos à cirurgia do LCU (grupo de estudo) e 40 sem história prévia de lesão ou cirurgia (grupo de controlo), foram analisados relativamente a velocidade e força de lançamento, na tentativa de desmistificar a crença de que os parâmetros biomecânicos do cotovelo seriam diferentes entre grupos. Os resultados foram conclusivos e a hipótese publicamente criada de melhoria funcional em comparação com o ligamento colateral ulnar original foi rejeitada. 33 Lançadores profissionais ativos com antecedentes cirúrgicos de reconstrução do LCU não revelaram diferenças significativas a nível da força, velocidade e precisão do lançamento comparativamente ao grupo de controlo. 33 Devido à popularidade do beisebol nos EUA, os atletas profissionais tornam-se ídolos e referências para jovens jogadores e familiares. 34 A projeção dos media relativamente ao desempenho desportivo de sucesso em jogadores após cirugia de reconstrução do LCU pode justificar as incorretas interpretações baseadas no potencial desta técnica como método de dopagem, criando a ilusão de que estes atletas se projetam para níveis de performance superiores aos demais. 13 Durante algum tempo os media reforçaram esta crença entre a comunidade do beisebol através da referência exclusiva a atletas que retomaram o nível competitivo prévio à lesão, camuflando os casos de insucesso no retorno à prática em jogadores submetidos a cirurgia de reconstrução do LCU. 13 Conte et al 35 , num estudo de avaliação da opinião dos media, semelhante ao estudo de Ahmad et al 13 para a opinião pública, questionaram 516 membros da comunidade dos media do beisebol. Os dados obtidos revelaram que 45% desconheciam ser necessário ter rotura prévia do LCU para realização da cirurgia, sendo que 25% acreditavam que a principal indicação cirúrgica era a melhoria do desempenho desportivo. 35 Os estudos de Ahmad et al 13 e de Conte et al 35 realçaram a crença, amplamente enraizada entre os media, atletas e familiares, de que a cirurgia ortopédica de ligamentoplastia do LCU melhora o desempenho desportivo nos lançamentos. O fenómeno da popularidade da cirurgia e a perceção do seu potencial de aumento do desempenho desportivo foram de tal ordem que até jovens lançadores passaram a solicitar avaliação médica do cotovelo com o objetivo de efetuar a cirurgia de reconstrução do LCU, mesmo sem apresentarem qualquer rotura ou sintoma local, apenas com o intuito de melhorar a performance. 13 Perspetivas futuras O mediático caso de Tommy John e as perceções relativas ao desempenho desportivo dos atletas submetidos à cirurgia de reconstrução do LCU projetaram a temática da cirurgia ortopédica no seio da comunidade desportiva como método de melhoria do desempenho desportivo. A generalidade dos estudos atuais desmistifica a crença originada em torno deste caso, no entanto, publicações como as de Erickson et al 32 continuam a lançar a dúvida e a estimular a necessidade de maior investigação acerca deste tema. Conclusão A potencialidade da cirurgia ortopédica no âmbito do efeito "doping" em termos de aumento do desempenho desportivo é ainda um mundo desconhecido e suscetível de variadas interpretações. Não obstante, a investigação e desmistificação de alguns mitos criados por vários motivos em redor desta temática são determinantes para a manutenção da transparência e da honestidade no seio da comunidade desportiva e sua envolvência mediática. Os autores negam qualquer conflito de interesses e declaram a originalidade do texto e a sua não publicação prévia. Correspondência: Dr. Diogo Lino Moura Centro Hospitalar de Coimbra dflmoura@gmail.com Bibliografia 1. Bettine de Almeida M, Gutierrez DM, Gutierrez GL. O doping e os Jogos Olimpicos: Diferentes dimensões do fenomeno. Revista USP. 2016; 108:77-86. 2. http://www.fims.org/about/code-ethics/ Acesso a: 28/03/2019 Restante Bibliografia em: www.revdesportiva.pt (A Revista Online) 16 março 2020 www.revdesportiva.pt