Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2020 - Page 15

sincronização dos ritmos hormonais, melhorando o estado de alerta e a performance. Estas qualidades são promissoras para atletas que não têm tempo suficiente para ressincronizar após uma viagem. 32 6.3 Hipnóticos sedativos não-benzodiazepínicos Em adição à melatonina, outras moléculas estão disponíveis para facilitar o avanço da fase de sono, pelo que os hipnóticos sedativos não- -benzodiazepínicos são as medicações mais utilizadas, categorizando- -se pela sua semivida. O Zopiclone (ação longa), o zolpidem (ação curta) e o zaleplon (ação ultracurta) são formulações usadas com frequência. As benzodiazepinas convencionais são desencorajadas em atletas devido ao potencial abuso e dependência subsequente. Estes fármacos têm efeitos imediatos se tomados sem sono, incluindo défices de atenção, memória e na atividade psicomotora 38 , sendo mais pronunciados com zopiclone, menos com zolpidem e minimamente com zaleplon. 39 Contudo, após oito horas de repouso, não existem efeitos secundários associados à performance do atleta com zolpidem ou zaleplon. Por essa razão, este tipo de fármacos não está recomendado sem um período de sono de pelo menos oito horas prévio à preparação e competição. 40 O zolpidem é preferido se há dificuldade em iniciar o sono, enquanto o zaleplon pode estar indicado nos casos de despertares noturnos com dificuldade em adormecer novamente. 5 Em conclusão Um sono insuficiente pode ter efeitos significativos na performance do atleta. A equipa técnica, incluindo o médico que acompanha o atleta, deve interrogar sobre os padrões de sono para detetar os indivíduos vulneráveis à insónia, e pode ser necessário consultar um especialista quando a insónia interfere persistentemente com o treino ou competição. Várias estratégias podem ser tomadas como as resumidas na Tabela 2. Apesar do uso de fármacos não ser a solução ideal, esta pode ser necessária. O autor nega qualquer conflito de interesses, assim como declara a originalidade do texto e a sua não publicação prévia. Correspondência José Carlos Carneiro Bibliografia 1. Harries SK, Lubans DR, Callister R. s.l.: Systematic review and meta-analysis of linear and undulating periodized resistance training Avançando para o seu bem estar! programs on muscular strength. J Strength Cond Res., 2015; 29:1113-25. 2. Spriet LL. Nutritional support for athletic performance. 2015; 45:S3-4. 3. Fullagar HHK, Skorski S, Duffield R, et al. Sleep and athletic performance: The effects of sleep loss on exercise performance, and physiological and cognitive responses to exercise. Sports Med. 2015; 45:161-86. Restante Bibliografia em: www.revdesportiva.pt (A Revista Online) www.interorto.pt Revista de Medicina Desportiva informa março 2020· 13