Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2017 - Page 4

Rev . Medicina Desportiva informa , 2017 , 8 ( 2 ), p . 2

Entrevista

Prof . Dr . Romeu Mendes Médico na Unidade de Saúde Pública do ACES Douro I – Marão e Douro Norte ; Professor na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro ; Investigador do ISPUP – Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto ; Diretor-Geral do Diabetes em Movimento ®
Em 2016 foi lançada uma Plataforma associada ao Diabetes em Movimento ® . O que é concretamente ?
O Diabetes em Movimento ® começou por ser um programa comunitário de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2 . Apesar de ser desenvolvido com materiais de baixo custo e estratégias de exercício de elevada aplicabilidade , a necessidade de supervisão das atividades limitou a sua replicação . Tivemos inúmeras solicitações , especialmente de Médicos dos Cuidados de Saúde Primários , para criarmos uma ferramenta que possibilitasse a aplicação das estratégias de exercício do programa comunitário , mas a nível individual . Surgiu assim a Plataforma de Prescrição de Exercício do Diabetes em Movimento ® .
Como funciona a Plataforma ?
A Plataforma foi inspirada na prescrição eletrónica de medicamentos e permite construir um programa personalizado a partir de uma base de dados de exercícios ( com o apoio de fotografias e vídeos ), editar os parâmetros básicos de prescrição ( frequência semanal , duração , séries , repetições e intensidade ), selecionar recomendações para a prevenção de eventos adversos de acordo com as comorbidades da diabetes e ainda ajustar a insulinoterapia nos dias de exercício . No final , é possível imprimir o programa de exercício para entregar ao utente . A sua utilização , embora gratuita , é reservada a Médicos registados em Portugal e pode ser acedida em www . diabetesemmovimento . com .
Só pode ser usada para pessoas com diabetes ?
Pode ser usada para apoiar a prescrição de exercício para qualquer pessoa , especialmente no contexto da prevenção e tratamento das doenças crónicas não transmissíveis .
E o que aconteceu ao programa comunitário de exercício ?
Depois de ter sido desenvolvido e testado na cidade Covilhã ( 2011- 2013 ), foi implementado na cidade de Vila Real em 2014 pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro . Em 2016 desafiamos algumas instituições de ensino superior ( ISMAI – Instituto Universitário da Maia , Universidade de Évora e Escola Superior de Desporto de Rio Maior ) a replicar o modelo de implementação que usamos em Vila Real e o programa foi expandido para as cidades da Maia , Évora e Rio Maior . Possibilitamos que cerca de 200 pessoas com diabetes possam praticar exercício físico supervisionado de forma regular e gratuita ( 3 sessões semanais , durante 9 meses por ano ). Contudo , em Portugal existe cerca de 1 milhão de pessoas com diabetes , a grande maioria sedentária . É preciso fazer muito mais .
Quem são os agentes operacionais deste programa ?
Este programa é multi-institucional e multidisciplinar . Está dependente de parcerias entre instituições prestadoras de cuidados de saúde e instituições com a tutela de instalações desportivas e com recursos humanos na área do desporto . As sessões são monitorizadas por técnicos de exercício físico e por enfermeiros , mas o sucesso do programa aumenta com o envolvimento de nutricionistas , psicólogos , podologistas , fisioterapeutas e várias especialidades médicas .
De que forma as pessoas se podem inscrever ?
Podem participar pessoas com diabetes tipo 2 através de referenciação dos seus médicos assistentes das instituições de saúde envolvidas . Só assim conseguimos garantir a participação com segurança e avaliar os efeitos na saúde .
As vossas publicações científicas têm sido muitas . São , certamente , um instrumento para melhorar este programa .
As publicações e as participações em eventos científicos são um meio de divulgarmos as nossas atividades , mas também de trocarmos ideias , discutirmos , recebermos críticas e sugestões . Permitiram-nos melhorar e ajustar as nossas soluções às necessidades que quem trabalha no terreno . Fechamos o ano de 2016 com uma publicação numa das mais importantes e prestigiadas revistas na área da Medicina Desportiva , o British Journal of Sports Medicine , mas o impacto em Portugal desta e de outras publicações internacionais é muito reduzido . Curiosamente , a publicação que mais divulgou o Diabetes em Movimento ® a nível nacional foi um artigo publicado nesta Revista de Medicina Desportiva informa em Junho de 2013 .
Quais os projetos para o futuro imediato ?
Estamos a preparar uma nova fase de expansão do Programa Comunitário , mais direcionada para os Municípios e os Cuidados de Saúde Primários . Deposito muita esperança no Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física da Direção- -Geral da Saúde para apoiar o crescimento do Diabetes em Movimento ® e de outras iniciativas que promovam o aumento dos níveis de atividade física da população . 2 Março 2017 www . revdesportiva . pt