Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2017 - Page 24

Caso clínico

Rev . Medicina Desportiva informa , 2017 , 8 ( 2 ), pp . 22 – 24

Luxação Recorrente dos Tendões Peroniais : Opções de Tratamento

Dra . Sara Machado 1 , Dr . Paulo Ribeiro de Oliveira 2
1
Interna de formação específica de Ortopedia ; Centro Hospitalar de São João . Professora assistente convidada de Anatomia Humana ; Faculdade de Medicina da Universidade do Porto . 2 Assistente hospitalar graduado de Ortopedia ; Centro Hospitalar de São João . Membro do centro de Medicina e Traumatologia Desportiva , Hospital CUF . Porto .
RESUMO / ABSTRACT
A luxação dos tendões peroniais é uma lesão incomum , frequentemente subdiagnosticada , acarretando limitação funcional marcada do tornozelo . O papel dos estudos imagiológicos tem sido debatido , pois o diagnóstico é principalmente clínico . Estudos adicionais não são habitualmente necessários . O tratamento conservador pode ser tentado na lesão aguda , contudo as luxações recorrentes deverão ser corrigidas cirurgicamente . Apresentamos um caso clínico de luxação recorrente dos peroniais , que confirma a necessidade uma avaliação global do doente com dor lateral do tornozelo e racionalização do diagnóstico . Pretendemos efetuar uma descrição do seu tratamento cirúrgico , comparando os resultados com os constantes na literatura .
Peroneal tendon dislocation is an uncommon , and frequently underdiagnosed , important cause of ankle disability . The role of imaging has been debated and the diagnosis and the management plan are based on clinical evidence . The conservative management may be attempted in the acute dislocations . Recurrent dislocations should be managed surgically . We present a clinical case of recurrent dislocation of the peroneal tendons , which confirms the need for the global evaluation of the patient with lateral ankle pain , rationalize the diagnosis and describe the surgical treatment , comparing the results with those found in the literature .
PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS
Luxação , peroniais , crónica Dislocation , peroneal , chronic
Introdução
A luxação ou subluxação dos tendões peroniais foi descrita pela primeira vez por Monteggia em 1803 . 1 É uma causa importante , embora menos prevalente , de dor lateral e limitação funcional do tornozelo , ocorrendo mais frequentemente no jovem atleta . Dado que a lesão aguda pode mimetizar e / ou ocorrer em simultâneo com uma lesão do complexo ligamentar lateral do tornozelo o diagnóstico pode ser difícil . 2 A luxação / subluxação crónica pode existir sem história de evento traumático . Um estudo demonstrou que apenas 60 % das lesões dos tendões peroniais são diagnosticadas na primeira avaliação clínica .
Fatores anatómicos que podem predispor à instabilidade :
• a presença de um músculo peronial longo com um pequeno ventre muscular
• a presença de um músculo peronial quarto ( 13 % a 22 % de prevalência ) contribuindo para a “ hiperocupação ” do sulco peronial
• a presença de um sulco peronial de baixa profundidade ou uma superfície peronial distal posterior convexa
• a incompetência do retináculo peronial superior . Alterações congénitas , como o astrágalo vertical ou o pé plano valgo , também foram implicadas . O retináculo peronial superior é o restritor primário à instabilidade dos tendões no sulco retromaleolar peronial . Uma contração reflexa rápida dos músculos peroniais com o pé dorsifletido pode condicionar a sua falência , conduzindo à instabilidade tendinosa . Uma lesão em inversão do pé em flexão plantar também pode causar a avulsão deste ligamento . 3 O doente refere habitualmente um “ pop ” ou uma sensação de rompimento , seguido por dor e edema . O exame físico pode revelar edema e a luxação ou a subluxação pode ser suscitada forçando o pé de uma posição de inversão e flexão plantar para eversão , dorsiflexão e rotação externa . O estudo radiográfico pode demonstrar uma fratura- -avulsão do perónio distal ao nível da inserção do retináculo peronial superior , embora este exame seja habitualmente negativo . A ressonância magnética pode identificar lesões do retináculo peronial superior , dos tendões peroniais ou estruturas adjacentes ou variantes anatómicas predisponentes à instabilidade . Contudo , o diagnóstico é principalmente clínico e estudos adicionais não são habitualmente necessários . No entanto , nos casos de subluxação intrabainha tendinosa os sinais podem não ser clinicamente reprodutíveis . O tratamento da lesão aguda consiste na imobilização promotora da cicatrização do retináculo peronial superior , mas os resultados desta abordagem são habitualmente pobres . 4 No atleta de alta competição a reparação aguda do retináculo peronial superior , com ou sem afundamento do sulco peronial , é uma opção válida . As lesões crónicas deverão ser tratadas cirurgicamente se não existirem contraindicações . Dada a dificuldade diagnóstica , a verdadeira prevalência da patologia poderá estar subestimada .
Em seguida será apresentado um caso clínico de luxação crónica dos tendões peroniais . É nosso objetivo efetuar uma chamada de atenção para a patologia , frequentemente subdiagnosticada , para a necessidade da sua exclusão perante um doente com dor lateral do tornozelo , assim como descrever a técnica cirúrgica utilizada e seu resultado comparativamente com os resultados apresentados na literatura por outros autores .
Métodos
Apresentamos um caso clínico de dor lateral do tornozelo associada a instabilidade crónica dos tendões peroniais . Os dados apresentados baseiam-se na história clínica colhida com o doente , exame objetivo e meios complementares constantes do seu processo clínico . O doente deu o seu consentimento para a descrição dos dados clínicos e respetiva publicação .
22 Março 2017 www . revdesportiva . pt