Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2013 - Page 18

E as “ artroses ” onde entram nesta classificação ?
JEM – As artroses inserem-se nas lesões cartilagíneas degenerativas e com lesão simétrica nas duas superfícies articulares . Esta doença afeta praticamente toda a espessura do tecido cartilagíneo de uma articulação , provocando lesão do osso subcondral . A degeneração do tecido cartilagíneo é um processo natural e progressivo que atinge o seu limite já em idades mais avançadas , devido à fraca capacidade de regeneração deste tecido . Associa-se a desvios de eixo , fraturas com atingimento articular , lesões meniscais e ligamentares . FL – A artrose é a resultante de fenómenos mecânicos e biológicos que desestabilizam o equilíbrio entre a síntese e a degradação da cartilagem e osso subcondral . As causas podem ser genéticas , metabólicas , traumáticas e constitucionais . Na artrose primária há perda progressiva da cartilagem acompanhada de tentativas da sua reparação , remodelação e esclerose do osso subcondral , com ou sem quistos subcondrais e osteófitos marginais . PP – A artrose é o fim da linha da lesão da cartilagem . Na fase final deste processo já não existe cartilagem e estamos perante um quadro de artrose .
O atleta está mais vulnerável ?
JEM – O atleta não está mais vulnerável , mas sim mais predisposto a contrair uma lesão da cartilagem articular que qualquer outro indivíduo , já que está mais exposto aos fatores de risco e aos diversos mecanismos de lesão . Contudo , as lesões cartilagíneas nos atletas ocorrem , na maioria das situações , associadas a outras lesões articulares , tais como as lesões ligamentares . FL – O mecanismo e a história natural da lesão aguda da cartilagem ainda não estão totalmente compreendidos . A cartilagem tem a capacidade de suportar grandes forças compressivas e grandes cargas instantâneas , mas os traumatismos repetitivos e violentos a que estão sujeitas podem conduzir á fragilização , rotura e a lesões focais , as quais estão associadas com vários graus de perda de cartilagem . Os atletas , pela exigente atividade física nos treinos e competição , tornam-nos mais expostos a estas agressões . PP – Sim , porque tem uma profissão de risco . As lesões osteocondrais aparecem sobretudo nas articulações de carga : joelhos , tornozelos e , em menor grau , nas ancas . É muito frequente ao fazer-se uma artroscopia do joelho encontrarem-se lesões osteocondrais . Se for o joelho de um atleta e a artroscopia for realizada por uma lesão ligamentar ou por luxação da patela , este número eleva-se :
··
5.3 % of 1000 scopes age < 40 ( Hjelle , Arthroscopy 2002 )
··
16-46 % of acute ACL tears ( Brophy , Arthroscopy 2010 )
··
72 % of patella-femoral dislocations ( Nomura , Arthroscopy 2003 )
Porque é que tão difícil tratar a lesão da cartilagem ?
JEM – A cartilagem articular não possui vasos , nem nervos , nem capacidade de regeneração ad integrum . Assim , em muitos casos de lesão de cartilagem , o processo de regeneração resulta num tecido fibroso menos funcional e resistente que o tecido cartilagíneo inicial . FL – Essencialmente pela sua limitada capacidade de reparação , pobre suplemento vascular e deficiente capacidade de diferenciação celular ( é avascular e aneural ). O diagnóstico é muitas vezes de exclusão por falta de sintomas patognomónicos ou ocasional no decurso de cirurgia artroscópica ou na realização de RMN , e este atraso pode ter repercussões nefastas no tratamento e prognóstico . Existe também dificuldade na decisão cirúrgica , relacionada com o momento mais adequado para a sua execução e com a escolha da técnica mais apropriada para cada lesão e indivíduo . As diversas técnicas cirúrgicas ainda não permitem a obtenção de cartilagem com as mesmas caraterísticas e durabilidade da pré-existente . PP – A cartilagem é dos poucos tecidos do nosso organismo em que não existe um processo natural de autorreparação . Não tem vasos e se a lesão não atingir o osso subcondral não há reparação .
Ressonância magnética com lesão condral extensa – Foto JEM
Imagem de lesão condral e meniscal em artroscopia – Foto JEM
Lesão osteocontral grau IV ( seta ) e membrana de colagénio ( ponta de seta ). Foto PP
Lesão osteocondral do côndilo femoral externo ( seta ) e lesão osteocondral do planalto tibial externo ( ponta de seta ). Foto PP
Qual é o interesse da infiltração com ácido hialurónico ?
JEM – A utilização do ácido hialurónico , na designada viscossuplementação , tem-se vindo a revelar cada vez mais eficaz no alívio da
16 · Março 2013 www . revdesportiva . pt
E as “artroses” onde entram nesta classificação? JEM – As artroses inserem-se nas lesões cartilagíneas degenerativas e com lesão simétrica nas duas superfícies articulares. Esta doença afeta praticamente toda a espessura do tecido cartilagíneo de uma articulação, provocando lesão do osso subcondral. A degeneração do tecido cartilagíneo é um processo natural e progressivo que atinge o seu limite já em idades mais avançadas, devido à fraca capacidade de regeneração deste tecido. Associa-se a desvios de eixo, fraturas com atingimento articular, lesões meniscais e ligamentares. FL – A artrose é a resultante de fenómenos mecânicos e biológicos que desestabilizam o equilíbrio entre a síntese e a degradação da cartilagem e osso subcondral. As causas podem ser genéticas, metabólicas, traumáticas e constitucionais. Na artrose primária há perda progressiva da cart [Y[HX\[YHH[]]\HXH\\p[[[p™H\\HXۙ[ BH[H]Z\XۙZ\Hpٚ]X\[Z\˂8$H\H0H[HH[HB\H\[Y[KH\H[[\H\H^\H\[Y[HH\[[\[H[H]XY™H\K]]H\0HXZ\[\][’SH8$]]H\0HXZ\[\][ X\[HXZ\Y\˜H۝Z\[XH\H\[Y[B\X[\]YH]X[]Y\][]Y[H]YH\0HXZ\^[™]ܙ\H\H[]\YX[\[H\ˈ۝Y\\Y\˜\[Y[X\]]\ܜ[KBXZ[ܚXH\]XpY\\XY\B]\\Y\\X[\\Z\[˜\\Y\Y[Y[\\˂8$YX[\[HH\0ܚXB]\[H\YYHH\[Y[HZ[H\0[Y[B\Y[YˈH\[Y[H[HB\XYYHH\ܝ\ܘ[\ܰ\\\]\Hܘ[\\\š[[0蛙X\X\][X]\[œ\]]]H[[H]YH\0œZZ]\[Hۙ^\0HY[^p\HHH\Y\Z\\]XZ\ŒM0X\ L˜]\ܝ]K\0\XY\H\[ܘ]\™H\HH\[Y[K]]\[H^Y[H]]YYH\XHZ[H\]pܛ[K[›XZ\^H\\Yܙ\Y\˂8$[Kܜ]YH[H[XHٚ\™H\ˈ\\Y\[ۙZ\˜\\X[H؜]Y\\X[pY\H\N[ܛޙ[K[HY[܈ܘ]K\[\ˈ0H]Z]™\]Y[H[^\\H[XH\XH[[۝\[K\H\Y\›[ۙZ\ˈH܈[B[H]]HHH\XH܈X[^YH܈[XH\Y[Y[\B܈^pH][K\HY\™[]K\NKHو L \YO  [K\H BMM HوX]HPX\ K\H L B̉Hو][KY[[ܘ[\][ۜ ]\K\H Bܜ]YH0H]YH0YX[]\B\H\[Y[O’SH8$H\[Y[H\X[\œZH\\\XYYHHY[\pY[Yܝ[K\[K[H]Z]\H\™H\[Y[K\HY[\p\[HXYX›Y[[[ۘ[H\\[H]YHXY\[Y[[[XX[ 8$\[X[Y[H[HXH[Z]YH\XYYHH\\p؜B\[Y[\[\HYXY[B\XYYHHY\[Xp[[\ 0B]\[\H[]\[ KXY۰X0B]Z]\^\H^\܈[HB[X\]ۛpۚXH\[ۘ[X\H\\XH\XHHHX[^pHSH\B]\H\\\\Y\Y\\›][Y[H۰Xˈ^\B[X[HYX[YHHX\\XK[X[ۘYHH[›XZ\Y\]XY\HHXH^Xp™HHH\HH0XۚXHXZ\\XYH\HYH\H[]Y[˂\]\\0XۚX\\X\Z[B\Z][HH؝[H\[Y[HH\Y\X\\]\\X\B\X[YYHHKY^\[K8$H\[Y[H0HXXYܙ[\[[H]YB^\H[H\]\[B]]ܜ\\pˈ[H\HBH\][\Xۙ[0H\\p˂\۰蛘XHXY۰]XHH\ۙ[^[H8$SB[XY[HH\ۙ[HY[\[[B\XH8$SB\[۝[ܘ]HU ]JHBY[X[HHY[[ ۝HH]JK\[ۙ[[[[ܘ[^\ ]JHH\[ۙ[œ[[XX[^\ ۝HH]JK]X[0H[\\HH[[p˜H0XYX[\ۚX’SH8$H][^p0XYX[\ۚXH\YۘYH\\[Y[p[K\H[H][\YH^XZ\YX^[0][B