Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2012 - Page 9

dos nadegueiros). Apresentou diminuição franca da rotação interna (0°) e da flexão (100°), teste de impingement positivo a 75° e contra-manobra de Ribas positiva. O teste de impingement, inicialmente descrito para ancas displásicas, refere-se ao movimento que inclui flexão a 90°, adução e rotação interna máximas – o contacto entre o acetábulo anterosuperior e o colo femoral provocam dor (Fig. 1, 1.ª imagem). O CFA posterior é testado em extensão e rotação externa, sendo este teste geralmente positivo com sobrecobertura (Fig. 1, 3.ª imagem). Foi submetido a avaliação através de duas escalas funcionais previamente validadas na avaliação da patologia da anca no doente pré-artrítico, tendo obtido os valores de 63.5 na escala de WOMAC e 51,2 na escala de NAHS. Ao Rx (figura 2) é evidente a presença de retroversão acetabular (sinal do duplo contorno), assim como a deformidade tipo pistol grip do fémur proximal. Apresenta esclerose subcondral (Estadio 1 de Tonnis). Figura 2. Rx da bacia em carga (Ref. American Journal of Roentgenology, vol 8, n. 6, 1997) Figura 3 – Vista de Dunn O ângulo alpha (Fig. 3) era igual a 79,8 graus. Foi submetido a artro-RMN que demonstrou delaminação condral entre as 10 e 13h. Tendo falhado o tratamento conservador, foi submetido a tratamento cirúrgico – osteoplastia femoro-acetabular por via mini-open (técnica de Ribas) com re-inserção do labrum. Durante a intervenção foi evidente a lesão do labrum, assim como a delaminação condral (figura 4). O resultado imagiológico final foi satisfatório, tendo sido obtida uma boa correção das deformidades (figura 5). Foi submetido a reabilitação conforme o protocolo do instituto Steadman. Resultados Regressou à atividade profissional aos 4 meses de pós-operatório. Foi reavaliado um ano após a cirurgia. Apresentava-se assintomático, tendo retomado em pleno a atividade desportiva e apresentando um score de WOMAC de 100 pts. Nesta altura, não apresenta qualquer limitação da mobilidade articular. Discussão: O conflito femoro-acetabular tem sido crescentemente reconhecido como causa de dor em pacientes jovens com dor na anca4,6,14 apresentando uma prevalência de 10-15%14. Dois tipos de conflito estão identificados4,6,9,14,15. O conflito tipo Pincer ocorre entre a parede anterior do acetábulo e do labrum e a cabeça femoral, ou por diminuição da anteversão do acetábulo ou por sobrecobertura da cabeça (coxa profunda ou protusio)10. Um efeito tipo CAM ocorre quando a junção cabeça-colo tem um raio elevado resultando um conflito com o rebordo acetabular. Assim, a junção anterolateral é forçada sob o rebordo acetabular resultando lesão labral e deterioração da cartilagem6,14,16-19. A maioria dos doentes apresenta, no entanto, aquilo que se denomina como CFA misto – presença das duas deformidades, o que também se verificou, no presente caso. O diagnóstico de CFA é estabelecido através do exame objetivo e radiográfico. A maioria dos doentes refere dor inguinal e a diminuição da mobilidade é quase universal. O doente referiu dor inguinal e irradiação para a região trocantérica, colocando a mão em forma de Avançando para o seu bem estar!