Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2012 - Page 30

sugere a eventual desvalorização da gravidade da lesão inicial , com redução do tempo adequado de tratamento e de reabilitação e retorno prematuro à competição . Devem ser efetuados todos os esforços para respeitar tempos de recuperação , cura e reabilitação . 11
A prevalência de lesões musculares e tendinosas encontradas nesta amostra está de acordo com outros estudos epidemiológicos . 12 , 13 As áreas anatómicas mais frequentemente atingidas foram o pé e o tornozelo com mais de 22 % das lesões encontradas , sendo que neste local o tipo de lesão mais frequente foi a entorse do tornozelo , o que está de acordo com outros estudos . 14 , 15 A região lombar foi a segunda mais envolvida , sendo a contractura muscular a mais referida .
A exemplo do verificado em estudos prévios , 3 , 6 , 12 , 13 , 15 foram encontradas taxas de lesão mais elevadas durante o período de competição em relação ao período de treinos , assim como as lesões foram mais graves . Entre os fatores que podem contribuir para estes resultados , referem- -se o aumento de intensidade e pressão competitiva , o maior número de contactos , o menor controlo sobre situações próprias do jogo e o aumento das situações de ansiedade
16 , 17 , 18
e de stress competitivo .
O taekwondo foi a modalidade que apresentou maior número de lesões por atleta ( 2,38 ), o que poderá estar relacionado com o maior de grau contacto inerente ao desporto , enquanto a natação foi a que menor taxa apresentou ( 0,50 ).
Conclusão
Os resultados deste estudo indicam que são esperadas algumas lesões , decorrentes da participação numa competição internacional de grande dimensão , a maioria das quais de
natureza microtraumáticas e benignas com duração inferior a 24 horas . O tornozelo e pé são as regiões anatómicas mais afetadas , mas as lesões musculares foram as mais frequentes . No período de treino observa-se maior prevalência , mas menor incidência , de lesões quando comparado com a competição onde ocorrem as lesões mais graves .
Este estudo apresenta algumas limitações , como sendo o número reduzido de elementos da amostra , a incapacidade de acompanhamento médico de todos os treinos , pelo que eventualmente algumas lesões ligeiras não foram registadas , assim como a dificuldade em encontrar estudos epidemiológicos portugueses para efeito de comparação de resultados . Contudo , percebe-se que o clínico que acompanha atletas nestes grandes eventos encontrará um elevado número de lesões ligeiras , que causam períodos de incapacidade inferior a 24 horas , a maior das quais está relacionada com os microtraumatismos , com o overuse resultante dos mecanismos de repetição do gesto desportivo . O desenvolvimento de programas preventivos , com ênfase no treino propriocetivo e de reforço e flexibilidade muscular , com correção do gesto desportivo , podem reduzir a taxa de incidência de lesões decorrentes de microtraumatismos e de cargas cíclicas que os atletas estão sujeitos .
Agradecimentos :
Por toda a sua disponibilidade e cooperação , os autores agradecem a todos os atletas , treinadores , responsáveis técnicos e elementos da equipa médica que fizeram parte das delegações portuguesas presentes nas XXV e XXVI Universíadas de Verão .
Bibliografia :
1 . Van Mechelen W , Hlobil H , Kemper HCG . Incidence , severity , aetiology and prevention of sports injuries . A review of concepts . Sports Med 1992 ; 10:88-99 .
2 . NCAA 1993-94 Reports . Mens and Women ´ s Injury Surveillance System . NCAA Report . 1994
3 . Borowski LA , Yard EE , Fields SK , Comstock RD . The Epidemiology of US High School Basketball Injures , 2005-2007 . Am J Sports Med 2008 ; 36 ( 12 ) 2328-2335
4 . Cohen M , Abdalla RJ . Lesões nos esportes : diagnóstico , prevenção , tratamento . Rio de Janeiro : Revinter ; 2003
5 . Lysens R , Steverlynck A , Van der Auweele Y . The predictability of sports injuries . Sports Medicine . 1984 ; 1 : 6-10
6 . Massada JL . Lesões típicas do desportista . Editorial Caminho . 1985
7 . Seabra AC , Estriga ML , Massada L . Lesões no andebol feminino português . Um estudo no campeonato nacional da primeira divisão sénior feminino .
8 . Orchard J . Orchard Sports Injury Classification System ( OSICS ). Sports Health . 1995 ; 11:39-41
9 . Noyes FR , Lindenfeld TN , Marshall MT . What determines an athletic injury ( definition )? Who determines an injury ( occurrence )? Am J Sports Med 1988 ; 16 Suppl 1 : S65-8 . 10 . Ekstrand J . The risk of injury distribution . 2003 11 . Arendt E , Dick R . Knee injury patterns among men and women in collegiate basketball and soccer : NCAA data and review of literature . Am J Sport Med . 1995 ; 23 ( 6 ): 694-701
12 . Messina DF , Farney WC , DeLee JC . The incidence of injury in Texas high school basketball : a prospective study among male and female athletes . Am J Sports Med . 1999 ; 27 ( 3 ): 294-299
13 . Hensel P , Perroni MG , Júnior ECPL . Musculoskeletal injuries in athletes of the 2006 season ´ s brazilian women ´ s speed canoeing team . Acta Ortop Bras 16 . 2008 ; 4:233-237
14 . Magnes SA , Henderson JM , Hunter SC . What condicions limit sports participation ? Experience with 10540 athletes . Physical and Sportsmedicine . 1992 ; 5:143-147
15 . Caine D , Knutzen K , H Warren , Keller L , Sheppard L , Henrichs D , Fast J . A three-year epidemiogical study of injures affecting young female gymnasts . Physical Therapy in Sports 4 . 2003 ; 10-23
16 . Junge A , Dvorak J , Graff-Baumann T , Peterson L . Football injuries during FIFA tournaments and the Olympic Games , 1998- 2001 . Development and implementation of an injury-reporting system . Am J Sports Med 2004 ; 32:80-9 .
17 . Kerr GA , Minden H . Psychological factors related to the occurrence of athletic injures . Journal of Sports Exercise Psychology . 1998 ; 10 : 167-173
18 . Crevoisier J . Stress and Performance . Medicine Matters . 2005 ; 11:4-7 .
28 · Março 2012 www . revdesportiva . pt
sugere a eventual desvalorização da gravidade da lesão inicial, com redução do tempo adequado de tratamento e de reabilitação e retorno prematuro à competição. Devem ser efetuados todos os esforços para respeitar tempos de recuperação, cura e reabilitação.11 A prevalência de lesões musculares e tendinosas encontradas nesta amostra está de acordo com outros estudos epidemiológicos.12,13 As áreas anatómicas mais frequentemente atingidas foram o pé e o tornozelo com mais de 22% das lesões encontradas, sendo que neste local o tipo de lesão mais frequente foi a entorse do tornozelo, o que está de acordo com outros estudos.14,15 A região lombar foi a segunda mais envolvida, sendo a contractura muscular a mais referida. A exemplo do verificado em estudos prévios,3,6,12,13,15 foram encontradas taxas de lesão mais elevadas durante o período de competição em relação ao período de treinos, assim como as lesões foram mais graves. Entre os fatores que podem contribuir para estes resultados, referem-se o aumento de intensidade e pressão competitiva, o maior número de contactos, o menor controlo sobre situações próprias do jogo e o aumento das situações de ansiedade e de stress competitivo.16,17,18 O taekwondo foi a modalidade que apresentou maior número de lesões por atleta (2,38), o que poderá estar relacionado com o maior de grau contacto inerente ao desporto, enquanto a natação foi a que menor taxa apresentou (0,50). Conclusão Os resultados deste estudo indicam que são \\Y\[[X\\Y\Xܜ[\H\X\pB\]p[\X[ۘ[Hܘ[B[Y[HXZ[ܚXH\]XZ\B0X\ L˜]\ܝ]K]\^HZXܛ][p]X\H[Yۘ\H\p[\[܈H ܘ\˂ܛޙ[H0H\YpY\˜[]0ZX\XZ\Y]Y\X\\›\Y\]\[\\ܘ[H\XZ\™\]Y[\ˈ\[HZ[›؜\K\HXZ[܈][0ꛘXKX\›Y[܈[Y0ꛘXKH\Y\]X[˜\\YHH\]pۙBܜ[H\\Y\XZ\ܘ]\˂\H\Y\\[H[[X\›[Z]pY\[[Y\œY^YH[[Y[H[[KB[\XYYHHX\[[Y[›pYXHZ[[œ]YH][X[Y[H[[X\\Y\›YZ\\ܘ[HY\Y\\[B[HYX[YH[H[۝\\Y\Y[Z[0XܝYY\\œ\HYZ]H\\pH\[Yˈ۝Y\XK\H]YH0[X]YHX\[H]]\\\™ܘ[\][[۝\H[H[]YY\H\Y\YZ\\]YB]\[H\[H[\XYYB[\[܈H ܘ\HXZ[܈\]XZ\™\0H[X[ۘYHHZXܛ][X]\[Hݙ\\H\[[BYX[\[H\]p™\\ܝ]ˈ\[[Y[™Hܘ[X\][]Bꛙ\HZ[[]]HBYܰH^X[YYH]\[\Bܜp\\ܝ][BY^\H^HH[Y0ꛘXHH\Y\™Xܜ[\HZXܛ][X]\[™HH\\XX\]YH]]\™\0ZZ]˂YܘYX[Y[΂܈HHXH\ۚX[YYHB\p]]ܙ\YܘYX[HB]]\Z[Yܙ\\ۜ]Z\0XۚXH[[Y[H\]Z\BpYXH]YH^\[H\H\[YpY\ܝYY\\\[\\HH[]\XY\H\˂X[ܘYXNKH[YX[[ؚ[ [\\˂[Y[K]\]KY][H[][[ۈقܝ[\Y\ˈH]Y]وۘ\ˈܝ“YY NNLL NNKHPH NNLNM\ܝˈY[[Y[’[\H\Z[[H\[KPH\ܝ NNM˂HܛHKX\QKY[\” H\Y[Z[HوTY\][[\\ KL ˈ[HܝYY  ͈ LL̎ LB H[KX[H\Y\\ܝ\΂XY۰X][][Y[ˈ[B[Z\Έ][\ KH\[]\[K[\]]Y[BKHYXX[]Hوܝ[\Y\ˈܝ“YYX[K NN  N LLHX\YH \Y\0\X\\ܝ\KY]ܚX[[Z[ˈ NN B˂HXXHP\YHS X\YH \Y\›[X[Z[[ܝYpˈ[H\Y˜[\[ۘ]X[ۘ[H[YZ\H]\[[܂[Z[[˂ Hܘ\ܘ\ܝ[\H\YX][ۈ\[H PKܝX[ NNMNŒLNKM BKHY\[[[X\[U ]]\Z[\[]]X[\H Y[][ۊO•]\Z[\[[\H \[JO[HܝYY NNM\ N͍KN L QZ[H\و[\H\X][ۋ ŒLKP\[KXۙYH[\H]\[[ۙ›Y[[Y[[YX]H\][[\PH]H[]Y]و]\]\K[HܝYY NNMN NM M BLSY\[H\^HSYHˈH[Y[Hو[\H[^\Y\][BX]HYH[[ۙX[H[[X[H]]\ˈ[HܝYY NNNN NM LNBL˂R[[ \ۚHQ[܈P ]\[[][[\Y\[]]\وH X\۰^[X[Y[YY[Z[X[KXHܝ\ M  LŒM SXYۙ\K[\ۈK[\˂]ۙX[ۜ[Z]ܝ\X\][ۏ‘^\Y[H] L M ]]\ˈ\X[[ܝYYX[K NNL NM LM ŒMKPZ[H ۝][\[[\ \\ [X \HYK^YX\\Y[Z[X[YHو[\\YX[[[™[X[H[[\ˈ\X[\\H[ܝ L LŒMR[HKܘZܘYP][X[ ]\ۈ [[\Y\\[QB\[Y[[H[\X[Y\ NNN K][Y[[[\[Y[][ۈو[[\K\\ܝ[\[K[HܝYY ̎ NKM˂R\KZ[[ XX[Xܜœ[]YH\[Hو]]X[\\˂\[وܝ^\\HXKNNNL MLMŒN Pܙ]\Y\\[\ܛX[KYYX[HX]\ˈ N LN M˂