Revista de Medicina Desportiva Informa Março 2012 - Page 20

Tabela 1 . Causas de Rinite ( adaptado de Bousquet , J ., et al ., Allergic Rhinitis and its Impact on Asthma ( ARIA ) 2008 update ).
1 . Rinite Alérgica
2 . Rinite Não Alérgica
• Rinite Vasomotora ( contato com agente irritativo , ar frio , exercício , frequentemente por um agente indeterminado )
• Rinite Gustativa ( surge após ingestão de alimentos sólidos ou líquidos , nomeadamente quentes e picantes )
• Rinite infeciosa ( etiologia vírica é a mais frequente , mas pode também ter causa bacteriana )
3 . Rinite Ocupacional
• Mediada por Imunoglobulina E ( alergénios químicos e proteicos )
• Mecanismo Imune Indeterminado ( sensibilização respiratória a determinado químico )
4 . Síndromes de Rinite
• Secundária a alterações hormonais ( gravidez ou ciclo menstrual )
• Secundária a fármacos
• Rinite medicamentosa ( uso crónico de descongestionantes nasais ) Anti-inflamatórios não esteróides Contracetivos orais Anti-hipertensores
• Rinite atrófica
• Rinite associada a patologias inflamatórias / imunológicas Infecção granulomatosa Doença granulomatosa de Wegener Sarcoidose Granuloma da linha média Síndrome de Churg-Strauss Policondrite Recorrente
• Amiloidose
do esquiador ”), apresentando total resolução do problema após suspender a atividade desportiva . Os corredores de longa distância , após a corrida podem apresentar agravamento dos sintomas , com aumento da secreção nasal a contrariar os sintomas de vasoconstrição nasal local que decorreram com o exercício 3 . Todos estes elementos contribuem para o aparecimento de sintomas de rinite no atleta e devem ser reconhecidos os fatores de risco para suscetibilidade a estes sintomas .
A rinite afeta o desempenho do atleta ? Sim !
A rinite tem um importante impacto na qualidade de vida . A sensação contínua de obstrução nasal e rinorreia dificulta o sono , a capacidade de concentração . Num estudo em 145 atletas após instituído tratamento para a rinite alérgica ( com corticoide nasal ) foi verificada a melhoria significativa da qualidade de vida 5 . Apesar de não existir evidência científica de uma associação direta entre a doença e impacto negativo no desempenho , pode-se facilmente inferir a sua presença pela comprovada evidência de distúrbios do sono e concentração associado aos sintomas de rinite 6 .
A rinite é um desafio diagnóstico ?
O diagnóstico sustenta-se em três pilares : os sintomas alérgicos , o exame físico , geralmente suportados por exames complementares de diagnóstico 1 .
A história clínica representa um particular desafio no atleta , o qual pode não apresentar os sintomas típicos de obstrução nasal , rinorreia anterior e esternutos , mas surgir mascarada como um distúrbio do sono ou fadiga . Assim , é essencial estabelecer uma boa caraterização do padrão da sintomatologia , cronicidade , sazonalidade , fatores despoletadores , resposta à medicação e mesmo avaliação do impacto na qualidade de vida 7 . A entrevista seriada permite avaliar a evolução da doença , a gravidade e a resposta ao tratamento . Poderão ser usados neste controlo questionários . Para a população geral , encontra-se validado em Portugal o Control of Allergic Rhinitis and Asthma Test ( CARAT ) ou um questionário apropriado para atletas como o Allergy Questionnaire for Atheletes ( AQUA ).
No exame físico podem não surgir alterações , principalmente quando os sintomas são intermitentes , mas deverá verificar-se a presença de alguns sinais chaves , nomeadamente a descoloração da mucosa nasal , edema e eritema da mucosa ou escorrência nasal anterior e posterior 8 . A exclusão de complicações infeciosas , sinusite ou otite não deverá ser descurada no exame objetivo .
Os exames complementares são particularmente úteis no diagnóstico da rinite alérgica . Podem ser usadas medidas que confirmam atopia , sendo o uso de testes cutâneos com alergénios inalantes a mais eficaz . Pode-se no caso de situações específicas , como o doente se encontrar sob medicação anti-histamínica ou apresentar dermografismo , optar- -se pelo estudo dos valores no soro de IgE específica e IgE Total , sendo o valor da última inútil quando obtido isoladamente 1 , 8 . O uso de estudo imagiológico , sendo o mais adequado no estudo de patologia sino-nasal a Tomografia Computadorizada , deverá ficar reservada para excluir a presença de rinosinusite crónica ou de complicações ( quando suspeitas ), avaliar ausência de resposta terapêutica ou para excluir malformações ósseas ou lesões decorrentes após trauma , principalmente nos praticantes de desporto de contacto próximo 1 , 9 .
Como tratar a rinite do atleta ?
A abordagem da rinite deverá empreender ações em quatro vertentes : educação do atleta no reconhecimento dos sintomas e no reforço da adesão terapêutica ; no controlo da exposição ambiental ; tratamento farmacológico e , no caso , da rinite alérgica a opção da imunoterapia específica 1 , 10 . Todas estas vertentes devem ter sempre ter em conta a realidade do atleta , de forma a evitar o efeito lateral da medicação no rendimento , cumprindo as regulamentações da Agência de Anti-Doping Mundial ( WADA ) ( Tabela 2 ) 11 .
A redução da exposição a alergénios ou a componentes nocivos será talvez uma das tarefas mais difíceis e por vezes impossível , visto a grande maioria dos atletas praticar desporto
18 · Março 2012 www . revdesportiva . pt
Tabela 1. Causas de Rinite (adaptado de Bousquet, J., et al., Allergic Rhinitis and its Impact on Asthma (ARIA) 2008 update). 1. Rinite Alérgica 2. Rinite Não Alérgica • Rinite Vasomotora (contato com agente irritativo, ar frio, exercício, frequentemente por um agente indeterminado) • Rinite Gustativa (surge após ingestão de alimentos sólidos ou líquidos, nomeadamente quentes e picantes) • Rinite infeciosa (etiologia vírica é a mais frequente , mas pode também ter causa bacteriana) 3. Rinite Ocupacional • Mediada por Imunoglobulina E (alergénios químicos e proteicos) • Mecanismo Imune Indeterminado (sensibilização respiratória a determinado químico) 4. Síndromes de Rinite • Secundária a alterações hormonais (gravidez ou ciclo menstrual) • Secundária a fármacos • Rinite medicamentosa (uso crónico de descongestionantes nasais) Anti-inflamatórios não esteróides Contracetivos orais Anti-hipertensores • Rinite atrófica • Rinite associada a patologias inflamatórias/imunológicas Infecção granulomatosa Doença granulomatosa de Wegener Sarcoidose Granuloma da linha média Síndrome de Churg-Strauss Policondrite Recorrente • Amiloidose do esquiador”), apresentando total resolução do problema após suspender a atividade desportiva. Os corredores de longa distância, após a corrida podem apresentar agravamento dos sintomas, com aumento da secreção nasal a contrariar os sintomas de vasoconstrição nasal local que decorreram com o exercício3. Todos estes elementos contribuem para o aparecimento de sintomas de rinite no atleta e devem ser reconhecidos os fatores de risco para suscetibilidade a estes sintomas. A rinite afeta o desempenho do atleta? Sim! A rinite tem um importante impacto na qualidade de vida. A sensação contínua de obstrução nasal e rinorreia dificulta o sono, a capacidade de concentração. Num \Y[H M B]]\\0[]pY][Y[œ\HH[]H[0\XH HܝXYB\[ HH\YXYHHY[ܚXBYۚYX]]HH]X[YYHHYMK\\\H^\\]Y0ꛘXBY[0YXHH[XH\Xp\]B[HHH[\XY]]›\[\[K\HX[Y[B[\\HXH\[H[H\ݘYH]Y0ꛘXHH\0[ŒN0X\ L˜]\ܝ]KۛHۘ[p\XY[œ[X\H[]MH[]H0H[H\Y[XY۰X“XY۰X\[K\H[Hœ[\\Έ[X\[0\X™^[YH\X\[Y[H\ܝY܈^[Y\\[Y[\\BXY۰XKH\0ܚXH0[XH\\[H[B\X[\\Y[]]K]X[H\\[\[X\0\XH؜p\[ [ܜZXB[\[܈H\\]X\\\X\\YH[[H\0[œۛHYYK\[K0H\[X[\X[X\[XHH\]\^pYH[X]XKܛۚXYYK^ۘ[YYK]ܙ\™\]Yܙ\\H0YYXpHY\[][Xp[\X›H]X[YYHHYMˈH[]\B\XYH\Z]H][X\H]p™HHܘ]YYHHH\B[][Y[ˈ\\\Y›\H۝]Y\[۰\[ˈ\BH[p\[ [۝K\H[YY[HܝY[۝و[\X”[]\[\XH\ TU HB[H]Y\[۰\[\XY\B]]\[[\H]Y\[ۛZ\B܈][]\ TUPJK^[YH\X[H\\[\pY\[\[Y[H]X[›[X\[\Z][\X\™]\H\YX\\HH\[HB[[[Z\]\YXY[Y[HH\ܘpH]XB\[ Y[XHH\][XHH]XBH\ܜꛘXH\[[\[܈B\[܎ H^\H\XpY\[X[\[\]HH]B]\H\\\YH^[YBؚ]]˂^[Y\\[Y[\\œ\X[\Y[H0Z\XY۰X™H[]H[0\XK[H\\Y\›YYY\]YHۙ\X[H]XK[\H\\]0蛙[B[\[[[[[\HXZ\YX^K\H\H]XpY\\XYX\[[HH[۝\؈YYXp[KZ\[p[XHB\\[\\[ܘY\[\\H[\Y[ܙ\ܛ™HYH\XYXHHYH[ [›[܈H0[XH[[]X[›؝Y\Y[Y[LK \B\Y[XY[0X[XZ\˜Y\]XY\YH]XB[[\[H[ܘYXH\]Yܚ^YK]\HX\\\YH\B^Z\H\[HH[[\]BܰۚXHHH\XpY\ ]X[œ\Z]\K][X\]\ꛘXHB\H\\0]XHH\H^Z\X[ܛXpY\0X\H\Y\™Xܜ[\\0][XK[\[Y[H]X[\H\ܝ™H۝X[[KK[]\H[]H]]OHXܙY[HH[]H]\B[\Y[\pY\[H]X]\[\ΈYXp]]HœXۚX[Y[[X\HœYܰHY\\\0]XN˜۝H^p[XY[[][Y[\XX0XK\B[]H[0\XHH0H[][\\XH\XYXLK L \\\\[\][H\[\H\[H۝HBX[YYH]]KHܛXHH]]\YZ]]\[HYYXp[[Y[[\[\Y[[Y[pY\HYꛘXHH[KQ[“][X[ QJH X[H LLKHYpH^pH[\[[HH\ۙ[\]\B[^[XH\\Y\XZ\YXZ\™H܈^\[\][ \Hܘ[BXZ[ܚXH]]\]X\\ܝ‚