Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2020 - Page 31

cancelou os eventos de qualificação para os Jogos Olímpicos até dia 30 de Abril. 26 No boxe, os torneios de qualificação Europeus, Americanos e Mundiais para os Jogos Olímpicos foram suspensos, medida decretada pelo Comité Olímpico Internacional. No ténis, escalão masculino e feminino, as provas foram suspensas internacionalmente até 7 de junho, sendo que os rankings ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) e WTA (Women’s Tennis Association) estão suspensos. 28 No râguebi, a competição das Seis Nações foi adiada. No beisebol, a Major League Baseball anunciou que a época desportiva de 2020 irá começar com adiamento de pelo menos 8 semanas. 26 Quanto à Fórmula 1, o Gran Prix do Azerbeijão foi recentemente adiado, determinando-se que não ocorrerão corridas de Fórmula 1, no melhor dos cenários, até meio de Junho. 28 Em Portugal, à semelhança da realidade mundial, a atual pandemia deixou o desporto de quarentena. As diferentes federações têm anunciado a suspensão das respetivas competições, sendo que as principais modalidades coletivas estão interrompidas. No andebol, a fase regular do campeonato nacional tinha acabado de terminar quando foi decretada a suspensão da competição. O basquetebol, o futsal, o hóquei patins e o voleibol são modalidades cuja prática foi interrompida, sendo que a Federação Portuguesa de Voleibol determinou 31 de agosto de 2020 como provável data para a retoma das atividades. 29 No que respeita ao futebol, as competições profissionais foram suspensas e as competições de formação todas canceladas. Em comunicados, a Federação Portuguesa de Futebol declarou que se dão por concluídas as competições nacionais de todos os escalões de formação de futebol e futsal, masculinas e femininas, não resultando destas qualquer efeito desportivo imediato, determinando assim que não serão atribuídos títulos, nem aplicado o regime de subidas e descidas. 30 Mais recentemente foram também dadas por concluídas, sem vencedores, títulos e subidas ou descidas, todas as competições nacionais não profissionais seniores de futebol, incluindo o Campeonato de Portugal (3ª divisão nacional). 31 Tal como referido do ponto de vista da sociedade em geral, também os atletas e os clubes desportivos estão a sofrer o impacto financeiro da interrupção da atividade desportiva, o que em alguns casos poderá colocar em causa a viabilidade económica de algumas instituições. A ausência de jogos diminui consideravelmente as receitas dos clubes em várias áreas (bilheteiras, televisão, patrocínios, atividades de formação, entre outros), o que pode colocar em causa o pagamento dos vencimentos dos seus funcionários, entre os quais os atletas. Vários clubes já renegoriaram alguns contratos de atletas em termos de redução salarial, de modo a poder ajustá-los à nova realidade económica. De maneira semelhante também a sustentabilidade financeira de federações e associações desportivas poderá estar seriamente em causa. Esta situação de crise económica poderá na época pós-pandemia comprometer a continuidade da atividade desportiva de formação de vários jovens como também das competições como as conhecemos até hoje. Isolamento social e impacto no desporto O adiamento e cancelamento das provas é apenas parte da preocupação das federações, clubes e atletas. A gravidade da pandemia obrigou ao isolamento social, o que identifica uma mudança radical na vida do atleta, especificamente na rotina diária. No sentido de minimizar o efeito do isolamento na componente física do atleta, frequentemente os atletas seguem planos de treino domiciliário sob a orientação dos treinadores e clubes que, embora permitam manter um determinado nível de treino em volume e intensidade adequados, falham na capacidade de mimetizar os momentos e as necessidades físicas do jogo. Este fenómeno implicará necessidade acrescida de monitorização individual do atleta no regresso à competição, no sentido de minimizar a ocorrência de lesões na retoma dos níveis de exigência competitiva prévia. Para além da dimensão física, surge a questão da saúde mental do atleta. 32 A permanência em casa é desagradável, pois não só não se sabe qual será a duração, como existe privação da liberdade, do contacto direto com os amigos e familiares. Como tal, face a esta nova realidade é natural ter medo e estar apreensivo sobre o presente e o futuro, é natural a desilusão perante tantas dúvidas sem resposta e é natural questionar os outros e os próprios. O isolamento social comporta igualmente preocupações relativas ao receio de ser infetado, de estar a colocar em risco as carreiras desportivas, da perda de rendimento e de problemas económicos. Recomenda-se que nesta fase o atleta entenda que o melhor modo de ultrapassar esta situação é aceitá-la e tomar consciência que não mudará nas próximas semanas ou meses. É determinante perceber que há profissionais de várias áreas a trabalhar arduamente em benefício de todos os outros, com maior ou menor risco, com o objetivo de resolver do melhor modo este problema. Só estas noções já darão alguma saúde mental. Deve- -se evitar desenvolver sentimentos de tristeza, raiva, culpa, frustração, ansiedade, que poderão ser crescentes com o evoluir do tempo. É natural estes sentimentos evoluirem com o decorrer da quarentena e ao mesmo tempo é obrigação do ser humano contrariar esta tendência. A frustração de não poder realizar tarefas da vida diária, profissionais ou outras, aumenta com o tempo, no entanto o passar do tempo é também sinónimo de que a solução está mais perto. O pessimista seguirá com mais facilidade o caminho negativo, enquanto o otimista verá uma oportunidade para outras atividades, para outras relações e para se inventar ou se descobrir. O produto humano inacabado tem agora esta oportunidade que lhe foi concedida e tem obrigação de tirar dela o melhor proveiro. Deve procurar ganhar o tempo reinventando-se em vez de desperdiçar este período, vendo-o como perda de tempo. Recomendam-se várias estratégias para melhor enfrentar a prolongada permanência no domicílio nesta fase difícil na vida de todos, entre as quais: • Comunicar com alguém em que se confia, falar com com quem se gosta e mesmo falar com a pessoa Revista de Medicina Desportiva informa maio 2020· 29