Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2020 - Page 16

tratamento conservador, este deve contemplar um período inicial de controlo sintomático durante a fase hiperálgica (2-3 semanas), seguido de um programa de reabilitação funcional progressiva com foco na mobilização articular, fortalecimento e alongamento musculares (4-6 semanas), fundamentais para a recuperação e retorno à prática desportiva semelhante ao nível competitivo prévio. Conclusões A fratura-avulsão da crista ilíaca é uma lesão fisária rara que surge em doentes esqueleticamente imaturos, frequentemente por trauma indireto por contração súbita da musculatura inserida na região epifisária da crista ilíaca. A importância da anamnese, valorização do mecanismo de lesão, suspeição diagnóstica e rigorosa avaliação clínica e imagiológica do doente, permitem estabelecer o diagnóstico e o plano terapêutico adequado. O tratamento conservador da fratura-avulsão da crista ilíaca é considerado o gold-standard, estando associado a excelentes resultados clínicos e de retorno desportivo, reservando-se o tratamento cirúrgico para os casos de desvio fragmentário superior a 3cm. Os autores negam qualquer conflito de interesse, assim como a não publicação prévia deste manuscrito. Contacto João André Marcelino Boavida Mail: Joaoboavida8@gmail.com Bibliografia 1. Steerman JG, Reeder DO, Udermann BE, Pettitt RW, Murray SR. Avulsion fracture of the iliac crest apophysis in a collegiate wrestler. Clin J Sport Med 2008; 18:102-103. 2. Kjellin I, Stadnick ME, Awh MH. Orthopaedic magnetic resonance imaging challenge: apophyseal avulsions at the pelvis. Sports Health. 2010; 2:247-5. 3. Hébert KJ, Laor T, Divine JG, et al. MRI appearance of chronic stress injury of the iliac crest apophysis in adolescent athletes. AJR Am J Roentgenol. 2008; 190:1487-91. 4. Vandervliet EJ, Vanhoenacker FM, Snoeckx A, Gielen JL, Van Dyck P, Parizel PM. Sports- -related acute and chronic avulsion injuries in children and adolescents with special emphasis on tennis. Br J Sports Med. 2007; 41:827-31. Restante Bibliografia em: www.revdesportiva.pt (A Revista Online) A newsletter da ESSKA, publicada em abril, apresenta notícias referentes a três distintos ortopedistas portugueses bastante envolvidos nas atividades desta sociedade europeia. Na secção Pillars of ESSKA, na qual se honra as individualidades que têm sido o pilar desta sociedade europeia, o Prof. Doutor João Espregueira-Mendes é entrevistado pelo Dr. Mustafa Karahan (ESSKA Academy Editor). A partir desta entrevista ficamos a saber da ligação histórica familiar, avô e pai, à ortopedia, o que foi determinante para a sua orientação profissional. A vinda do Dr. Karl Peter Benedetto a Portugal, em 2002, ao Congresso da SPAT, foi a porta de entrada para a estrutura da ESSKA, começando por ser o tesoureiro, o que o encantou bastante esta oportunidade de entrada na administração da ESSKA, por onde andou 14 anos e colecionou momentos extraordinários, assim como extraordinárias foram as pessoas que foi conhecendo pelo Mundo. Teve uma presidência muita ativa: criou a ESSKA Foundation, no Luxemburgo, comprou a Revista KSSTA à Springer, lançou a ESSKA Academy, criou uma nova sede no Luxemburgo, contratou o atual Diretor Executivo e organizou o Congresso ESSKA de 2008, no Porto. A ESSKA é agora uma das mais importantes sociedades médicas no ensino da Medicina Desportiva Ortopédica, apoiando as sociedades nacionais vocacionadas para esta atividade, e com forte ligação à congénere internacional, a ISAKOS. Ele perspetiva um futuro de sucesso, com o empenhamento de lideranças competentes e de pessoas dedicadas, estando assim garantida a educação médica nesta área do saber. A melhorar bastante, no seu entender, é relação com a indústria, assim como a sua melhor e mais ativa participação nos programas de formação específica. Aos jovens que querem seguir esta carreira apela para que nunca comprometam os valores morais e éticos e coloquem o doente em primeiro lugar. Finalmente, revela que o seu grande sonho é a criação, no Porto, do Museu das Descobertas com Arte Lusíada. Um dia veremos tal Museu, não tenhamos dúvida. O Dr. Henrique Jones, Chairman da European Sports Medicine Associates (ESMA), uma secção da ESSKA, esteve no final de 2019 em três congressos internacionais em representação da ESSKA-ESMA, assim como orador convidado, numa pequena maratona de três semanas. Juntamente com o Presidente da ESSKA, o Dr. David Dejour, esteve no ASTAOR Congress, realizado em Moscovo (21 e 22 de novembro), depois viajou para o Congresso da SPAT, realizado em Braga nos dias 28 e 29 do mesmo mês. Neste congresso houve um momento de reconhecimento e gratidão com a atribuição da categoria de membro honorário da SPAT aos Drs. David Dejour, Juan C. Monllau e Jon Karlsson. Finalmente, viajou até Lotz, na Polónia, para estar presente no PolMuLTS Congress, realizado de 12 a 14 de dezembro, onde apresentou a palestra Soft tissue overuse injuries and stress fractures in sport. Neste congresso, o Dr. Marek Krochmalski, Presidente do PolMuLTS, atribuiu ao Dr. Henrique Jones o título de Membro Honorário, título que o prestigia ainda mais, mas que também valoriza a medicina portuguesa. O Dr. Hélder Pereira foi um dos instrutores do ESSKA Advanced Ankle Arthroscopy Course – All about Hindfoot Sporting Injuries, realizado em Munique, nos dias 9 e 10 de dezembro. Nste curso, no formato hands-on surgical-skills, estiveram algumas dezenas de médicos de muitos países. 14 maio 2020 www.revdesportiva.pt