Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2019 - Page 33

Rev. Medicina Desportiva informa, 2019; 10(3):31. https://doi.org/10.23911/News_ESSKA_1_2019_5 A 1ª edição da Newsletter da ESSKA, a de março, entrou-nos em casa, via e-mail, com muita frescura, design bonito, muito clean e rica em informação e conteúdo científico. É mais uma vez um veículo de infor- mação privilegiado da ESSKA que se lê de modo simples e rápido. Tem artigos científicos, tem uma rica agenda de eventos e tem os relatórios dos médicos que bene- ficiaram de fellowships por esses países da Europa. Tem artigos de opinião, mas também uma notícia que nos deixa sempre tristes: o Dr. Sjung Hermans, fundador da medi- cina desportiva na Holanda, past- -President da ESSKA (1992-1994), faleceu em outubro aos 82 anos de idade. No texto de homenagem, ela- borado pelos seus fellows de 1989, refere-se que ele desempenhou uma função importante na histó- ria da ESSKA, tendo organizado o respetivo congresso em 1988, o qual foi de “enorme sucesso, dado que Sjung foi um grande organizador, um orador dotado e um hospedeiro perfeito”. A ESSKA não é só ciência, não é só Medicina: é também uma instituição onde a gratidão é um valor nunca esquecido. Não pode- mos nunca esquecer aqueles que fizeram caminho que agora cami- nhamos. E a gratidão e reconheci- mento da ESSKA continua. Nesta edição é publicado o nome dos revisores que completaram mais de 10 revisões (foram 10) e entre 4 e 9 revisões (124), agradecendo-se “o seu tempo despendido, enviando para nós boas revisões para a nossa Revista”. Um memorandum de entendi- mento foi assinado entre a ESSKA e a EFORT (European Federation of National Associations of Orthopae- dics and Traumatology) no sentido da colaboração mútua. Doravante, a ESSKA participará “no congresso da EFORT e contribuirá na organização do programa científico”, assim como “providenciará sessões de especiali- dade no âmbito da competência da ESSKA”. Aliás, já existe colaboração entre as duas instituições através dos cursos da European Knee Asso- ciates (EKA). Os relatórios dos médicos partici- pantes em três travelling fellowships - 1 st ESSKA-ESA Philippe Hardy Tra- velling Fellowship 2018 (3 fellows, nos quais participou a Dra. Ana Catarina Ângelo), ESSKA Stipend for the Euro- pean Arthroscopy Fellowship 2018 (4 fellows) e ESSKA-EKA Knee Arthro- plasty Fellowship 2018 (3 fellows) – estão publicados nesta edição da Newsletter. São relatos pormenori- zados que descrevem o quotidiano ao longo das cerca de três semanas de experiência médica, prática cirúrgica e alguma social, para não dizer também gastronómica. Nota- -se entusiasmo e satisfação nestes relatos, descritos na forma de diário e ficamos a saber por onde passa- ram, com quem estiveram, o que viram e fizeram. Ciência e trabalho à parte, importa realçar o que mun- dialmente é reconhecido: a nossa comida. O Dr. Nuno Gomes, o host do grupo que visitou o Porto, esco- lheu bem a ementa e no relatório pode ler-se: “Não poderíamos deixar o Porto sem provar a famosa Fran- cesinha, foi uma verdadeira delícia para estas mentes viajantes famin- tas! Deixámos o Porto satisfeitos, o estômago cheio e cheios de memó- rias duradouras”. Mas o Dr. Henrique Jones não fez por menos, pois fechou um Restaurante para servir apenas os seus convidados, que no final um acabou por concluir: “Marisco como nunca tinha visto antes, acompa- nhado de muito vinho e diversão”. Parabéns aos nossos colegas, que mais uma vez deram conhecer Por- tugal ao Mundo. Nesta Newsletter alguns temas científicos de revisão são publi- cados. Um deles tem como título “What do we do today with a scope inside and around the hip: review of general indication of hip arthros- copy”, publicado pelos autores Nestor A. Zurita, Angel Calvo, Filippo Randelli, Nicolas Bonin, e que aborda a utilização da artroscopia para patologias extra e intra-articulares da anca, referindo-se que “não existe um sistema de classificação para o largo espectro de patologias da anca”. No grupo das patologias intra- -articulares os autores escrevem sobre o conflito femoroacetabular, roturas do labrum, lesões condrais e doença articular degenerativa, ins- tabilidade capsular, sinovite e corpos livres. Nas patologias extra-articu- lares referem o ressalto interno ou coxa saltans interna, síndrome dolo- roso do grande trocânter, síndrome profundo do glúteo e a síndrome do conflito isquiofemoral. É um texto que de modo resumido, apoiado em bibliografia atual, permite ter uma rápida visão sobre estas patologias, assim como abordagem terapêutica. O nosso Dr. Henrique Jones tem uma participação muito interessante nesta edição. É também uma homenagem e mais um sinal de reconhecimento por alguém que fez este caminho: o Dr. John Bergfeld. Escreve que em 1991, numa confe- rência em Paris, o Dr. Bergfeld referiu sete lesões desportivas, nas quais a cirurgia tem maus resultados, pelo que “os cirurgiões deviam ser críticos em relação à indicação cirúrgica”: 1. Luxação acromioclavicular; 2. Luxação do ombro; 3. Luxação da articulação inter-falângica proximal na mão; 4. Lesão do ligamento cruzado posterior; 5. Lesão do ligamento colateral medial do joelho; 6. Entorse do tornozelo; 7. Fratura de stress da tíbia. Para cada uma destas patologias é feita uma breve abordagem terapêutica onde se pretende responder ao título “Sports trauma controversies: surgery or conservative treatment? What changed, and why, from 1991 until now? A schematic approach”. Convida-se o leitor a descobrir as diferenças. Finalmente, na Newsletter os Drs. Matteo Denti e David Dejour, respe- tivamente Presidente do congresso e da ESSKA, fazem o convite à parti- cipação no 19. º Congresso ESSKA, a realizar em Milão, de 6 a 9 de maio. O tema do congresso será Fashion Meets Science. Revista de Medicina Desportiva informa maio 2019 · 31