Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2019 - Page 32

Tabela 1. Programa de reabilitação realizado até regresso à competição Dia Objetivo Exercícios/técnicas de tratamento 4 Correção de falha posicio- nal. Diminuição da dor Trabalho condicionado em campo: especificidade do treino Trabalho de ginásio TENS analgésico no local da queixa Trabalho em campo: Deslocamentos entre cones com alternância de apoios e direções; controlo de bola no solo e no ar; passe de bola com domínio e de primeira, a curta distância; controlo de bola den- tro do quadrado; trabalho propriocetivo com superfície instável e na relva Trabalho de ginásio: Elíptica e passadeira; trabalho propriocetivo em plataforma instável com e sem transferência de peso em diferentes planos 5 6 7 Correção de falha posicio- nal. Diminuição da dor. Trabalho condicionado em campo: especificidade do treino Trabalho de ginásio Treino de resistência. Especificidade do contexto de jogo. Recuperação funcional. Trabalho de ginásio. TENS analgésico no local da queixa Trabalho em campo: O mesmo que dia anterior mais passe de bola com domínio e de primeira, a média distância, rasteiro e a meia altura; traba- lho a dois utilizando as superfícies instáveis, com colocação de dificuldade progressiva; alongamentos; 5 voltas ao campo Trabalho de ginásio: O mesmo que dia anterior mais trabalho propriocetivo em plataforma instável com e sem transferência de peso com tra- balho concêntrico e excêntrico simulando situações de jogo. Trabalho em campo (2 vezes) – 5 estações: Condução de bola entre cones (velocidade média/alta) Condução de bola em espaço reduzido Sprints utilizando linhas da grande área incrementos de veloci- dade nas linhas ao comprimento Trabalho a dois: superfícies instáveis, apoio unipodal (MI quei- xoso), passes com a mão e cabeça Single hop for distance – 6m Trabalho de ginásio: Elíptica; plataforma instável OBSERVAÇÕES Todos os exercícios devem ser realizados com a menor dor possível ou um nível de aceitação no máximo até um valor de 3/10 numa EVN Critério de progressão: não agra- vamento da dor ou melhoria Todos os exercícios devem ser realizados com a menor dor possível ou um nível de aceitação no máximo até um valor de 3/10 numa EVN Critério de progressão: não agra- vamento da dor ou melhoria Exercícios sem queixas ou máximo 3/10 EVN Medição de RPE (não exceder 5, sinais físicos de sensação de calor, sudorese, forte sensação de movimento Critério de progressão: não agra- vamento da dor ou melhoria Treino de resistência. Recuperação funcional. Trabalho de ginásio. Não houve treino. Trabalho de ginásio: Elíptica; plataforma instável; impulsão vertical com agacha- mento; hop test normal e cruzado; deslocamentos laterais com carga de ombro (trabalho a dois) passadeira; alongamentos/ trabalho de rolo 8 Reintegração no treino. Preparação para jogo. Treino de resistência. Recuperação funcional. Treino condicionado com equipa. Trabalho de ginásio: Igual a dia anterior Exercícios/treino sem queixas ou < 3 EVN RPE > 5 9 Reintegração treino Preparação para jogo Treino com a equipa Exercícios/treino sem queixas ou < 3 EVN RPE > 5 Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física 30 maio 2019 www.revdesportiva.pt Exercícios sem queixas ou máximo 3/10 EVN RPE < ou = 5 (critérios de progressão)