Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2016 - Page 9

Rev . Medicina Desportiva informa , 2016 , 7 ( 3 ), pp . 7 – 9

Atualidade

Maldito meldonium !

Dr . Basil Ribeiro , V N Gaia
Já tínhamos tido a história da nandrolona há muitos anos . Vários atletas portugueses acusaram positivo aquando do controlo de dopagem . Depois , veio a metilhexaneamina , que foi motivo de comentário nesta Revista . Na altura vários atletas foram também apanhados , mas conseguiram provar que tinham sido vítimas de contaminação : o seu suplemento de proteínas estava contaminado com esta droga sem que os atletas o soubessem . Foram naturalmente suspensos , mas por um período bastante mais curto , pois as atenuantes assim o aconselhavam . Agora temos o meldonium , um modelador metabólico permitido , mas sob vigilância até 31 / 12 / 2015 , e que passou a fazer parte da Lista de Substância Dopantes ( Lista ) a partir do primeiro dia do corrente ano . Contudo , e apesar dos avisos , o seu consumo continuou e vários controlos positivos foram acontecendo de janeiro para cá . Num dos milhares de controlos realizados pela Federação Internacional de Ténis ( ver Quadro ), aconteceu com a grande campeã Maria Sharapova que , disse , não leu os emails enviados pelas entidades competentes avisando- -a da introdução do meldonium na atual Lista . Assumiu o erro , pediu desculpa aos fans e patrocinadores , mas nada será agora igual . As justificações que têm dado apenas permitirão eventualmente amenizar a pena de suspensão . Durante o mês de maio Maria deverá saber a pena aplicada , a qual poderá ser de 4 anos de suspensão . Contudo , se for provado que a ingestão não foi intencional ( e já referido pela tenista ) a pena poderá ser de dois anos . No entretanto , não se livra das notícias , assim como os contratos com as empresas Porsche , Tag Heuer , Evian , Avon e Nike correm perigo 1 . Tal fará diminuir substancialmente o seu retorno financeiro anual , certamente o menos importante que a eventual degradação da sua imagem como atleta de referência . Daqui a pouco tempo serão os Jogos Olímpicos , no Brasil , e a porta-estandarte da equipa Russa em Londres-2012 certamente que não voltará a repetir tal honra , apesar do apoio das suas autoridades nacionais .
O que é o meldonium ( Mildronato )?
É uma droga anti-isquémica que tem revelado um “ aumento no rendimento de resistência em atletas , melhora a recuperação após o esforço , protege contra o estresse e facilita a ativação das funções do sistema nervoso central ” 2 . Foi descoberta nos anos 80 , e sendo utilizada como um agente cardioprotetor 3 , não está aprovada pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos , mas é de uso comum especialmente nos países do leste europeu . Tem efeitos cardioprotetores no coração isquémico , assim como melhora a insuficiência cardíaca em ratos induzida pelo enfarte agudo do miocárdio 4 .
Sob patrocínio da Partnership for Clean Competition , um projeto especial de investigação , conduzido por cinco cientistas e liderado pelo Dr . Mario Thevis , pretendeu averiguar a taxa de utilização desta droga por parte dos atletas 3 . A partir de uma amostra randomizada de 8300 urinas anónimas , armazenadas no Laboratório de Antidopagem de Colónia , na Alemanha , constatou-se que 182 amostras ( 2,2 %) continham o meldonium . Os investigadores ficaram perplexos , já que este valor de 2,2 % representa mais do dobro da taxa encontrada apenas para uma droga em relação às substâncias indicadas na Lista de Substâncias Proibidas . O uso da droga estava disperso por várias modalidades e não se restringia a um grupo particular de desportos .
Devido ao aumento do mercado negro e a indicação dos atletas do seu consumo , e porque não tem sido usado por razões médicas , esta droga foi colocada sob monitorização no ano de 2015 pela Agência Mundial de Antidopagem ( AMA ) 2 , 3 . Na respetiva página da WEB , a AMA confirma que devido à evidência do “ uso por parte dos atletas com intenção de melhorar o rendimento ”, o meldonium foi acrescentado à Lista de Substância e Métodos Proibidos , com entrada em vigor no dia 01 de janeiro de 2016 5 . É uma droga proibida em competição e fora de competição e pertence ao grupo S4 – 5 , o dos moduladores metabólicos , no qual está também incluída a insulina e insulinomiméticos , a trimetazidina e outros . É considerada uma substância não específica pela AMA 6 , 7 .
O meldonium pode ser apresentado com outros nomes , pelo que há que ter cuidado : meldonio , MET88 , mildronate , quaterin , UNII- -73H7UDN6EC , Kvaterin 8 . Apresenta-se sob a forma de cápsulas de 500mg e de ampolas a 10 %, 5 ml . O laboratório produtor deste medicamento ( Grindex , da Letónia ) refere na sua página da net que a empresa tem muito orgulho neste produto 9 .
As propriedades farmacológicas 10
O meldonium é um análogo estrutural da γ-butirobetaína , a qual possui propriedades vasodilatadoras e que se encontra nas células humanas . No caso de estresse excessivo , para além de um efeito tónico , tem a capacidade de restaurar o equilíbrio
A fórmula molecular : C 6
H 14
N 2
O 2
Revista de Medicina Desportiva informa Maio 2016 · 7
Atualidade Rev. Medicina Desportiva informa, 2016, 7 (3), pp. 7–9 Maldito meldonium! Dr. Basil Ribeiro, V N Gaia Já tínhamos tido a história da nandrolona há muitos anos. Vários atletas portugueses acusaram positivo aquando do controlo de dopagem. Depois, veio a metilhexaneamina, que foi motivo de comentário nesta Revista. Na altura vários atletas foram também apanhados, mas conseguiram provar que tinham sido vítimas de contaminação: o seu suplemento de proteínas estava contaminado com esta droga sem que os atletas o soubessem. Foram naturalmente suspensos, mas por um período bastante mais curto, pois as atenuantes assim o aconselhavam. Agora temos o meldonium, um modelador metabólico permitido, mas sob vigilância até 31/12/2015, e que passou a fazer parte da Lista de Substância Dopantes (Lista) a partir do primeiro dia do corrente ano. Contudo, e apesar dos avisos, o seu consumo continuou e vários controlos positivos foram acontecendo de janeiro para cá. Num dos milhares de controlos realizados pela Federação Internacional de Ténis (ver Quadro), aconteceu com a grande campeã Maria Sharapova que, disse, não leu os emails enviados pelas entidades competentes avisando-a da introdução do meldonium na atual Lista. Assumiu o erro, pediu desculpa aos fans e patrocinadores, mas nada será agora igual. As justificações que têm dado apenas permitirão eventualmente amenizar a pena de suspensão. Durante o mês de maio Maria deverá saber a pena aplicada, a qual poderá ser de 4 anos de suspensão. Contudo, se for provado que a ingestão não foi intencional (e já referido pela tenista) a pena poderá ser de dois anos. No entretanto, não se livra das notícias, assim como os contratos com as empresas Porsche, Tag Heuer, Evian, Avon e Nike correm perigo1. Tal fará diminuir substancialmente o seu retorno financeiro anual, certamente o menos importante que a eventual degradação da sua imagem como atleta de referência. Daqui a pouco tempo serão os Jogos Olímpicos, no Brasil, e a porta-estandarte da equipa Russa em Londres-2012 certamente que não voltará a repetir tal honra, apesar do apoio das suas autoridades nacionais. O que é o meldonium (Mildronato)? É uma droga anti-isquémica que tem revelado um “aumento no rendimento de resistência em atletas, melhora a recuperação após o esforço, protege contra o estresse e facilita a ativação das funções do sistema nervoso central”2. Foi descoberta nos anos 80, e sendo utilizada como um agente cardioprotetor3, não está aprovada pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos, mas é de uso comum especialmente nos países do leste europeu. Tem efeitos cardioprotetores no coração isquémico, assim como melhora a insuficiência cardíaca em ratos induzida pelo enfarte agudo do miocárdio4. Sob patrocínio da Partnership for Clean Competition, um projeto especial de investigação, conduzido por cinco cientistas e liderado p VG"&FWf2&WFVFWRfW&wV"FFRWFƗ:|:6FW7FG&v"'FRF2FWF32'F"FPV7G&&F֗FFR3W&2;62&VF0&&L;7&FRFFvVFP6;6V67FFR6PVR"7G&2""R6FЦVFV2fW7FvF&W0f6&W'W2:VRW7FRf FR""R&W&W6VF2FF'&FFV6G&FV2&VG&vV&V:|:6 :27V'7L:&60F6F2Ɨ7FFR7V'7L:&60&&F2W6FG&vW7FfF7W'6"l:&2FƖFFW2R:66R&W7G&vVw'W'F7V FRFW7'F2FWfFVVFFW&6FVw&RF6:|:6F2FWF2F6WR67VR'VR:6FVР6FW6F"&;VW2:F62W7FG&vf66F6"F&:|:6FR#RV|:6VFFRFFvV"2&W7WFf :vFtT"6f&VRFWfF :WfL:6F( W6"'FRF2FWF26ЦFV:|:6FRVƆ&"&VFVF( VFVf7&W66VFF:Ɨ7FFR7V'7L:&6R:FF0&&F26VG&FVfv"FFRV&FR#cR 8VG&v&&FV6WF:|:6Rf&FR6WF:|:6RW'FV6Rw'W3B( 2RF2GVF&W2WF,;6Ɩ62VW7L:F,:6\:F7VƖR7VƖ֖:F62G&WFFRWG&2 866FW&FV7V'7L:&6:6W7V<:f6VbrVFVFR6W"&W6VFF6WG&2W2VVR:VRFW"7VFFVFUC֖G&FRVFW&T䔒s4uTDdT2fFW&&W6VF6R6"f&FR<:7V2FPSrRFR2RR&&L;7&&GWF"FW7FRVF6VFw&FWFWL;6&VfW&P7V :vFWBVRV&W6FVVF&wVƆW7FR&GWFࠤ2&&VFFW2f&6;6v63VFV :V:vW7G'WGW&F 2'WF&&WF:V77V&&VFFW2f6FFF&2RVP6RV6G&2<:V2V266FRW7G&W76RW6W76f&:FRVVfVFL;66FV66FFRFR&W7FW&"WV:'&l;7&VV7V#3dD$ &Wf7FFRVF6FW7'Fff&#b +rp