Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2016 - Page 28

cair totalmente de costas e sofrer a pontuação máxima 14 .
O mecanismo lesional mais prevalente foi o contacto direto , à semelhança do referido noutros trabalhos 15-18 . A lesão ligamentar por entorse foi a mais prevalente 2 , 6 , 14 , 18 , 19 , verificando-se elevada patologia articular [ 61,7 %], em consonância com o referido na literatura 6 , 8 , 20 , 21 . Esta tendência explica-se pelo facto do judo ser um desporto de contacto , com cadeias cinéticas fechadas , que tende a fortalecer a estrutura músculoesquelética como base de suporte à realização de amplos e ágeis movimentos potencialmente lesivos dos fulcros do movimento 8 .
Verificou-se que 80,7 % das lesões implicou paragem desportiva de pelo menos um treino e / ou competição , número que se justifica pela desvalorização de pequenas lesões , traduzindo de forma expressiva as lesões mais marcantes da vida do atleta e que ele recorda com maior objetividade 8 .
Quanto ao tratamento verificou- -se uma elevada tendência para a aplicação de mecanismos de contenção elástica / imobilização ( adesivos , ligaduras funcionais ou ortóteses não rígidas ) como auxílio na prevenção primária , secundária e terciária da lesão . Realça-se que 6,9 % das lesões identificadas exigiu tratamento cirúrgico , a maioria por lesão meniscal e / ou rutura do LCA .
Conclusão
O judo , como desporto de elevada proximidade física e contacto direto , é uma modalidade comummente associada a lesões . Para o seu aparecimento contribui o início precoce na modalidade e o elevado nível competitivo dos jovens atletas , conduzindo à antecipação de padrões lesionais de gravidade cumulativa . Este trabalho identifica o perfil traumatológico de uma população de jovens judocas de alto nível competitivo , tendo-se obtido as seguintes conclusões :
• Verificou-se que 62 % dos atletas têm peso real acima do peso da categoria em que competem ;
• Regista-se que 83 % dos atletas teve pelo menos uma lesão em relação com a prática da modalidade ;
• Verifica-se que a maioria das lesões ocorreu durante o treino ;
• Cerca de ¾ das lesões ocorrem durante a ação em pé , onde as lesões do membro inferior ocorrem maioritariamente nesta fase da luta , enquanto as do membro superior são mais comuns durante a ação no solo ;
• A maioria das lesões ocorre nos membros , sendo o ombro o segmento mais acometido ;
• O mecanismo lesional mais comum é o contacto direto , sendo que a maioria das lesões tem envolvimento articular e que o tipo de lesão mais prevalente é o entorse ;
• Verifica-se que 81 % de todas as lesões implicam a paragem de pelo menos um treino ou competição ;
• Observou-se elevada tendência para o uso e aplicação de mecanismos de contenção elástica / imobilização .
• Houve necessidade de cirurgia em 6,6 % dos casos , a maioria destes por lesão meniscal e / ou rutura LCA . Com este trabalho procura-se realçar a importância do conhecimento traumatológico da lesão específica no judo . Sendo escassa a publicação nacional de trabalhos relativamente a esta temática , procura-se que este estudo sirva de estímulo e motivação para uma melhor perceção e aprofundamento da traumatologia desportiva nesta modalidade , visando um maior entendimento , discussão e investigação que permita adotar medidas e estratégias de prevenção de lesão futuras .
Bibliografia
1 . Cabral R , Aragão J , Asano R , Neto J . Lesões no Joelho em Atletas de Handebol : Estudo em Atletas Universitários Participantes nos Jogos Universitários Brasileiros . Revista Treinamento Desportivo . 2008:24-8 .
2 . Barsottini D , Guimarães AE , Morais PRd . Relação entre técnicas e lesões em praticantes de judô . Revista Brasileira de Medicina do Esporte . 2006 ; 12:56-60 .
3 . Requa R , Garrick J . Epidemiology of sports injuries . In : Caine D , Caine C , Lindner K , editors . Adult Recreational fitness . Champaign , IL : Human Kinetics ; 1996 . p . 14-28 .
4 . Horta L . As Lesões Típicas do Jovem Desportista . In : Horta L , editor . Prevenção de Lesões no Desporto . 2 .ª Edição ed : Texto Editores ; 2011 . p . 333-42 .
5 . Carazzato J , Rossi J , Fonseca B , Freitas H . Equipe Médica do Comité Olímpico Brasileiro : Atendimento médico desportivo Jogos Pan-
-Americanos – Mar de Plata – 1995 . Rev Bras Med Esporte . 1995:69-79 .
6 . Medeiros D , Silva F . Estudo da Prevalência de Lesões no Aparelho Locomotor em Praticantes de Judô . Belém : Universidade da Amazônia ; 2008 .
7 . Cruz F . Prevenção de Lesões no Judo . In : Horta L , editor . Prevenção de Lesões no Desporto . 2 .ª Edição ed : Texto Editores ; 2011 . p . 397-406 .
8 . Carazzato JG , Cabrita H , Castropil W . Repercussão no aparelho locomotor da prática do judô de alto nível : estudo epidemiológico . Rev Bras Ortop . 1996:957-68 .
9 . Petrolito G , Fabiani M , Spinato R , Manconi R . [ Traumatic auricular hematoma in athletes : histopathological findings and clinical considerations on the experimental animal model ]. Acta Otorhinolaryngol Ital . 1993 ; 13 ( 4 ): 339-47 . 10 . Raschka C , Parzeller M , Banzer W . [ 15 years insurance statistics of incidents and accident types of combat sports injuries of the Rhineland-Pfalz Federal Sports Club ]. Sportverletz Sportschaden . 1999 ; 13 ( 1 ): 17-21 .
11 . Clarsen B , Bahr R , Heymans MW , Engedahl M , Midtsundstad G , Rosenlund L , et al . The prevalence and impact of overuse injuries in five Norwegian sports : Application of a new surveillance method . Scand J Med Sci Sports . 2015 ; 25 ( 3 ): 323-30 .
12 . Bahr R . No injuries , but plenty of pain ? On the methodology for recording overuse symptoms in sports . Br J Sports Med . 2009 ; 43 ( 13 ): 966-72 .
13 . Cruz F . Lesões Traumáticas no Judo . Rev Port Med Desp . 1997 .
14 . James G , Peter W . Injury rates in adult elite judoka . Biol Sport . 2003:25-32 .
15 . James G , Pieter W . Competition injuries in young judo athletes . First International Judo Federation Conference ; Birmingham , UK1997 , Nov 6-9 .
16 . Pieter W , De Crée C . Competition injuries in young and adult judo athletes . The Second Annual Congress of the European College of Sports Science ; Copenhagen , Denmark . 1997 , Aug 20-23 .
17 . Pieter W . Martial arts injuries . Med Sport Sci . 2005 ; 48:59-73 .
18 . Pérez-Turpín J , Penichet-Tomás A , Suárez- -Llorca C , al e . Injury incidence in judokas at the Spanish National University Championship Arch Budo 2013:211-8 .
19 . Santos S , Duarte M , Galli M . Estudo de algumas variáveis físicas como factor de influência nas lesões em judocas . Rev Bras Cinetroanpometria . 2001:42-54 .
20 . Carazzato J , Campos L , Carazzato S . Incidência de lesões traumáticas em atletas competitivos de dez tipos de modalidades esportivas – trabalho individual de duas décadas de especialista em Medicina Esportiva . Rev Bras Ortop . 1992:745-58 .
21 . Lima A , Nogueira J , Rocha V , Knackfuss M . Lesões em Judocas – Incidência entre Escolares . Kinesis . 2000:103-15 .
http :// www . stoplesoesnodesporto . com
26 Maio 2016 www . revdesportiva . pt
cair totalmente de costas e sofrer a pontuação máxima14. O mecanismo lesional mais prevalente foi o contacto direto, à semelhança do referido noutros trabalhos15-18. A lesão ligamentar por entorse foi a mais prevalente2,6,14,18,19, verificando-se elevada patologia articular [61,7%], em consonância com o referido na literatura6,8,20,21. Esta tendência explica-se pelo facto do judo ser um desporto de contacto, com cadeias cinéticas fechadas, que tende a fortalecer a estrutura músculoesquelética como base de suporte à realização de amplos e ágeis movimentos potencialmente lesivos dos fulcros do movimento8. Verificou-se que 80,7% das l \Y\š[\XH\Y[H\ܝ]HB[Y[[HZ[KH\]pY\]YHH\YXH[B\ݘ[ܚ^pH\]Y[\\Y\Y^[HܛXH^\]H\›\Y\XZ\X\[\HYH˜]]HH]YH[HXܙHHXZ[܂ؚ]]YYN ]X[[][Y[\YXK\H[XH[]YH[0ꛘXH\HB\XpHYX[\[H۝[[0\XK[[ؚ[^p Y\]YY\\[[ۘZ\Hܝ0\\›YY\H[]^0[[H][[p\XKX[0\XHH\p\XBH\ˈX[0K\H]YH IH\›\Y\Y[YXY\^Y]H][Y[\XHXZ[ܚXH܈\›Y[\[KH]\HKۘ\“Y[\ܝH[]YB[ZYYH\XHH۝X\]H[XH[[YYH][[Y[B\XYHH\Y\ˈ\H]H\\X[Y[۝XZH[X[XBH[[YYHH[]Y][\]]]ݙ[]]\ۙ^[0[X\pHYY\›\[ۘZ\Hܘ]YYH[][]]K\HX[Y[YXH\[][X]0XH[XH[pBݙ[Y\H[][\]]][\H؝Y\YZ[\˜ۘ\Y\΂(H\YXK\H]YH H]]\0H\X[X[XH\B]YܚXH[H]YH\][N¸(HY\K\H]YH H]]\]B[Y[[XH\[H[p˜HH]XHH[[YYNŒXZ[ M˜]\ܝ]K(H\YXK\H]YHHXZ[ܚXH\›\Y\ܜ]H\[HZ[¸(H\HH0\\Y\ܜ[B\[HHp[H0KۙH\›\Y\Y[X[\[܈ܜ[HXZ[ܚ]\X[Y[H\H\BH]K[]X[\Y[Xœ\\[܈XZ\][\[BHp¸(HHXZ[ܚXH\\Y\ܜH›Y[X[XYY[XZ\XY]Y¸(HYX[\[\[ۘ[XZ\][BH۝X\][]YHBXZ[ܚXH\\Y\[H[[Y[\X[\H]YH\B\XZ\][[H0H[ܜN¸(H\YXK\H]YH IHH\\›\Y\[\X[HH\Y[HH[›Y[[HZ[H\]p¸(H؜\K\H[]YH[0ꛘXB\H\H\XpHYX[\[H۝[[0\XK[[ؚ[^p˂(H]HX\YYHH\\XH[B H\HXZ[ܚXH\\œ܈\Y[\[KH]\HKH\HX[\K\HX[0\H[\ܝ0蛘XHۚX[Y[][X]0XH\\XYXBYˈ[\\HHXXp›X[ۘ[HX[[]][Y[BH\H[p]XK\K\H]YH\B\Y\HH\0[][H[]p\H[XHY[܈\pB\ٝ[[Y[H][X]XH\ܝ]H\H[[YYK\[[HXZ[܈[[[Y[\\H[\Yp]YH\Z]HY\YYY\H\]0YX\B][H\]\\˂X[ܘYXBKHX[\Y\[]\Y\›[[H]]\H[X\Y[B]]\[]\]0\[\X\[\•[]\]0\[\[Z\ˈ]\HZ[[Y[\ܝ]ˈ  N H\[H Z[X\\QK[ܘZ\ [p[H0XۚX\H\Y\[H]X[\™HY0 ]\H\[Z\HHYYX[H‘\ܝK LMM ˂H\]XH\X\Y[Z[Hوܝš[\Y\ˈ[Z[H Z[H[\Y]ܜ˂Y[XܙX][ۘ[]\ˈ[\ZYۋS[X[[]X NNM M L HܝH \\Y\0\X\ݙ[H\ܝ\K[ܝH Y]܋][H\Y\›\ܝˈ YpY^Y]ܙ\Œ LK M KH\^]HۜXHZ]\ \]Z\HpYXHZ]0H0[\X\[Z\΂][[Y[pYX\ܝ][BP[Y\X[8$X\H]H8$ NNMK]\“YY\ܝK NNMNKMKHYYZ\ [H\YH][0ꛘXHB\Y\\\[[܈[H]X[\BY0 [0[N[]\YYHH[X^XN  ˂Hܝ^][H\Y\Yˈ[ܝB Y]܋][H\Y\\ܝˈ YpY^Y]ܙ\ LK MM H\^]X]H \[ˈ\\\\\[[܈H]XHšY0H[][\Y\Y[Z[0Xˈ]\ܝ NNMMMM KH]]XX[HK[]X[ۚH][X]X]\X[\[X]XH[]]\Έ\]X[[[[[X[ۜY\][ۜۈH^\[Y[[[[X[[[KXBܚ[\[][ NNLL NKM ˂L T\H\[\K[\ˈMHYX\š[\[H]\Xو[Y[[XY[\\وX]ܝ[\Y\وH[[[ T[Y\[ܝXKܝ\]ܝY[ NNNNL JNMLKLKP\[Z^[X[U[YZKZY[Y[[ ][ B][[H[[\Xوݙ\\H[\Y\[]HܝYX[ܝΈ\X][ۈوH]œ\Z[[HY] [YYHܝ˂ MN̍J ŇL LPZ[\Y\][HوZ[ۈBY]H܈Xܙ[ݙ\\H[\\[ܝˈܝYY N LNMM̋L˂Pܝ^\Y\][p]X\Yˈ]ܝYY\ NNM˂M R[Y\]\ˈ[\H]\[Y[[]BYK[ܝ ΌKL̋MKR[Y\Y]\ˈ\]][ۈ[\Y\[[[Y]]\ˈ\[\][ۘ[YY\][ۈۙ\[N\Z[[KRNNM݈ NKMTY]\HܰYHˈ\]][ۈ[\Y\[[[[Y[Y]]\ˈHXۙ[X[ۙܙ\وH]\X[YBوܝY[N[Y[[X\˂NNM]Y L˂M˂TY]\ˈX\X[\[\Y\ˈYYܝK NNKM˂N T0\^U\0[[X] Up\Kp\^SܘH[K[\H[Y[H[Y\˜]H[\][ۘ[[]\]H[\[ۜ\0\Y LΌLKN NKT[X\HK[HK\YH[[X\\p]Z\\X\[X܈H[pꛘXB\\Y\[HY\ˈ]\[][Y]XK N MM P\^][\ \^]ˈ[Y0ꛘXHH\Y\][p]X\[H]]\\]]]H^\H[[YY\\ܝ]\¸$X[[]YX[HX\0XY\B\XX[\H[HYYX[H\ܝ]K]\“ܝ NNL KMN KS[XHKYZ\HHۘXٝ\K \Y\[HY\8$[Y0ꛘXH[H\\\˂[\\ˈ L LMK˜\\ۛ\ܝ˘B