Revista de Medicina Desportiva Informa Maio 2016 - Page 20

Rev . Medicina Desportiva informa , 2016 , 7 ( 3 ), pp . 18 – 22
Relato do Caso

Caso clínico

Fratura Avulsão da Tuberosidade Anterior da Tíbia e Doença de Osgood-Schlatter

Dra . Ana Pinheiro 1 , Dra . Margarida Areias 1 , Dr . Bruno Pombo 1 , Dr . Bruno Alpoim 2 , Dra . Cristina Sousa 2 .
1
Médico Interno Complementar de Ortopedia ; 2 Assistente Hospitalar de Ortopedia ; Unidade Local de Saúde do Alto Minho , Viana do Castelo , Portugal .
RESUMO / ABSTRACT
As fraturas-avulsão da tuberosidade anterior da tíbia ( TAT ) são uma entidade rara no sujeito esqueleticamente imaturo , constituindo 1 % de todas as lesões fisárias . A prevalência da doença de Osgood-Schlatter previamente à fratura é mutável de estudo para estudo , parecendo existir simplesmente uma correlação associativa e não causal . Os autores apresentam um caso clínico de um adolescente do sexo masculino que sofreu fratura / avulsão da TAT esquerda durante a prática de futebol , tratada cirurgicamente , em contexto de doença de Osgood-Schlatter prévia . Aos dois meses de seguimento , o paciente apresentava-se sem limitações da mobilidade do joelho esquerdo , mas iniciou queixas dolorosas na TAT contralateral , com melhoria após 2 meses de tratamento conservador . Após 6 meses de seguimento , o paciente apresentava-se sem queixas ou limitações da mobilidade dos joelhos bilateralmente e retomou o nível de atividade prévio à lesão .
Fractures avulsion of the anterior tibial tuberosity ( ATT ) is a rare entity in the skeletally immature person , constituting 1 % of all physeal injuries . The prevalence of Osgood-Schlatter disease prior to fracture varies from study to study , just like there is an associative rather than causal correlation . The authors present a case of a male teenager who suffered fracture / avulsion of the left ATT , during football practice , surgically treated , and in the context of prior Osgood-Schlatter disease . At 2 months of follow-up , the patient was not limited mobility in his left knee , but began with painful complaints in the contralateral ATT , with improvement after two months of conservative treatment . After 6 months of follow-up , the patient had no complaints or knee mobility limitations bilaterally and resumed the level of activity prior to the injury .
PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS
Tuberosidade anterior da tíbia , adolescente , fratura-avulsão , Osgood-Schlatter , cirurgia . Anterior tibial tuberosity , teenager , fracture / avulsion , Osgood-Schlatter , surgery .
Figura 1 – Radiografia do joelho esquerdo , face e perfil , demonstrando uma fratura avulsão da tuberosidade anterior da tíbia .
Introdução
As fraturas-avulsão da tuberosidade anterior da tíbia ( TAT ) constituem uma entidade rara no paciente esqueleticamente imaturo , constituindo 1 % de todas as lesões fisárias 1 , 2 . Estas lesões são geralmente mais usuais em adolescentes do sexo masculino , entre os 12 e os 16 anos de idade , num estádio em que se avizinham da maturidade esquelética 3 . Os mecanismos etiopatogénicos reiterados neste tipo de lesões são a flexão violenta do joelho contra um quadricípite contraído ( parte final da queda de um salto ) ou uma contração violenta do quadricípite no momento inicial de um salto 4 . A prevalência da doença de Osgood- -Schlatter ( lesão crónica da porção anterior da TAT sem envolvimento da fise ) prévia à fratura é mutável de estudo para estudo , parecendo existir simplesmente uma correlação associativa e não causal 5 .
O objetivo deste trabalho consiste em apresentar o caso clínico de um adolescente do sexo masculino , que sofreu uma lesão rara , uma fratura / avulsão da TAT , em contexto de doença de Osgood-Schlatter prévia . Descreve-se ainda sumariamente a classificação , o tratamento , as complicações e os resultados funcionais nestas fraturas , bem como a sua relação com a doença de Osgood- -Schlatter . Este trabalho aspira despertar a comunidade ortopédica para esta rara complicação resultante das epifisites , a qual pode apresentar alto risco de morbilidade .
Os autores apresentam um caso clínico de um adolescente de 15 anos de idade , do sexo masculino , que sofreu uma lesão rara , uma fratura / avulsão da TAT em contexto de doença de Osgood-Schlatter . A lesão ocorreu durante a prática de futebol quando chutou uma bola , tendo ouvindo um estalo e sentindo imediatamente uma gonalgia intensa , associada a incapacidade funcional do membro inferior esquerdo . O paciente recorreu ao Serviço de Urgência ( SU ), apresentando ao exame físico dor à palpação do joelho esquerdo , associada a edema , a derrame articular e a patela alta . Demonstrava também incapacidade em estender ativamente a perna . Realizou radiografia do joelho esquerdo que demonstrou uma fratura avulsão da TAT ( Figura 1 ). Realizou tomografia axial computorizada ( TAC ) para melhor caracterização da fratura , a qual revelou uma extensa fratura avulsão metáfiso- -epifisária proximal e anterior da tíbia , acometendo a inserção distal do tendão rotuliano e com componente articular , correspondendo a uma fratura-avulsão tipo III C em uma doença de Osgood-Schlatter prévia ( Figura 2 ). No dia seguinte foi submetido a redução aberta e osteossíntese da fratura com dois parafusos canulados , que decorreu sem intercorrências ( Figuras 3 e 4 ). A cirurgia decorreu com o uso de garrote e abordagem para-patelar externa . A osteossíntese foi testada intra-operatoriamente com a flexão cuidadosa da articulação do joelho . Após a cirurgia , o membro inferior acometido foi submetido a imobilização com tala de Depuy durante
18 Maio 2016 www . revdesportiva . pt
Caso clínico Rev. Medicina Desportiva informa, 2016, 7 (3), pp. 18–22 Fratura Avulsão da Tuberosidade Anterior da Tíbia e Doença de Osgood-Schlatter Dra. Ana Pinheiro1, Dra. Margarida Areias1, Dr. Bruno Pombo1, Dr. Bruno Alpoim2, Dra. Cristina Sousa2. 1 Médico Interno Complementar de Ortopedia; 2Assistente Hospitalar de Ortopedia; Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Viana do Castelo, Portugal. RESUMO / ABSTRACT As fraturas-avulsão da tuberosidade anterior da tíbia (TAT) são uma entidade rara no sujeito esqueleticamente imaturo, constituindo 1% de todas as lesões fisárias. A prevalência da doença de Osgood-Schlatter previamente à fratura é mutável de estudo para estudo, parecendo existir simplesmente uma correlação associativa e não causal. Os autores apresentam um caso clínico de um adolescente do sexo masculino que sofreu fratura/avulsão da TAT esquerda durante a prática de futebol, tratada cirurgicamente, em contexto de doença de Osgood-Schlatter prévia. Aos dois meses de seguimento, o paciente apresentava-se sem limitações da mobilidade do joelho esquerdo, mas iniciou queixas dolorosas na TAT contralateral, com melhoria após 2 meses de tratamento conservador. Após 6 meses de seguimento, o paciente apresentava-se sem queixas ou limitações da mobilidade dos joelhos bilateralmente e retomou o nível de atividade prévio à lesão. Relato do Caso Os autores apresentam um caso clínico de um adolescente de 15 anos de idade, do sexo masculino, que sofreu uma lesão rara, uma fratura/ avulsão da TAT em contexto de doença de Osgood-Schlatter. A lesão ocorreu durante a prática de futebol quando chutou uma bola, tendo ouvindo um estalo e sentindo imediatamente uma gonalgia intensa, associada a incapacidade funcional do membro inferior esquerdo. O paciente recorreu ao Serviço de Urgência (SU), apresentando ao exame físico dor à palpação do joelho esquerdo, associada a edema, a derrame articular e a patela alta. Demonstrava também incapacidade em estender ativamente a perna. Realizou radiografia do joelho esquerdo que demonstrou uma fratura avulsão da TAT (Figura 1). Realizou tomografia axial computorizada (TAC) para melhor caracteri- Fractur ́ձͥѡѕɥȁѥՉɽͥ䀡QṔɅɔѥ䁥ѡͭх䁥ɔ)ͽѥѥĔ͕ɥ̸Qɕم=͝Mѕȁ͕͔ɥȁѼ)Ʌɔمɥ́ɽՑѼՑ䰁Ёѡɔ́ͽѥٔɅѡȁѡͅɕѥ)Qѡ́ɕ͕Ё͔ѕȁݡՙɕɅɔձͥѡЁQP)ɥщɅѥɝɕѕѡѕЁɥȁ=͝Mѕȁ͕͔(ȁѡ́ܵѡѥЁ݅́Ёѕ䁥́ЁЁݥѠհ)́ѡɅѕɅQPݥѠɽٕЁѕȁݼѡ͕́مѥٔɕѵи)ѕȀ؁ѡ́ܵѡѥЁ́ȁ䁱хѥ́ѕɅ)ɕյѡٕѥ٥ɥȁѼѡ()A1YIL !Y-e]=IL)QՉɽͥѕɥȁ͍єɅɄձ=͝MѕȰɝ)ѕɥȁѥՉɽͥ䰁ѕȰɅɔձͥ=͝MѕȰɝ()%ɽ)́ɅɅ̵ձՉɽͥ)ѕɥȁQPѥՕ)յѥɅɄє)ՕѥєɼѥեĔѽ́́Օ́ɥİȸх́Օ́Ʌє)́Յ͍́ѕ́)͕ἁ͍ձɔ̀ȁ̀)́մՔ)͔٥饹ɥՕѥ̸=́͵́ѥѽ́ɕѕɅ́єѥՕ)٥фɄմՅɥєɇє)ՕմͅѼԁյ)ɇ٥фՅɥє)ѼմͅѼи)ɕم=͝MѕȀ͹(5؁ܹɕّѥل()ѕɥȁQP͕ٽ٥Ѽ)͔٥ɅɄٕ)ՑɄՑɕ)ѥȁͥ͵єյɕͽѥلͅԸ)<ѥټєɅͥє)ɕ͕хȁͼմ)͍є͕ἁ͍ձՔ)ͽɕԁյɅɄյɅɄ)ձQPѕѼ)=͝Mѕȁ٥)͍ɕ͔ٔյɥє)ͥɅхѼ́Օ́́ɕձх́չ)х́ɅɅ̰Մ)ɕ=͝MѕȸєɅɄ)хȁչѽ)ɄфɅɄɕձхє́ͥѕ̰Յ)ɕ͕хȁѼɥ͍ɉ()ɄăLIɅՕɑ)əɅյɅɄ)ձՉɽͥѕɥȁ()ɅɄՅɕٕԁյ)ѕ̈́ɅɄձͼɥɽ᥵ѕɥȁ)ѕ͕х)ѕɽձєѥձȰɕ)յɅɄձѥ%%$ )յ=͝Mѕ)٥ɄȤ9͕եє)Չѥɕф)ѕѕ͔ɅɄ)Ʌͽ́ձ̰Քɕ)͕ѕɍ̀Ʌ̀́Ф)ɝɕԁͼ)ɽєɑɄѕ)ѕɹѕѕ͔ѕх)ɄɅѽɥє)ե̈́ѥձ)́ɝɼɥ)ѥՉѥх䁑Ʌє((0