Revista de Medicina Desportiva Informa Julho 2017 - Page 27

Caso clínico

Rev . Medicina Desportiva informa , 2017 , 8 ( 4 ), pp . 25 – 27

Tratamento da Rotura Distal do Bicípite Braquial por Abordagem Única e Fixação por Suspensão em Halterofilista

Dr . Marcos Carvalho 1 , Dr . João Pedro Oliveira 2 , Dr . Edgar Rebelo 3
1
Interno de formação específica de Ortopedia . Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra ; Mestre em Medicina do Desporto pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra ; 2 Especialista em Ortopedia . Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra ; Mestre em Medicina do Desporto pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra . 3 Especialista em Ortopedia . Instituto da Mão , Coimbra .
RESUMO / ABSTRACT
A rotura da inserção distal do bicípite braquial é uma lesão pouco comum , com uma incidência de 1.2 a cada 100.000 doentes por ano , sendo mais frequente em atletas com atividades de força e desportos de contacto . O diagnóstico destas lesões deve ser focado na valorização da anamnese , mecanismo típico de lesão , exame objetivo e pesquisa de testes específicos de elevada sensibilidade e especificidade . O tratamento de eleição nestas lesões é o cirúrgico . Descreve-se o caso de um doente de 42 anos de idade , do género masculino , com uma rotura aguda distal do tendão do bicípite braquial , alertando-se para a importância da suspeição clínica associada ao mecanismo causal , investigação diagnóstica , tratamento cirúrgico e de reabilitação mais indicados , permitindo uma recuperação e retorno precoces da atividade desportiva .
Distal biceps tendon rupture is an unusual injury with a reported incidence of 1.2 per 100.000 patients per year . This injury is more frequently associated with athletes involved in competitive strength training and contact sports . Diagnosis must focus in past medical history , mechanism of injury , clinical evaluation and examination of specific tests with high sensitivity and specificity for these injuries . Surgical treatment is the gold standard . We describe a 42 years old , male patient with an acute distal bíceps brachii tendon rupture and we enhance the importance of the mechanism of injury in the clinical suspicion and the appropriate evaluation , surgical treatment and rehabilitation in order to achieve a faster recovery and return to sports activity .
PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS
Tendão distal bicípite braquial , rotura tendão , tratamento cirúrgico , lesão desportiva Distal biceps tendon , tendon rupture , surgical treatment , sports injury
Introdução
A rotura da inserção do bicípite distal é uma lesão pouco comum , com uma incidência de 1.2 a cada 100.000 doentes por ano 1 , sendo mais frequente em atletas com atividades de força e desportos de contacto . 2 Esta lesão , mais comum no género masculino e em doentes entre os 40 e os 50 anos , ocorre com maior incidência no membro dominante , sendo o mecanismo de lesão mais comum uma contração muscular excêntrica com o cotovelo fletido a 90 ° e o antebraço em supinação . 3 O tratamento indicado neste tipo de lesão é preferencialmente cirúrgico , salvo em doentes com contra-indicação anestésica , idosos , sedentários e de baixa demanda funcional , em que pode estar indicado o tratamento conservador . 2 , 4-8 Descreve-se o caso de um doente de 42 anos de idade com uma rotura do tendão do bicípite distal tratado cirurgicamente através da reinserção anatómica na tuberosidade do rádio por um sistema de suspensão com botão cortical ( endobutton ) e através de uma única incisão .
Métodos e Resultados
Doente de 42 anos de idade , do género masculino , com dor e limitação funcional do cotovelo direito após episódio súbito de contração excêntrica explosiva na extensão do antebraço sobre o braço na sequência de um movimento balístico na elevação de um pneu de camião em prova competitiva . Ao exame objetivo verificava-se edema e equimose exuberantes na face ântero-medial do 1 / 3 distal do braço e proximal do antebraço direitos . Observava-se uma deformidade na face anterior e distal do braço , acentuada pelos movimentos dolorosos de flexão / extensão , e não se palpava o tendão bicipital distal na fossa cubital ( Hook test positivo ). Registava-se ainda uma limitação franca na flexão e supinação do antebraço com teste de Yergason positivo e não se verificavam défices neurovasculares . Realizou-se um estudo ecográfico , identificando-se uma rotura do bicípite distal com retração tendinosa de cerca de 5cm . Efetuou-se estudo por RM do ombro e cotovelo direitos , tendo-se identifica uma rotura parcial do tendão do supraespinhoso ( 24x11mm ) de características não recentes e uma rotura completa do tendão do bicípite distal aguda , com retração tendinosa e marcada infiltração sero-hemática dos planos envolventes . Após cinco dias de terapêutica sintomática , imobilização provisória com tala gessada braquipalmar antálgica e redução do edema de tecidos moles , o doente foi submetido a uma reinserção anatómica do tendão do bicípite distal na tuberosidade do rádio por um sistema de suspensão com botão cortical ( endobutton ), através de uma única incisão transversa de 5cm ao nível da face anterior do antebraço , a cerca de 2,5cm da flexura do cotovelo ( Figura 1 ).
Após suspensão com o botão cortical , foi aplicado um parafuso interferencial unicortical . O doente foi mantido com imobilização gessada braquipalmar com 90 ° de flexão do cotovelo e supinação do antebraço durante duas semanas , período após o qual foi retirada a tala e aplicada ortótese com limitação da amplitude articular do cotovelo a 60 ° de flexão , com aumento gradual de 10 ° de extensão por semana ( Figura 2 ). A partir da 3 ª semana iniciou supinação ativa assistida e ganho progressivo de amplitude articular , sendo-lhe permitidas as atividades de vida diária e contraindicado o levantamento de pesos .
Revista de Medicina Desportiva informa Julho 2017 · 25
Rev. Medicina Desportiva informa, 2017, 8 (4), pp. 25–27 Tratamento da Rotura Distal do Bicípite Braquial por Abordagem Única e Fixação por Suspensão em Halterofilista Dr. Marcos Carvalho 1 , Dr. João Pedro Oliveira 2 , Dr. Edgar Rebelo 3 1 Interno de formação específica de Ortopedia. Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra; Mestre em Medicina do Desporto pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; 2 Especialista em Ortopedia. Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra; Mestre em Medicina do Desporto pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. 3 Especialista em Ortopedia. Instituto da Mão, Coimbra. RESUMO / ABSTRACT A rotura da inserção distal do bicípite braquial é uma lesão pouco comum, com uma incidência de 1.2 a cada 100.000 doentes por ano, sendo mais frequente em atletas com atividades de força e desportos de contacto. O diagnóstico destas lesões deve ser focado na valorização da anamnese, mecanismo típico de lesão, exame objetivo e pesquisa de testes específicos de elevada sensibilidade e especificidade. O tratamento de eleição nestas lesões é o cirúrgico. Descreve-se o caso de um doente de 42 anos de idade, do género mas- culino, com uma rotura aguda distal do tendão do bicípite braquial, alertando-se para a importância da suspeição clínica associada ao mecanismo causal, investigação diagnós- tica, tratamento cirúrgico e de reabilitação mais indicados, permitindo uma recuperação e retorno precoces da atividade desportiva. Distal biceps tendon rupture is an unusual injury with a reported incidence of 1.2 per 100.000 patients per year. This injury is more frequently associated with athletes involved in competitive strength training and contact sports. Diagnosis must focus in past medical history, mechanism of injury, clinical evaluation and examination of specific tests with high sensitivity and specificity for these injuries. Surgical treatment is the gold standard. We describe a 42 years old, male patient with an acute distal bíceps brachii tendon rupture and we enhance the importance of the mechanism of injury in the clinical suspicion and the appropriate evaluation, surgical treatment and rehabilitation in order to achieve a faster recovery and return to sports activity. PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS Tendão distal bicípite braquial, rotura tendão, tratamento cirúrgico, lesão desportiva Distal biceps tendon, tendon rupture, surgical treatment, sports injury Introdução A rotura da inserção do bicípite distal é uma lesão pouco comum, com uma incidência de 1.2 a cada 100.000 doentes por ano 1 , sendo mais frequente em atletas com atividades de força e desportos de contacto. 2 Esta lesão, mais comum no género masculino e em doen- tes entre os 40 e os 50 anos, ocorre com maior incidência no membro dominante, sendo o mecanismo de lesão mais comum uma contração muscular excêntrica com o cotovelo fletido a 90° e o antebraço em supi- nação. 3 O tratamento indicado neste tipo de lesão é preferencialmente cirúrgico, salvo em doentes com contra-indicação anestésica, idosos, sedentários e de baixa demanda funcional, em que pode estar indi- cado o tratamento conservador. 2,4-8 Descreve-se o caso de um doente de 42 anos de idade com uma rotura do tendão do bicípite distal tratado cirurgicamente através da reinser- ção anatómica na tuberosidade do rádio por um sistema de suspensão com botão cortical (endobutton) e através de uma única incisão. Métodos e Resultados Doente de 42 anos de idade, do género masculino, com dor e limi- tação funcional do cotovelo direito após episódio súbito de contração excêntrica explosiva na extensão do antebraço sobre o braço na sequên- cia de um movimento balístico na elevação de um pneu de camião em prova competitiva. Ao exame obje- tivo verificava-se edema e equimose exuberantes na face ântero-medial do 1/3 distal do braço e proximal do antebraço direitos. Observava-se uma deformidade na face anterior e distal do braço, acentuada pelos movimentos dolorosos de flexão/ extensão, e não se palpava o tendão bicipital distal na fossa cubital (Hook test positivo). Registava-se ainda uma limitação franca na flexão e supinação do antebraço com teste de Yergason positivo e não se veri- ficavam défices neurovasculares. Realizou-se um estudo ecográfico, identificando-se uma rotura do bicí- pite distal com retração tendinosa de cerca de 5cm. Efetuou-se estudo por RM do ombro e cotovelo direi- tos, tendo-se identifica uma rotura parcial do tendã \Y\[Š  L[[JHH\X\\X\œX[\H[XH\H\]B[0X\]H\[YYKH]p[[HHX\YB[[p\Z[p]XH[™[[\ˈ\0[X\B\\0]XH[p]XK[[ؚ[KBpݚ\ܚXHH[H\YB\]Z\[X\[0[XHHYp™Y[XHHXY[\[BHXY]YH[XHZ[\˜[]0ZXH[0X\]B\[HX\YYHY[܂[H\[XHH\[H0˜ܝX[ [؝]ۊK]]\H[XBXH[\[ݙ\HH XH[›][HXH[\[܈[XpH\HH XHH^\HB[ Y\H JK\0\[H0܋BX[ H\XY[H\Y\[\B\[X[[XܝX[ [HBX[YH[[ؚ[^p\YB\]Z\[X\HL0H^0˜ݙ[H\[p[Xp™\[HX\[X[\\[\0›]X[H]\YHH[HH\XYBܝ0\HH[Z]pH[\KBYH\X[\ݙ[H 0B^0H][Y[ܘYX[BL0H^[܈[X[H Y\BKH\\H [X[H[X[B\[p]]H\\YHH[œܙ\]H[\]YH\X[\[[H\Z]Y\\]]YY\™HYHp\XHH۝Z[XY›][[Y[H\˂]\HHYYX[H\ܝ]H[ܛXH[ M0