Revista de Medicina Desportiva Informa Julho 2012 - Page 4

Entrevista

Dr . Henrique Jones
Ortopedia e Medicina Desportiva – Médico da seleção nacional A de futebol – Setúbal
Ser médico de uma seleção nacional de futebol como a de Portugal não é tarefa fácil , pois não ?
Ser médico da seleção nacional de futebol embora não sendo uma tarefa fácil não apresenta reais dificuldades , desde que o trabalho seja efetuado com espírito de equipa , que exista verdade e transparência , que exista respeito pelas decisões de cada departamento , que os atletas reconheçam dedicação e competência , que exista motivação e , sobretudo , que exista prazer e orgulho em servir uma seleção que , no fundo , espelha um país inteiro .
Como se lida com jogadores , que são dos melhores do Mundo , sabendo que pertencem a outros clubes ?
Lidar com atletas de elite , como são os nossos , é saber respeitar o seu espaço , os seus hábitos , as suas crenças , procurando conhecer o seu passado como atletas , as suas fragilidades , as suas motivações e as suas preocupações enquanto atletas ao serviço da sua seleção . Obviamente que , na maioria dos casos , procuramos dar seguimento às regras de conduta e aos programas de prevenção seguidos nos clubes de origem , adaptados aos dias que passam na seleção nacional . Mantendo sempre a mesma disponibilidade consultiva quando regressam aos clubes , quer através de opiniões que nos são solicitadas , quer através de contactos regulares com os departamentos médicos dos clubes aos quais os atletas pertencem .
Qual a constituição do departamento médico que acompanha a seleção ?
A equipa de apoio médico à seleção nacional é constituída por :
· um ortopedista , também especialista em Medicina Desportiva , que funciona como o médico da equipa e o médico de campo ;
· um médico especialista em medicina desportiva , com formação em clínica geral e saúde pública ;
· um enfermeiro desportivo e
· dois ou três fisioterapeutas , de acordo com a exigência da competição e do tempo de estágio . A este grupo juntam-se , com frequência , massagistas contratados apenas para os dias em que estão programadas sessões de hidroterapia e massagens .
Antes da partida para a fase final de um Campeonato da Europa ou do Mundo que preparativos médicos são necessários ?
Antes da partida para uma fase final de um Campeonato do Mundo ou da Europa são necessários inúmeros cuidados logísticos , de acordo com as especificidades dos países organizadores e da UEFA ou FIFA . É necessário :
· adquirir equipamentos julgados necessários ;
· programar a medicação e a suplementação ;
· manter contactos permanentes com os clubes dos atletas no sentido da recolha de informação relativa aos últimos meses , em termos de patologias comuns , lesões e a sua evolução , suplementação , exames do foro analítico e cardiorrespiratório , alergias , hábitos medicamentosos , pedidos de utilização de substâncias proibidas ( TUE ), entre outros ;
· programar os nossos próprios exames e avaliações clinicas complementares ( avaliações do foro cardiológico , imagiológico , analítico , oftalmológico ou médico- dentário ), no sentido do estrito cumprimento das exigências médico-desportivas , pré-competitivas , impostas pela organização da competição ;
· preparar o apoio médico no local da competição através da instalação de um centro médico de apoio no local de estágio e através de contactos e acordos com clínicas locais .
Qual a rotina diária nestas fases finais ?
A rotina diária nas fases finais consiste na avaliação diária dos parâmetros vitais , do IMC , dos equilíbrios hídrico e ponderal , realização de análises de urina , adaptação dietética , estratégias de prevenção da fadiga , correção de desvios hidro- -eletrolíticos e vitamino-minerais e programação individual do treino , em conjunto com a equipa técnica , nos casos julgados convenientes . Por outro lado , colaboramos na programação de trabalho específico de ginásio e de hidroterapia , além dos programas de prevenção de lesões e tratamentos diários programados .
Qual foi o momento médico mais complicado com a seleção ?
Ao longo destes 12 anos de trabalho com a seleção nacional saliento os três momentos mais complicados no papel de médico de equipa : a ) o controle de antidopagem positivo , pré-competitivo ( a nosso pedido ) de um atleta no Mundial de 2002 , b ) a fratura do punho do guarda- -redes Quim na véspera do 1 .º jogo no Campeonato do Mundo de 2006 e , finalmente , c ) a fratura complicada da clavícula do Nani na véspera da partida para o Mundial 2010 na África do Sul . Foram momentos complicados pela necessidade de decisões céleres , pela angústia dos atletas , e de nós próprios , e porque , funcionando a seleção nacional com um espírito de corpo , é sempre muito complicado ter de decidir sobre a incapacidade de um atleta cujo sonho é uma participação numa prova com a magnitude e visibilidade como é um campeonato do Mundo ou da Europa de futebol .
2 · Julho 2012 www . revdesportiva . pt
contactos regulares com os departamentos médicos dos clubes aos quais os atletas pertencem. Entrevista Qual a constituição do departamento médico que acompanha a seleção? Dr. Henrique Jones Ortopedia e Medicina Desportiva – Médico da seleção nacional A de futebol – Setúbal Ser médico de uma seleção nacional de futebol como a de Portugal não é tarefa fácil, pois não? Ser médico da seleção nacional de futebol embora não sendo uma tarefa fácil não apresenta reais dificuldades, desde que o trabalho seja efetuado com espírito de equipa, que exista verdade e transparência, que exista respeito pelas decisões de cada departamento, que os atletas reconheçam dedicação e competência, que exista motivação e, sobretudo, que exista prazer e orgulho em servir uma seleção que, no fundo, espelha um país inteiro. Como se lida com jogadores, que são dos melhores do Mundo, sabendo que pertencem a outros clubes? Lidar com atletas de elite, como são os nossos, é saber respeitar o seu espaço, os seus hábitos, as suas crenças, procurando conhecer o seu passado como atletas, as suas fragilidades, as suas motivações e as suas preocupações enquanto atletas ao serviço da sua seleção. Obviamente que, na maioria dos casos, procuramos dar seguimento às regras de conduta e aos programas de prevenção seguidos nos clubes de origem, adaptados aos dias que passam na seleção nacional. Mantendo sempre a mesma disponibilidade consultiva quando regressam aos clubes, quer através de opiniões que nos são solicitadas, quer através de 2 · Julho 2012 www.revdesportiva.pt A equipa de apoio médico à seleção nacional é constituída por: · um ortopedista, também especialista em Medicina Desportiva, que funciona como o médico da equipa e o médico de campo; · um médico especialista em medicina desportiva, com formação em clínica geral e saúde pública; · um enfermeiro desportivo e · dois ou três fisioterapeutas, de acordo com a exigência da competição e do tempo de estágio. A este grupo juntam-se, com frequência, massagistas contratados apenas para os dias em que estão programadas sessões de hidroterapia e massagens. Antes da partida para a fase final de um Campeonato da Europa ou do Mundo que preparativos médicos são necessários? Antes da partida para uma fase final de um Campeonato do Mundo ou da Europa são necessários inúmeros cuidados logísticos, de acordo com as especificidades dos países organizadores e da UEFA ou FIFA. É necessário: · adquirir equipamentos julgados necessários; · programar a medicação e a suplementação; · manter contactos permanentes com os clubes dos atletas no sentido da recolha de informação relativa aos últimos meses, em termos de patologias comuns, lesões e a sua evolução, suplementação, exames do foro analítico e cardiorrespiratório, alergias, hábitos medicamentosos, pedidos de utilização de substâncias proibidas (TUE), entre outros; · programar os nossos próprios exames e avaliações clinicas complementares (avaliações do foro cardiológico, imagiológico, analítico, oftalmológico ou médico-­dentário), no sentido do estrito cumprimento das exigências médico-desportivas, pré-competitivas, impostas pela organização da competição; · preparar o apoio médico no local da competição através da instalação de um centro médico de apoio no local de estágio e através de contactos e acordos com clínicas locais. Qual a rotina diária nestas fases finais? A rotina diária nas fases finais consiste na avaliação diária dos parâme ɽ́٥х̰%5 ́եɥ)ɥɅɕ)͕́ɥчѥɅ́ɕٕ)ɗ٥́ɼɽѥ́٥хɅ́)ɽɅ٥Յɕ)չѼե)́ͽ́ձٕ́ѕ̸A)ɼɅ́ɽɅɅ)ͥɽѕɅ)ɽɅ́ɕٕՕ́)Ʌхѽ́ɥ́ɽɅ̸()EՅѼ)͕)ѕ̀ȁ́Ʌ)͕ͅѼ)́ѽ́́́)ե)ɽѥͥѥټѥѥټͼ)մѱф5չ)Ȱ)ɅɄչՅɑɕ́EեɄĻ ) Ѽ5չ)؁є)ɅɄձ)9ɄѥɄ)5չɥMհ)Ʌѽ́)ͥՕ́ɕ̰)ѥ́ѱх̰)ɥ̰Քչ)͕մɥѼ)͕ɔեѼ)ѕȁȁͽɔ)մѱфթͽյѥյɽلՑ)٥ͥմѼ)5չԁɽѕ((