Revista de Medicina Desportiva Informa Julho 2012 - Page 21

por doença ou iatrogénica. O tratamento consiste na destruição química por ácidos (ácido salicílico, ácido lático, 5 fluoracilo ou até bleomicina nos casos mais refratários) ou na destruição térmica pelo frio (criocirurgia por azoto líquido) ou pelo calor (eletrocoagulação ou laser CO2) precedidas ou não por curetagem. O Desportista e o autoexame das unhas para a prevenção e diagnóstico precoce das onicopatias: Prevenção primária: · se frequenta ginásios ou piscinas, se tem antecedentes de alergias, diabetes ou má circulação, se tem antecedentes pessoais ou familiares de micose, sobretudo das unhas (onicomicoses) deve, após lavar as mãos e os pés, secá-los bem. Utilize um creme ou um pó de talco com ação antifúngica após utilização de espaços públicos. Mude frequentemente de calçado, deixe-os arejar e poderá periodicamente usar o pó de talco antifúngico nos próprios sapatos ou sapatilhas. Se tem gretas, descamação e prurido na planta dos pés ou entre dedos (pé de atleta) deverá tratar eficazmente com cremes antifúngicos. As unhas dos pés devem ser cortadas a direito; · utilize sapatos adequados ao seu formato do pé. Que o seu sapato não seja um martírio para o seu andar. Se desenvolve frequentemente onicocriptose, hematomas subungueais ou calosidades, deverá efetuar estudo biomecânico do pé, sendo a observação do podologista e a realização de suportes plantares individuais uma etapa importante, não só para o tratamento, mas também para a prevenção. Prevenção secundária: · o diagnóstico precoce favorece a rapidez e simplicidade do tratamento: · se as suas unhas estão amareladas ou esbranquiçadas, engrossadas ou com alteração progressiva da forma, com picotado ou estriação longitudinal ou transversal à superfície, com descolamento permanente ou recorrente, com pigmentação ou tumefação ou verrucosidades persistente subungueal ou periungueal, consulte o seu médico assistente ou o seu dermatologista. Conclusão A patologia ungueal é diversa com múltiplas etiologias, podem ser causa de limitação de exercício, precipitadas ou agravadas pelo mesmo. O diagnóstico diferencial é essencial, a abordagem médica é indispensável pelo médico de família ou de desporto e sempre que necessário por dermatologia. A complementaridade multidisciplinar, nomeadamente da ortopedia e sempre que necessário com o apoio da podologia, sobretudo na avaliação biomecânica do pé, são muito importantes para a eficácia clínica em particular na minimização de eventuais recaídas. 1 2 3 Bibliografia 1. Burykowski T et al. High prevalence of foot diseases in Europe: results of the Achilles Project. Mycoses 2003; 46: 496-505. 2. Sabadin CS, et al. Onychomycosis and tinea pedis in athletes from the State of Rio Grande Do Sul (Brazil): a cross-sectional study. Mycopathologia