Revista de Medicina Desportiva Informa Julho 2012 - Page 16

O uso de esteroides-anabolizantes pode também afetar o padrão de crecimento dos folículos pilosos provocando alopécia, habitualmente com padrão androgenético, e hirsutismo que pode constituir uma manifestação preocupante quando ocorre em atletas do sexo feminino5. Que doenças dermatológicas podem ser agravadas por esteroides anabolizantes? Figura 2 – Aspectos clínicos Acne fulminans Estas formas de acne, clinicamente em tudo semelhantes às formas de acne atrás referidas, caraterizam-se pela resistência inesperada à terapêutica instituída, podendo persistir durante vários meses. Após a remissão do quadro pode ainda ocorrer cicatrização com formação de cicatrizes hipertróficas ou mesmo quelóides (Figura 3). Figura 3 – Aspetos clínicos cicatrizes hipertróficas O uso de esteroides anabolizantes incrementa funcionalmente o papel das glândulas sebáceas levando ao desenvolvimento de outras patologias dermatológicas, tais como rosácea, quistos epidérmicos e dermite seborreica na face, tronco e couro cabeludo. Para além destas, na sequência do aumento de massa muscular, podem surgir estrias distensae que clinicamente correspondem a linhas de atrofia cutânea, frequentemente com coloração eritemato-violácea, envolvendo tipicamente a região cervical, a porção superior do tronco, ombros e porção proximal dos membros superiores4. 14 · Julho 2012 www.revdesportiva.pt Algumas doenças do foro dermatológico já presentes podem ser clinicamente agravadas pelo uso concomitante de esteroides anabolizantes. De entre as mais comunmente observadas podemos citar o acne, a rosácea e a psoríase. Num atleta que apresente acne ligeiro a moderado, bem controlado com terapêutica tópica, pode assistir – se ao um agravamento marcado da sua doença de base por vezes, com o desenvolvimento de formas fulminantes da doença. Outra doença dermatológica que pode sofrer um agravamento significativo é a psoríase. Habitualmete os doentes com psoríase vulgar apresentam lesões confinadas às superfícies de extensão dos membros superiores e inferiores em áreas de traumatismo. São lesões que são bem controladas ao longo de todo o ano apenas com terapêutica tópica com dermocorticóides em associação ou não com calcipotriol (análogo da vitamina D). Com o uso intermitente de esteroides anabolizantes a psoríase pode aumentar o grau de extensão de envolvimento, apesar de mantida a terapêutica habitual6. Esta doença pode mesmo passar a apresentar-se sob a forma de placas, que cobrem mais de 90% da superfície corporal (forma eritrodérmica da doença), ou com múltiplas pequenas pústulas (psoríase pustulosa ou de Von Zumbusch). Na literatura estão ainda descritos casos de aparecimento de forma súbita e múltipla de angiolipomas no contecto de angiolipomatose familiar7 e de manifestações de coproporfiria aguda hereditária8. Conclusão A deteção de alterações cutâneas num atleta, tais como acne vulgaris de novo, aparecimento de estrias distensae, alopécia padrão androgenético, hirsutismo, aumento da função das glândulas sebáceas devem alertar o clínico para o eventual abuso de esteroides anabolizantes. Muitas vezes os atletas usam de forma combinada mais do que um tipo de esteroides anabolizantes como forma de maximizar os efeitos pretendidos e minimizar efeitos adversos indesejáveis9. Este facto torma ainda mais difícil a avaliação individualizada dos efeitos deste tipo de substâncias Uma vez que as manifestações dermatológicas surgem precocemente após a instituição destas substâncias, a avaliação dermatológica constitui um momento priveligiado para o diagnóstico desta condição antes de ocorrerem as alterações hepáticas, cardiovasculares ou oncológicas. Bibliografia 1. Evans NA. Current concepts in anabolic-androgenic steroids. Am J Sports Med 2004; 32:534-42. 2. MelnikB, Jansen T, Grabbe S. Abuse of anabolic-androgenic steroids and bodybuilding acne: na underestimated health problem. J Dtsch Dermatol Ges 2007;5:110-17. 3. Mayerhausen W, Riebel B. Acne fulminans following use of anabolic steroids. Z Hautkr 1989;64:875-880. 4. Shuster S. The cause of striae distensae. Acta Derm Venereol Suppl 1979;59:161-69. 5. Scott MJ Jr, Scott MJ 3rd. Dermatologists and anabolic-androgenic drug abuse. Cutis 1989;44:30-35. 6. Lear JT, English J. Anabolic steroids and psoriasis exarcebation. Br J Dermatol 1996;134:809. 7. Syed SP, Brooks DG, Haupt HM, et al. Anabolic steroids causing growth of benogn tumors:androgenic receptor in angiolipomas. J Am Acad Dermatol 2007;57:899-900. 8. Lane PR, Massey KL, Worobetz Lj, et al. Acute hereditary coproporphyria induced by the androgenic/anabolic steroid methandrostenolone. J Am Acad Dermatol 1994;30:308-12. 9. Hall RC, Hall RC. Abuse of supraphysiologic doses of anabolic steroids. South Med J 2005;98:550-555.