Revista de Medicina Desportiva Informa Julho 2012 - Page 10

aclimatização para permitir que a função fisiológica , a tolerância ao calor e o rendimento físico sejam melhorados . Pretende-se que o atleta pratique em ambiente quente , e especialmente no húmido , com segurança e eficácia 2 .
Atletas em risco
Os atletas mais vulneráveis à agressão pelo calor ( exaustão ou choque térmico ) são :
· os mais fisicamente descondicionados , pelo que menos aclimatizados ;
· os atletas mais competitivos , que ignoram e não reportam os sinais e sintomas indiciadores de agressão térmica com receio de serem envergonhados pelos colegas … e pelos treinadores 1 ( quem já não ouviu chamar de menina ao jovem atleta em dificuldades físicas , apesar da condição de menina não ser sinónimo de inferioridade ?);
· os que utilizam equipamento volumoso , com maior capacidade isoladora do calor ( o suor e o calor não podem ser exteriorizados ), ou com menor capacidade de reflexão dos raios infravermelhos solares *;
· os que tomam medicamentos que interferem com a sudação , como é o caso de antidepressivos e , principalmente , os anti-histamínicos com propriedades anticolinérgicas e que secam a boca ( muito atletas tomam estes medicamentos por causa da asma e da rinite alérgica *);
· os consumidores de álcool , pela sua capacidade de desidratação ( a cafeína das bebidas sociais não parece ter capacidade desidratante com interesse clínico ).
Aclimatização
O objetivo da aclimatização consiste em melhorar a tolerância ao calor e a capacidade em praticar exercício físico de modo seguro em ambientes quentes e húmidos e deve começar logo do primeiro dia de treinos . Dependendo das condições ambientais do local onde se pratica , o período de aclimatização pode ir até 14 dias , não contando os dias que o atleta fica parado para repouso ou por lesão . Após seis dias de treino o atleta deve ter um dia de repouso total 3 , i . e ., sem exercício físico , entendido este como uma forma estruturada e organizada de atividade física .
Atitudes preventivas
Ao longo deste período importa tomar algumas medidas preventivas , especialmente nas duas primeiras semanas de treino , mas também ao longo do tempo em que os treinos e jogos ocorrem em ambiente quente e húmido :
· para haver aclimatização é necessário haver exposição ao ambiente quente , a qual deve ser progressiva ( duração ) e seletiva ( inicialmente escolher horários com menos intensidade solar ), especialmente nos primeiros cinco dias 3 ;
· o vestuário de cor branca reflete melhor os raios infravermelhos , pelo que o corpo aquece menos , mas permite maior passagem dos raios ultravioletas , com capacidade cancerígena *;
· a hidratação adequada , em quantidade , qualidade e frequência , é fundamental para a aclimatização e , recorde-se , ninguém se adapta à sede , mas morre-se 2 ;
· a pesagem antes e depois do treino serve para monitorizar as perdas hídricas e prescrever a reidratação ( e recuperação para a sessão de treino seguinte ) 2 , 3 ;
· nos dias com sessões duplas de treinos o período de repouso entre os treinos deve ocorrer em ambiente fresco e não deve ser inferior a 3 horas 3 ;
· todas as sessões de treino devem ser presenciadas pelo treinador , preparador físico ou pessoal médico / paramédico ;
· devem ser proporcionadas ( programadas ) paragens ( à sombra …) para hidratação de acordo com a duração e intensidade do treino e das condições ambientais ;
· a todos os atletas devem ser ensinados os sinais e sintomas de agressão térmica ( cefaleias , falta de sudação , cãibras , dificuldade na fala ou na compreensão , temperatura corporal elevada ) 3 ;
· o atleta deve dormir 6 a 8 horas em ambiente fresco 3 ;
· a prática desportiva sob a radiação solar deve ( deveria ) respeitar as atitudes preventivas aconselhadas pela Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo ( http :// www . apcc . online . pt /).
* Ver tema na edição de Março de 2012 )
Bibliografia
1 . Suzan Clarke , America ’ s Healthy Summer : Avoid Heat-Related Illness in Student Athletes . Julho de 2010 . http :// abcnews . go . com / GMA / OnCall / hot-summer- -prevent-heat-stroke-student-athletes / story ? id = 11194130 & page = 2 #. T1tNO3m-xio
2 . Basil Ribeiro . Calor , Fadiga e Hidratação , Texto Editores , Alfragide , 1 .ª edição , 2010 .
3 . Douglas J . Casa , David Csillan , MS .: Preseason Heat-Acclimatization Guidelines for Secondary School Athletics . Journal of Athletic Training , 2009 ; 44 ( 3 ): 332 – 333 .
8 · Julho 2012 www . revdesportiva . pt
aclimatização para permitir que a função fisiológica, a tolerância ao calor e o rendimento físico sejam melhorados. Pretende-se que o atleta pratique em ambiente quente, e especialmente no húmido, com segurança e eficácia2. Atletas em risco Os atletas mais vulneráveis à agressão pelo calor (exaustão ou choque térmico) são: · os mais fisicamente descondicionados, pelo que menos aclimatizados; · os atletas mais competitivos, que ignoram e não reportam os sinais e sintomas indiciadores de agressão térmica com receio de serem envergonhados pelos colegas … e pelos treinadores1 (quem já não ouviu chamar de menina ao jovem atleta em dificuldades físicas, apesar da condição de menina não ser sinónimo de inferioridade?); · os que utilizam equipamento volumoso, com maior capacidade isoladora do calor (o suor e o calor não podem ser exteriorizados), ou com menor capacidade de reflexão dos raios infravermelhos solares*; · os que tomam medicamentos que interferem com a sudação, como é o caso de antidepressivos e, principalmente, os anti-histamínicos com propriedades anticolinérgicas e que secam a boca (muito atletas tomam estes medicamentos por causa da asma e da rinite alérgica*); · os consumidores de álcool, pela 8 · Julho 2012 www.revdesportiva.pt O objetivo da aclimatização consiste em melhorar a tolerância ao calor e a capacidade em praticar exercício físico de modo seguro em ambientes quentes e húmidos e deve começar logo do primeiro dia de treinos. Dependendo das condições ambientais do local onde se pratica, o período de aclimatização pode ir até 14 dias, não contando os dias que o atleta fica parado para repouso ou por lesão. Após seis dias de treino o atleta deve ter um dia de repouso total3, i.e., sem exercício físico, entendido este como uma forma estruturada e organizada de atividade física. · o vestuário de cor branca reflete melhor os raios infravermelhos, pelo que o corpo aquece menos, mas permite maior passagem dos raios ultravioletas, com capacidade cancerígena*; · a hidratação adequada, em quantidade, qualidade e frequência, é fundamental para a aclimatização e, recorde-se, ninguém se adapta à sede, mas morre-se2; · a pesagem antes e depois do treino serve para monitorizar as perdas hídricas e prescrever a reidratação (e recuperação para a sessão de treino seguinte)2,3; · nos dias com sessões duplas de treinos o período de repouso entre os treinos deve ocorrer em ambiente fresco e não deve ser inferior a 3 horas3; · t odas as sessões de treino devem ser presenciadas pelo treinador, preparador físico ou pessoal médico / paramédico; ·d  evem ser proporcionadas (programadas) paragens (à sombra…) para hidratação de acordo com a duração e intensidade do treino e das condições ambientais; ·a  todos os atletas devem ser ensinados os sinais e sintomas de agressão térmica (cefaleias, falta de sudação, cãibras, dificuldade na fala ou na compreensão, temperatura corporal elevada)3; · o atleta deve dormir 6 a 8 horas em ambiente fresco3; · a prática desportiva sob a radiação solar deve (deveria) respeitar as atitudes preventivas aconselhadas pela Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo (http://www.apcc. online.pt/). Atitudes preventivas *Ver tema na edição de Março de 2012) sua capacidade de desidratação (a cafeína das bebidas sociais não parece ter capacidade desidratante com interesse clínico). Aclimatização Ao longo deste período importa tomar algumas medidas preventivas, especialmente nas duas primeiras semanas de tre [X\[X[H[›ۙ[\[H]YHZ[Bܜ[H[H[XY[H]Y[BH0ZY΂\H]\X[X]^p0HX\\[]\^p[[XY[B]Y[KH]X[]H\ܙ\]B\pHH[]]H [XX[Y[B\\ܰ\[HY[š[[YYH\K\XX[Y[B[YZ\[X\‚X[ܘYXBKH^[\K[Y\Xx&\X[H[[Y\]YX] T[]Y[\[Y[]]\ˈ[H L Xۙ]˂˘KPKې[  \[[Y\\][ ZX] \K\Y[ X]]\œܞOYLLLNM L YOL˕ ]K^[ŒH\[XZ\ˈ[܋YYHHY]p^Y]ܙ\[YYK KYp L ˂HY\\K]Y[[Tˎ\X\ۈX] PX[X]^][ۈZY[[\܂Xۙ\H]]Xˈ\[و]]X•Z[[ N  N̸$˂