Revista de Medicina Desportiva Informa Janeiro 2019 - Page 5

Ao longo dos últimos 13 anos, os editores ACSM’s Health & Fitness Journal® distribuem de modo eletrónico a milhares de profissionais de todo o Mundo um questionário para averiguar quais as tendência mundiais para o ano seguinte. Esta aná- lise permite aos profissionais programarem as atividades do ano. Apenas as tendências, que definem uma alteração geral ou alteração numa situação, são consideradas, eliminando-se as “modas”, que tanto entu- siasmo criam, mas que são de curta duração. Este é o top 10 da lista: 1. tecnologia utilizável (smart watches, monitores de frequência cardíaca, aparelhos de GPS, monitores de estado de treino); 2. treino em grupo, onde os monitores têm papel impor- tante a orientar e a motivar os participantes; 3. o treino HIIT, onde os exercícios são de curta duração e de elevada intensidade, seguidos de repouso; 4. programas de treino para idosos; 5. treino com o peso corporal; 6. contratação de profissionais cer- tificados; 7. ioga; 8. Personal Training; 9 . treino funcional para melhorar a execução das atividades de vida diá- ria e 10. Exercise is Medicine, uma iniciativa de saúde global. Publicado em ACSM’s Health & Fitness Jour- nal22(6):10-17, nov/dez2018. A Associação Nacional Enfermeiros e Massagistas Futebol (ANEDAF) é “associação de direito privado, que tem por principal objeto a defesa e promoção dos interesses coletivos dos seus associados, encontra-se filiada na FPF e procura através das suas decisões, quando chamada, a valorizar os Enfermeiros e os Massa- gistas do Futebol, Futsal e Futebol de Praia”, lê-se na página do Facebook desta associação. Foi fundada em 05/06/1995 e tem sede própria no Porto. Com o objetivo de “fortalecer cada vez mais a união e partilha na classe”, a ANEDAF está a levar a cabo, em auditório próprio, o 1º Ciclo de Palestras referente à época futebolística de 2018/2019. Já acon- teceram quatro, todas de grande interesse. Destaque-se as mais recentes, realizadas em outubro, no dia 15 com o título Trauma e Patologia Genital Masculina no Futebol proferida pelo Dr. Pedro Abreu Mendes e no dia 27 a proferida pelo Prof. Doutor J C Noronha sobre a Lesão do Ligamento Cruzado Anterior. Felicita-se o dina- mismo desta Associação, certamente a fazer inveja a outras congéneres. Contudo, a alteração do nome no sentido de incluir os fisioterapeutas, classe fundamental no futebol atual, daria maior representatividade a esta Associação. A 2ª edição de Physical Activity Gui- delines for Americans já está dispo- nível (ver no site desta Revista). A 1ª versão foi publicada em 2008. É um documento muito extenso, com 118 páginas, cuja razão de publicação reside na constatação de que “muita evidência científica apoia a reco- mendação de que todos os america- nos devem envolver-se em atividade física regular para melhorar a saúde global e reduzir o risco para muitos problemas”. Refere-se na Introdu- ção que “cerca de 117 biliões de US dólares são gastos em cuidados de saúde por ano e cerca de 10% da mortalidade prematura está asso- ciada a atividade física inadequada”. Existem capítulos com diretrizes para as crianças pré-escolares, para as crianças e adolescentes, para adultos, para idosos, para as grávi- das e para o período pós-parto, para adultos com doenças crónicas e/ou com incapacidades e, finalmente, para a realização de exercício em segurança. O treino aeróbio, o de reforço muscular, o de fortaleci- mento ósseo e os cuidados médicos estão lá referidos. É um excelente texto que explica todos os aspetos do exercício físico e a relação com a saúde. Falta agora lê-lo e praticá-lo. No dia 30 de novembro realizou-se o 75º Convívio Científico da CMEP, no qual o sr. Bastonário da Ordem dos Médicos, o Dr. Miguel Guima- rães, debateu o tema Que políticas de saúde para Portugal. Foi, mais uma vez, uma sessão muita participada, na afluência e na discussão. O tema foi oportuno, de grande importân- cia para a saúde dos portugueses e muitas ideias foram discutidas. Contudo, foi um dia triste, porque este 75º Convívio foi o último que se realizou. O seu criador e grande dinamizador, o Dr. Jaime Milheiro, referiu-se-lhe como o fim do ciclo, como o terminar de um período que durava já desde outubro de 2010 e que proporcionou muitos e bons Encontros, com convidados nacio- nais de todos o país, mas também alguns estrangeiros (EUA e Espa- nha). Nesses Encontros, inicialmente realizados nas instalações da CMEP e depois nas instalações da Ordem/ Norte, abordaram-se novidades das ciências médicas, com ênfase na medicina desportiva e na medicina da longevidade, com palestrantes médicos, professores da educação física, psicólogos e nutricionistas. Foram momentos de convívio, de partilha e de aprendizagem que não podemos mais desfrutar. Foram bons momentos. Resta agora agradecer ao Dr. Jaime Milheiro a sua resiliência e esperar que um dia encontra a força para iniciar o 2º ciclo de Encontros. Ficamos à espera. Revista de Medicina Desportiva informa janeiro 2019 · 3