Revista de Medicina Desportiva Informa Janeiro 2019 - Page 28

sobre lesões miotendinosas do músculo iliopsoas, ao contrário do que acontece com as muito comuns lesões de sobreuso desta estrutura miotendinosa. Apesar de não nos termos aper- cebido em treino do mecanismo de lesão e do próprio atleta ter tido difi- culdade em explicar o aparecimento da sua queixa, podemos levantar a hipótese de que tal tenha ocorrido na tentativa de parar repentinamente a corrida. Colocamos esta hipótese por se tratar do membro não dominante e, como tal, afigurar-se como menos provável a ocorrência do mecanismo lesional mais típico: súbita con- tração do músculo iliopsoas com a anca fletida, ocorrendo por exem- plo no bloqueio repentino do pé durante um remate ou passe. Para este episódio lesional agudo podem também ter contribuído algum grau de sobreuso, fraqueza ou encurta- mento muscular. Aliás, disfunções e queixas álgicas deste músculo são bastante prevalentes em modalida- des como o futebol. 2 Na maior parte dos casos descri- tos de lesões do músculo iliopsoas a dor lombar está presente e piora quando o doente se senta, levanta ou permanece de pé. Podem também cursar com dor abdominal, pélvica, inguinal e até na coxa 2 , como no caso específico que apresentamos. O diagnóstico clínico passa não só pela avaliação subjetiva, tentando perceber o mecanismo lesional e o local da dor, mas também pela avaliação objetiva com o recurso a testes de comprimento muscu- lar (Thomas e Sarhmann) muitas vezes precipitantes da queixa (não o foram neste caso) e o sinal do psoas (Figura 4), neste caso positivo. Tam- bém os testes musculares funcionais e analíticos (na posição de sentado e em decúbito dorsal) resistindo a flexão da anca acima dos 90° foram positivos. Como exame complemen- tar de diagnóstico foi solicitada a realização de uma RMN por ser este o exame que apresenta melhor sen- sibilidade e validade na identificação de lesões agudas da região ingui- nal. 4,5,8 Perante um quadro clínico como o descrito (dor aguda na região inguinal após trauma) importa fazer o diagnóstico diferencial com outras patologias, entre as quais se incluem 26 janeiro 2019 www.revdesportiva.pt Figura 2 – Imagem RM sagital STIR: Edema para-aponevrótico difuso (setas brancas) a envolver a aponevrose intra- muscular do músculo iliopsoas. Figura 3 – Imagem RM axial em T2-STIR: Edema para-aponevrótico a envolver a aponevrose intramuscular (seta verme- lha) e integridade do tendão de inserção femoral (pontas de seta brancas) do músculo iliopsoas Tabela 1. Programa de reabilitação seguido pelo atleta Dia (pós- -lesão) Tratamento/Reabilitação Observações – TENS analgésico bifásico 250 US/80hz/5’ – Mobilização tecidos moles (sem alonga- mento) – Gelo 10’ a cada hora durante o dia. Após treino refere dor na coxa dta; 6/10 EVN no exame objetivo e 4/10 EVN quando anda: suspeita lesão Psoas. Pede se RMN. Interrompe treino com equipa. – Manteve tratamento RMN confirma lesão estrutural do mús- culo iliopsoas. Mantém queixas. Sem queixas durante o tratamento. 3 – U.S. pulsátil 1w/cm 2 , 5’1:2 – TENS analgésico bifásico 250 US/80hz/5’ – M  obilização tecidos moles (sem alonga- mento) – G  elo 10’ a cada hora máximo de vezes durante o dia. 4 Introdução de ginásio: – 10’ bicicleta com resistência mínima – Ponte com extensão joelho – Pranchas frontais Enfermaria: – M  antivemos tratamento + mobilização ativa assistida membro inferior. Muito melhorado. 3/10 EVN exame objetivo, 1/10 EVN quando anda. Sem queixas durante trabalho de ginásio Sem queixas durante tratamento. 5 Introdução de trabalho em campo: – C  orrida ligeira, condução de bola, passe curto/longo, dribles Ginásio: mantivemos estrutura Enfermaria: – Mantivemos tratamento Desconforto no exame objetivo. Quando anda já não refere queixas. Sem queixas durante todo o trabalho Sem queixas 6 Integra treino com equipa (condicionado: evita exercícios com flexão coxofemoral direita – remate e cruzamento e passe longo) Manteve trabalho de ginásio e enfermaria Integra treino com equipa ainda condi- cionado Manteve trabalho de ginásio e enfermaria Sem queixas 7-9 1 2 10-12 13 Treino sem limitações Sem queixas Só realiza trabalho de ginásio: – 15’ bicicleta c/ resistência moderada – Leg extension – Leg curl – F  ortalecimento dos músculos abdutores/ adutores – Treino funcional e propriocetivo JOGO Sem queixas e sem limitações