Revista de Medicina Desportiva Informa Janeiro 2019 - Page 10

Rev. Medicina Desportiva informa, 2019; 10(1):8-9. https://doi.org/10.23911/Saude_dentaria Figura 1 – Aspeto típico de cárie dentária Dr. F. Campos Mendes Médico-Dentista Clínica Campos Mendes. Porto. Existe de facto associação entre cárie dentária e lesão desportiva? A cárie dentária é uma doença infeto-contagiosa de origem bacteriana (predominantemente Lactobacilos casei e Estreptoco- cos mutans) e consiste no amo- lecimento progressivo dos teci- dos duros dos dentes e formação de uma cavidade (Figura 1). A cárie não afeta apenas a saúde oral, por vezes atinge órgãos e tecidos à distância, podendo ser responsável por infeções que envolvem o cora- ção, os olhos, os rins, as articulações e os tendões. A cavidade oral em bom estado não contribui para a melhoria da performance atlética, no entanto, a mesma cavidade oral em mau estado, já poderá contribuir para que a mesma performance não seja atingida. infeção forma-se um colectado de exsudado purulento, originando abcesso e quando esse abcesso fica com demasiada pressão interior dá origem a uma fístula (Figuras 3 e 4). Nesta situação, para além de se proceder ao tratamento dentário, deve administrar-se antibiótico oral, em que a primeira escolha é a associação de amoxicilina com ácido clavulânico (Figura 5). Durante toda a vida existe cres- cimento e movimentação dentária, exatamente para o corpo procurar um equilíbrio inter e intra arcadas dentárias, sendo o vetor dessa força póstero-anterior. Se já existe um desequilíbrio, ou má posição dentá- ria, com esse vetor de força, o dese- quilíbrio inicial vai ser magnificado e cada vez vai ser mais evidente, aumentando os problemas articula- res, oclusais e posturais, provocando também problemas na articulação temporomandibular (ATM) (Figura 7). A disfunção da articulação temporomandibular é assim tão importante para o atleta? As disfunções da ATM afetam a biomecânica craniocervical com repercussão a nível da articulação Há muitos atletas adultos com dentes do ciso, uns que estão bem, mas outros … perturbam a dinâmica oral, não é? A questão do dente do ciso incluso e a sua relação com distúrbios oclu- sais é polémica. Na minha opinião, e baseada na minha experiência, existe uma relação direta (Figura 6). Figura 4 – Utilização de marcador para definir o trajeto fistuloso e identificar a sua origem … mas muitas vezes as cáries não são visíveis …. Torna-se indispensável a utili- zação de Rx para identificar caries interproximais, as quais, não sendo visíveis a “olho nu”, passam desper- cebidas num exame clínico simples (Figura 2). Figura 2 – Imagem de Rx com cáries interproximais Figura 5 – Abcesso dentário que foi drenado por trepanação dentária, onde já era visível a existência de sangue no exsudado purulento Figura 3 – Imagem radiotranslúcida típica de lesão periapical causada por infeção Figura 6 – Ciso incluso mesializado E podem dar origem a abcessos dentários? Quando necessário, qual o melhor antibiótico? A evolução de uma cárie não tratada aumenta a destruição do dente (esmalte e dentina) e ao atingir a polpa (feixe vasculonervoso), pro- voca inflamação da polpa (pulpite) e caso o dente não seja imediata- mente desvitalizado vai degenerar em infeção. Como resultado da 8 janeiro 2019 www.revdesportiva.pt