Revista de Medicina Desportiva Informa Janeiro 2018 - Page 25

Sociedade Portuguesa de Artroscopia e Traumatologia Desportiva CONGRESSO DA SPAT A Sociedade Portuguesa de Artros- copia e Traumatologia Despor- tiva (SPAT) é uma entidade com estatuto de utilidade pública, sem fins lucrativos, dedicada ao desen- volvimento da Ortopedia no âmbito da Artroscopia e Traumatologia Desportiva.  A SPAT é neste momento a maior sociedade científica nacional nesta área do conhecimento, com maior visibilidade e reconhecimento inter- nacional. Organiza bianualmente o seu Congresso, o qual nas últimas edições tem conseguido reunir inú- meros médicos, enfermeiros e fisiote- rapeutas, portugueses e estrangeiros, interessados nesta área do saber. O 13.º Congresso da SPAT realizou- -se entre 30 de novembro e 1 de dezembro 2017 na cidade do Fun- chal e teve a particularidade de ter ocorrido nas instalações Estádio do Marítimo S C. Os cerca de 300 parti- cipantes tiveram oportunidade de, para além de assistirem ás palestras no auditório do Estádio, percorrerem os caminhos que as equipas de fute- bol percorrem no trajeto desde os balneários até ao campo. Aqui, nos intervalos das sessões, os congressis- tas desfrutaram do Sol madeirense enquanto caminhavam sobre o bom relvado, palco de muitos e emocio- nantes jogos de futebol. 30 Nov e 1 Dez de 2017 Muitos conceituados profissionais de saúde do Mundo, dedicados à traumatologia desportiva, estive- ram presentes na acolhedora ilha e devem ser referidos os nomes do Prof. Doutor Niek van Dijk (médico holandês que operou inúmeros desportistas), Jacques Menetrey (conceituado ortopedista suíço com grande notoriedade no ciclismo e no hóquei no gelo), Matteo Denti (ortopedista italiano, ex-presidente da ESSKA e com grande atividade na traumatologia desportiva em geral e nos desportos de Inverno), Romain Seil (atual Presidente da ESSKA – European Society of Sports Trauma- tology and Knee Surgery – e que é um notável ortopedista na área do joelho e da traumatologia desportiva pediátrica) e Marc Tey Pons (orto- pedista espanhol ligado á trauma- tologia do desporto). O número de ilustres palestrantes portugueses, de elevado nível científico e pedagógico, que estiveram presentes é enorme e poder-se-á dizer que quase todos os médicos de referência na trau- matologia desportiva estiveram lá como palestrantes (cerca de 40), mas estiveram também outros atentos e interessados assistentes. Houve muitas e variadas sessões temáticas, a maioria focadas em regiões anatómicas ou estruturas específicas (Tornozelo: conceitos atuais; Conflito femoroacetabular; LCA: o que há de novo?; Lesões meniscais; LPFM: o que há de novo?; Sindromes canalares do membro inferior e do membro superior), mas também sobre a cartilagem articu- lar (Condromalácia e desporto: que abordagem?; Gonartrose precoce; Desporto e gonartrose precoce: o papel do desporto) e sobre o jovem atleta (O joelho da criança e do adolescente! Que preocupações?). O sr. Presidente e o treinador principal do Marítimo S C, respetivamente, Carlos Pereira e Daniel Ramos, jun- tamente com os Drs. Henrique Jones e Horácio Sousa, participaram no painel sobre futebol em geral: “Apoio médico, lesão, final de carreira: a visão do atleta, do médico, do trei- nador, do dirigente desportivo e da tutela”, superiormente moderado pelo jornalista desportivo da RTP, o sr. Nélio Gouveia. Neste painel foi interessante observar os pontos de vista de vários agentes do futebol, os quais manifestaram preocupação com a saúde e bem-estar do jogador, assim como do seu futuro. Para além das sessões plenárias, houve ainda sessões dedicadas a enfermeiros (quinta-feira de manhã) e a fisioterapeutas (sexta-feira de manhã), o que revela a importância Revista de Medicina Desportiva informa janeiro 2018 · 23