Revista de Medicina Desportiva Informa Janeiro 2017 - Page 10

Avançando para o seu bem estar !
Órtotese estabilizadora da rótula

Avançando para o seu bem estar !

www . interorto . pt adultos jovens 3 , 4 com 40gr a serem sugeridos em indivíduos mais velhos ( resistência anabólica ) 5 . A noção de que valores mais elevados não estimulam , em indivíduos jovens , uma maior MPS após o exercício com valores acima de 20gr emana dos trabalhos de Moore et al . 6 e Witard et al . 7 , a partir da ingestão de proteína em conjugação com exercício unilateral e bilateral no trem inferior .
Uma das questões que se pensa influenciar a MPS em relação à ingestão proteica após o exercício é a quantidade de massa muscular ( MM ) total presente no indivíduo , sobretudo pela sua maior captação de aminoácidos 3 , 4 , 8 . Foi neste sentido que Mcnaughton et al 9 . decidiram elaborar recentemente um estudo cruzado , duplo-cego ; em que 30 participantes ( treinados ) do sexo masculino foram divididos em 2 grupos : 1 grupo ( n = 15 ) com mais massa isenta de gordura ( MIG ) ( HLBM ≥70kg )) e outro grupo ( n = 15 ) com menos MIG ( LLBM ≤ 65kg ). Ambos os grupos foram sujeitos à ingestão de 20 e 40gr de proteína do soro de leite ( PSL ) após treino da força . Este estudo aferiu a MPS de forma direta e aguda , com a particularidade do protocolo de treino ter incluído grupos musculares do trem superior e inferior .
Ao contrário da hipótese levantada pelos autores , não há relação entre a MIG e o efeito na MPS de diferentes doses de proteína após o treino , uma vez que a dose de 40gr aumentou a MPS de forma estatisticamente significativa em ambos os grupos ( comparando com 20gr ). Apesar de parecer contraintuitivo , este trabalho mostra que mais MIG não implica mais proteína no pós-treino . Existe a tendência de se considerar a MIG como MM , o que não corresponde totalmente à verdade ( na realidade a MM apenas representa cerca de 40 % da MIG ). Assim as diferenças efetivas de MM ( de base ) entre grupos podem ter sido de pequena magnitude não influenciando a MPS ao longo do estudo . Este trabalho apresenta resultados distintos dos estudos anteriores 6 , 7 , porém com uma metodologia diferenciada . No trabalho de Moore et al . foi usado ovo e no de Witard et al . PSL 7 , tendo sido apenas estimulado o trem inferior em ambos os trabalhos . Os investigadores especulam que as diferenças encontradas se devem ao protocolo de treino , pelo recrutamento de mais massa muscular e consequente maior captação de aminoácidos . Outra questão a ter em conta prende-se com o facto das diferenças entre 20 e 40gr em termos absolutos serem de apenas 0,0112 e 0,0115 %. h -1 da taxa de síntese fracionada miofibrilar , permanecendo ainda por elucidar vantagem real deste aumento . Uma vez que o dobro da proteína não aumentou proporcionalmente a MPS , é plausível que a dose para se verificar este efeito vantajoso seja inferior a 40gr ( requerendo assim mais investigação ). Deverá também ser notado que o aumento da MPS de forma aguda não se correlaciona com a hipertrofia em indivíduos jovens 10 .
Estudos de maior duração que combinem DXA e ultrassom deverão ser efetuados de forma a aferir os reais efeitos deste aumento da MPS na hipertrofia . Fica também por esclarecer se noutras populações será necessária uma dose diferente de proteína ( por ex . idosos ). Em termos práticos será que desportos como o crosstraining e o râguebi necessitam de mais proteína após o treino ? Vamos aguardar por mais trabalhos …
Bibliografia
1 . Tipton KD , An RW , Wolfe R . An abundant supply of amino acids enhances metabolic effect of exercise on muscle protein . Am J Physiol . 1997 ; 273 ( 1 pt : E122 – 9 .
2 . Tipton KD , Wolfe RR . Protein and amino acids for athletes . J Sports Sci . 2004 Jan ; 22 ( 1 ): 65 – 79 .
3 . Witard OC , Wardle SL , Macnaughton LS , Hodgson AB , Tipton KD . Protein Considerations for Optimising Skeletal Muscle Mass in Healthy Young and Older Adults . Nutrients . 2016 ; 8 ( 4 ): 181 .
4 . Morton RW , McGlory C , Phillips SM . Nutritional interventions to augment resistance training-induced skeletal muscle hypertrophy . Front Physiol . Frontiers Media SA ; 2015 ; 6:245 .
5 . Churchward-Venne TA , Holwerda AM , Phillips SM , van Loon LJC . What is the Optimal Amount of Protein to Support Post-Exercise Skeletal Muscle Reconditioning in the Older Adult ? Sports Med . 2016 Sep ; 46 ( 9 ): 1205 – 12 .
6 . Moore DR , Robinson MJ , Fry JL , Tang JE , Glover EI , Wilkinson SB , et al . Ingested protein dose response of muscle and albumin protein synthesis after resistance exercise in young men . Am J Clin Nutr . 2009 Jan ; 89 ( 1 ): 161 – 8 .
Restante Bibliografia em : www . revdesportiva . pt ( A Revista Online )
8 Janeiro 2017 www . revdesportiva . pt