Revista de Medicina Desportiva Informa Janeiro 2012 - Page 5

que aos mesmos cumpre imprimir todo o empenho na prossecução das suas atribuições e competências. A este respeito, refira-se que na nova organização promovida pela criação do Instituto Português do Desporto e da Juventude, I.P., (IPDJ, I.P.) a medicina desportiva terá um departamento próprio. O Departamento de Medicina Desportiva presta apoio médico-desportivo aos praticantes de desporto. Ao Departamento de Medicina Desportiva compete: (i) garantir a prestação de cuidados de saúde aos atletas de alto rendimento e seleções nacionais, bem como acompanhar a sua avaliação funcional e controlo do treino; (ii) dar resposta a outros praticantes desportivos mediante referenciação médica e apoiada em acordos e protocolos a celebrar com Entidades e Organismos de Saúde; (iii) definir e aperfeiçoar os critérios de avaliação médico-desportiva para os candidatos à prática desportiva, bem como assegurar a realização de exames de sobreclassificação, sempre que solicitados por indicação médica; (iv) apoiar a formação de profissionais de saúde e do desporto, promovendo a realização de cursos e estágios de aperfeiçoamento nas diferentes áreas da medicina desporto e do exercício físico; (v) colaborar com o Ministério da Saúde e a Ordem dos Médicos no processo de formação e credenciação de especialistas em medicina desportiva; (vi) estabelecer protocolos de investigação com outras instituições no âmbito da medicina; (vii) assegurar as demais funções que lhe sejam cometidas pelo Presidente. O Departamento de Medicina Desportiva compreenderá uma Unidade orgânica em Lisboa com uma delegação no Porto. 6. Mas continuam a não ter médicos no quadro (apenas em Lisboa)… Isso é uma questão que se está a equacionar. Em breve se saberá, pela definição do mapa de pessoal do IPDJ, IP e reafetação dos técnicos a cada departamento deste novo Instituto, quais as necessidades residuais. Sempre perto de si CAMPANHA 2012 7. Faz parte dos planos do Governo criar outros Centros de Medicina (ou extensões) noutros locais do país para além dos três existentes? A Lei Orgânica do IPDJ, IP prevê o Centro Nacional de Medicina Desportiva em Lisboa e uma delegação no Porto como já referi. Estão em equação outros tipos de soluções, as quais serão explicadas atempadamente. MAIS CEDO... MAIS 20% DE DESCONTO 8. Qual o contributo que esta Revista pode dar para a promoção do desporto e da Medicina Desportiva em Portugal? Bom, uma vez que não sou médico não poderei dar uma opinião tão fundamentada quanto a dos membros da comunidade médica em geral e os especialistas em medicina desportiva em particular. Contudo, sempre posso adiantar que um veículo de disseminação do conhecimento pelo universo dos membros de um colégio de especialidade é determinante para uma evolução partilhada e colaborativa. E na medicina desportiva não será diferente, certamente. *Nasceu em Lisboa, em 1974. Licenciou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa, complementado a sua formação académica, com Pós Graduações pela Université Paris I Panthéon Sorbonne, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e pelas Loughborough University/ International Olympic Academy. Acresce um Mestrado na Universidade Católica de Lisboa e a frequência de Doutoramento na Edge Hill University, Reino Unido. Após a licenciatura, exerceu advocacia, foi Investigador no Colégio da Europa, na Bélgica, Assistente de Investigação na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, jurista da Confederação dos Agricultores de Portugal. Foi docente na Faculdade de Direito da Universidade de de Lisboa, entre 1998 e 1999, na Escola Superior Educação de Almeida Garrett, em 2002, na Universidade de Évora e Universidade da Extremadura, em 2007, na Universidade Lusófona, 2008 e Universidade Autónoma de Lisboa desde 2009. Entre 2002-2005, desempenhou funções de Adjunto da Secretaria de Estado da Juventude e Desportos e foi membro, do Gabinete do European Independent Sports Review, em 2006. É autor de vários livros, como “Desporto e Direito: Preto no Branco”( EDIUAL, 2010), “ The Law of the Olympic Games”(Cambridge University Press e TMC Asser Press, 2009), “Direito e Jogos Olímpicos” (Almedina , 2008), “ Desporto na Constituição Europeia: o fim do Dilema de Hamlet” (Almedina, 2004), “ Desporto e União Europeia: uma parceria conflituante?” (Coimbra Editora, 2002). Membro do grupo de Constituição do Tribunal Arbitral do Desporto, no âmbito do Comité Olímpico de Portugal (2007-2011), Vice-presidente da International Sports Law Association, entre (2004-2008). Foi considerado, em 2009, pela Sport Bussiness International, como um dos mais influentes Advogados de Direito do Desporto no Mundo. CAMPANHA DE FÉRIAS 2012 Reserve as suas férias para 2012 até 31 de Janeiro e beneficie de 20% de desconto. A campanha é válida para estadias entre 1 de Janeiro a 31 de Outubro de 2012 nos hóteis Vila Galé no Algarve e Madeira. Consulte as restantes condições da campanha em www. vilagale.pt Revista de Medicina Desportiva informa Janeiro 2012 · 3 VG_NOVEMBRO.indd 1 12/23/2011 3:53:42 PM