Revista Crea-SP | nº 10 - Page 8

HISTÓRIA ANGKOR CAMBOJA 5 patrimônios mundiais da humanidade pouco conhecidos Um patrimônio mundial da humanidade é um sí o arqueológico ou uma área designada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) por possuir defi nição cultural, histórica, cien fi ca ou natural. Essa localidade é legalmente resguardada por tratados internacionais, devido aos seus atributos julgados formidáveis para os interesses da humanidade. Hoje em dia existem mais de 1.030 sí os espalhados por 160 países, como as Grandes Pirâmides, no Egito; a Grande Muralha, na China; a Estátua da Liberdade, nos EUA; a Cidade de Teo huacán, no México; a cidade perdida de Machu Pichu, no Peru; e as Cataratas do Iguaçu, localizadas entre o Brasil e a Argen na. A seguir você vai conhecer cinco patrimônios não muito badalados, mas repletos de segredos. 8 | R E V I S T A CREA-SP Sí o arqueológico localizado no sudeste asiá co. E mologicamente falando, seu nome, em sânscrito arcaico, signifi ca “cidade”. Estendendo-se por cerca de 400 km² (maior cidade pré- industrial do mundo), incluindo áreas fl orestais, o Parque Arqueológico de Angkor contém os resquícios da capital do Império Khmer, em vigor entre o século IX e o XV. Além disso, o parque mantém o Templo de Angkor Wat, considerado o maior santuário religioso do mundo e, em Angkor Thom, o Templo de Bayon, com suas inúmeras decorações esculturais. GOBEKLI TEPE TURQUIA Centrado nas montanhas de Germus, sudeste da Anatólia – atual Turquia – o sí o abrange uma área de 126 hectares e está localizado na Alta Mesopotâmia, entre os rios Tigre e Eufrates, na encosta das Montanhas Taurus, região que viu o surgimento das comunidades agrícolas mais arcaicas do mundo. O espaço consiste em um conjunto de estruturas de pedra megalí cas, ou seja, base apoiada sob grandes blocos de pedras rudes, e outros edi cios não monumentais, erguidos por grupos de caçadores-coletores na era pré-cerâmica – Período Neolí co (de 10 a 9 milênios a.C). As estruturas monumentais são interpretadas, de acordo com o processo de nomeação, como recintos que fazem parte de um centro ritual neolí co. Os monumentos foram usados em conexão com cerimoniais públicos - possivelmente de natureza funerária - e fes vos. Os pilares em forma de T são esculpidos com imagens de animais selvagens, fornecendo informações sobre o costume de vida e as crenças das pessoas que moraram na Alta Mesopotâmia há cerca de 11.500 anos. Fica o ques onamento: como isso tudo foi erguido por caçadores- coletores muito antes da invenção da escrita e do aparecimento do homem civilizado? TIMBUKTU MALI Sede da Universidade Koranic Sankore e templo de estudos da religião muçulmana (madraça), Timbuktu foi fundada em 1.100. Era considerada capital intelectual e espiritual, além de ser um centro para a propagação do Islã em toda a África nos séculos XV e XVI. Suas três grandes mesquitas, Djingareyber, Sankore e Sidi Yahia, revelam informações sobre o Império Songai. Embora con nuamente restaurados, esses monumentos estão hoje ameaçados de deser fi cação, ou seja, em processo de mudança ambiental ou climá ca que leva à formação de uma paisagem árida ou de um deserto propriamente dito. TIWANAKU BOLÍVIA A cidade de Tiwanaku, capital do império pré-hispânico que dominou a área sulista dos Andes, alcançou seu auge entre 500 e 900 d.C. Suas ruínas monumentais atestam a defi nição cultural e polí ca dessa civilização, que começou como um pequeno assentamento e posteriormente progrediu em uma cidade planejada por volta de 400 d.C. A expressão máxima dessa cultura é refl e da no ritual cívico organizado de forma espacial, com um centro determinado para cada um dos pontos cardeais, construído com silhares de pedras esculpidas de forma precisa, que contém um sistema de drenagem subterrânea controlando o fl uxo de águas pluviais. A Porta do Sol é o mais importante monumento dessa cidade, pesando 12 toneladas. No centro existe a fi gura de um homem com a cabeça rodeada por 24 raios lineares, que podem representar raios do sol ou o “Deus Sol”. Na língua aymará, Tiwanaku signifi ca “centro do mundo”. ULURU KATA TJUTA AUSTRÁLIA Anteriormente chamado de Parque Nacional Ayers Rock - Monte Olga, esse parque apresenta formações geológicas predominantes na vasta planície arenosa vermelha da Austrália central. Uluru, que possui uma pedra de grandes proporções – com 8 km de circunferência, estendendo-se por 2 km de profundidade – e Kata Tjuta, local onde há cúpulas rochosas fi xadas a oeste dos minérios, fazem parte do sistema tradicional de crenças de uma das mais an gas sociedades humanas do mundo: o povo aborígene Anangu. Quer conhecer mais sobre os patrimônios mundiais da humanidade? Acesse: http://www.unesco. org/new/pt/brasilia ◘ Colaboração: Djalma Campos Guimarães Filho (Unidade de Fiscalização e Registro) R E V I S T A CREA-SP | 9